sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Regresso à pátria

Quase uma semana fora do país, sem olhar muito as notícias da pátria.

Morreu Meneres Pimentel. Não era uma figura que tivesse por muito simpática. Era, contudo um homem de fortes princípios, uma pessoa de bem, como demonstrou como Provedor de Justiça. Foi também um improvável líder transitório do PSD.

O grupo Espírito Santo dá sinais de crise, com mais declarações contraditórias dos membros da família. É estúpida a atitude de quem se congratula com o eventual declínio do último grupo financeiro português com um lugar na memória da banca internacional.

Isaltino de Morais vai chefiar uma fundação ligada à autarquia de Oeiras. É Portugal no seu melhor. Ontem, na televisão, Pacheco Pereira lembrava que o PSD não tomou nenhuma medida sancionatória face aos seus militantes envolvidos no caso BPN.

Mais um ciclo de críticas internas a António José Seguro. Certos setores do PS seguem a estratégica futebolística de parecerem desejar a derrota da sua equipa para provocar a saída do treinador. Uns fazem-no com procurada sofisticação semântica, outros um pouco mais à bruta. Nada de novo.

O processo dos submarinos terminou, em Portugal. Sem culpados, claro! Para a justiça alemã houve corrupção. Por cá, tudo bem. Sendo os factos os mesmos, deve haver uma diferença de perspetiva no que diz respeito ao conteúdo do conceito.

O Grande Auditório da Gulbenkian vai reabrir, remodelado. Lá estarei, logo à tarde! Um abraço de parabéns, Artur Santos Silva! Ainda há boas notícias.

11 comentários:

opjj disse...

Caro Dr. Seixas da Costa cada um faz o seu julgamento. Quando um juiz me diz que o melhor é fugir da justiça, dá que pensar. Eu tive um caso claro como água e não me atrevi. Conheço apenas tribunais do lado de fora.
Quando eu de fato e gravata e de pasta na mão, dentro dum autocarro cheio e alguém grita e me confunde com um ladrão e quase sou linxado!Tanta injustiça é praticada em nome dela. Serão certezas os casos julgados?
Cumprimentos

Anónimo disse...

Caro Embaixador,
Um pequeno esclarecimento jurídico, se me é permitido: o chamado Processo dos Submarinos concluíu-se – provisoriamente, na medida em que o MP indicou que iria ainda recorrer – apenas e só no que respeita “às contrapartidas” (que, como bem referiu a Juíza-Presidente do Colectivo poderia ter sido apreciado num Tribunal Arbitral). Um processo, este, que tem já 10 anos! Quanto ao outro, aquele em que haverá indícios de corrupção (se bem me recordo, que Ana Gomes tem feito bandeira), com supostos dinheiros a terem sido entregues, ou recebidos pelo CDS, é outro, separado e que aguarda um dia chegar a julgamento, a fim de se apurar a verdade, ou ausência de prova, dos factos. Este, por sua vez, já leva 8 anos! Pode ser confuso tudo isto, mas na verdade são 2 processos.
Vasco Moreira

Anónimo disse...

Para apreciar a floresta é necessário estar longe dela... E é assim que o Sr. Embaixador se concentra nestes pequenos (grandes) acontecimentos por cá, num espaço de 8 dias. Para os que estão por cá, umas notícias fazem esquecer as outras...e tudo isto continua.

Anónimo disse...

Sr. Embaixador

O seu post, abordando vários temas pertinentes, dou-lhe 19 valores.

Espero, que o prof. Marcelo TV, arredonde para os 19,95.

Zé da Adega

Anónimo disse...

350 anos depois....

"Não são ladrões apenas os que cortam as bolsas.
Os ladrões que mais merecem este título são aqueles a quem os reis encomendam os exércitos e as legiões, ou o governo das províncias, ou a administração das cidades, os quais, pela manha ou pela força, roubam e despojam os povos. Os outros ladrões roubam um homem, estes roubam cidades e reinos; os outros furtam correndo risco, estes furtam sem temor nem perigo.
Os outros, se furtam, são enforcados; mas estes furtam e enforcam."

Padre António Vieira


Alexandre

Defreitas disse...

Senhor Embaixador: Quem pagava os perfumes? A carta de crédito pertencia a quem? Qual era o limite autorizado pelo MNE para as compras destinadas à família e amigos? Um dos seus antigos chefes,
Freitas do Amaral dá-nos uma pequena ideia de como o "estado português", ou talvez melhor, "os homens e mulheres" que temos vindo a eleger ao longo dos últimos anos, tem vindo, ao longo dos mesmos, a gastar o dinheiro dos contribuintes... nas viagens diplomáticas, nos carros, e no resto.... Nem todos, certamente, mas tantos, tantos, que Portugal está lá onde está!


http://youtu.be/2ojiDECioDM

Defreitas disse...

Senhor Embaixador, peço desculpa de ter inscrito aqui (comentàrio precedente) um comentàrio destinado ao "post" seguinte.

Anónimo disse...

Ó Freitas, se este é o "post" mais recente, como raio é que vocẽ consegue ter "inscrito aqui (comentàrio precedente) um comentàrio destinado ao "post" seguinte."

Já sabe o futuro?!

Defreitas disse...

A democracia e todos os regimes ditatoriais, e com eles os valores pelos quais o Ocidente fez tantas guerras, estão minados pelo mal mais destrutor do últimos tempos: a corrupção.
O caso dos submarinos, é água de rosas comparado ao que se passa noutros países "democráticos". Um exemplo: o escândalo das fragatas vendidas pela França a Taiwan. Em pleno plano de rigor orçamental de 2011, François Fillon, primeiro ministro francês, anuncia que vai ser preciso apertar os cintos em todos os ministérios para pagar os 460 milhões de euros de penalidade que o Estado foi obrigado a pagar por ter " regado copiosamente" os intermediários na negociação da venda das 6 fragatas de Taiwan.
Peço desculpa dos detalhes do que foi sacrificado para pagar a "nota", como indicado na nota rectificativa do governo no projecto da lei de finanças, porque se é necessário pagar urgentemente 460 milhões, há que retirar 460 milhões do orçamento do ano corrente. Claro !
.O Ministério da Defesa paga logo a metade: equipamento do exército: 208 milhões!.Pesquisa científica ( espacial, novas energias, desenvolvimento durável), entre outros : 47 milhões..Transportes, infra-estruturas : 22 milhões..Emprego ultramar : 11,6 milhões.. Educação nacional: 10 milhões ( secundário 3,8 milhões e privado 3 milhões)...Antigos combatentes ( pensões): 11,6 milhoes.. Politica da cidade e Grande Paris : 8,6 milhões.
. France televisão, numérica e rádios locais : 7,2 milhões.. Prisões : 6,3 milhões..Manutenção dos edifícios do Estado : 6,1 milhões. - Financement du RSA: 6 millions- Prévention, sécurité sanitaire et modernisation de l’offre de soins: 4,5 millions- Financement de la vie politique, des cultes et associations: 4,4 millions- Développement et amélioration de l’offre de logement: 4,3 millions- Jeunesse et vie associative: 3,5 millions- Développement des entreprises et de l’emploi: 3,3 millions- Urbanisme, paysages, eau et biodiversité: 2,3 millions
- Justice des mineurs: 2 millions; - Sécurité civile: 2 millions. - Conditions de vie outre-mer: 1,5 millions; - Fonction publique: 1,9 million. - Sport: 1,4 million. - Agriculture: 1 million. - Actions en faveur des familles vulnérables: 1 million. Amélioration de la qualité de l’emploi et des relations du travail: 1 million.- Indemnisation des victimes des persécutions antisémites et des actes de barbarie pendant la Seconde Guerre mondiale: 824.000 . - Police: 500.000. - Gendarmerie: 500.000.
Façamos as contas de tudo o que foi sacrificado na vida quotidiana dos Portugueses para pagar todas as benesses e desperdícios duma minoria. Tenho a certeza que o quadro seria pelo menos tão chocante que aquele citado acima.

Anónimo disse...

Quanto ao processo dos submarinos, nada de original. É mais um processo tipo "melancia". Só não é em Macau

EGR disse...

Senhor Embaixador : as boas noticias são cada vez em menor numero.
Viver no nosso país vai sendo uma tarefa exaustiva.