quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Coluna

Não gostei muito da frase: "como é que escolhes os mortos que destacas no blogue?". Aquele meu conhecido, por ocasião do lançamento do livro de um amigo, ontem ao final do dia, pode não ter sido muito feliz na expressão utilizada. Mas eu compreendo a sua questão. Não há uma lógica subjacente à seleção das pessoas cujas breves notas obituárias por aqui faço. Umas vezes são pessoas amigas, conhecidas ou que o acaso me fez contactar, outras são apenas figuras com maior ou menor destaque à escala nacional ou global. Quase sempre, contudo, é alguém "que me diz alguma coisa".

É hoje o caso de Mário Coluna. Do quinteto maravilha do Benfica de 1966, já tinham desaparecido Torres e Eusébio. Dessa equipa, também se foram Germano, Morais e Jaime Graça. Agora partiu Coluna, que era o eixo dessa seleção que me deu algumas fortes alegrias - e eu teimo sempre em ser grato a quem me faz feliz. Por isso, na morte de Mário Coluna, quero aqui deixar-lhe a minha singela homenagem.

14 comentários:

Anónimo disse...

Claro que Coluna é Português!
A nacionalidade formal não passa de uma burocracia!
antónio pa

António Pedro Pereira disse...

Caro Senhor Embaixador:
Veja se não se esquece de um post à memória do grande Paco de Lucia.
Aposto que é mais seguro eu afirmar que também gostava dele do que afirmar que o seu Sporting será campeão.
E que tal pôr o vídeo do Concerto de Aranjuez com a Orquestra de Cadaques.
Até o ajudo deixando-lhe o link: http://youtu.be/RhO5OSLZjl8

Anónimo disse...

Vai-me perdoar a ousadia, Mas o Morais, que há anos morreu em Vila do Conde, não era o do Sporting, o do "cantinho do Morais", o que deu a pazada em Pelé, em Inglaterra, em 1966?
Cptºos, RLD

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro RLD: era esse mesmo!

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro antonio pa: e o Deco? E o Pepe? E o Obikwelo? E o Jorge Listopad?

Anónimo disse...

Essa do Deco é de mau gosto...

Francisco Seixas da Costa disse...

O Deco é e o Pepe não? E porquê?

Anónimo disse...

Caro Embaixador:
Não são Portugueses!
Fernando Pessoa “adotou” a nacionalidade Portuguesa, tendo nascido com o espírito universal, o que muito nos orgulha, como bem sabe.
(acho que pus o dedo numa ferida “qualquer”)
António pa

Anónimo disse...

Alio-me à sua homenagem ao Grande Coluna!

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Antonio pa: não percebi. Mas deve ser defeito meu, que considero Jorge Listopad ou Antonio Tabucchi tão portugueses como eu.

Anónimo disse...

Porque a atitude do Deco e do Pepe são completamente diferentes. O Deco sempre teve uma relação fria com a equipa, assente numa questão de toma lá jogo, dá cá o passaporte e a promoção, enquanto que o Pepe é, notoriamente, alguém que veste a camisola com gosto.

Mas, de qualquer forma: porque razão vêm estes assuntos à baila?

Anónimo disse...

O Coluna está agora comigo. E com o Eusébio e o Torres. Somos a base da selecção dos extra-terrestres. Os cinco violinos andam a treinar para entrar ( neste momento estão nos Extra-Terrestres B ). Temos ganho todos os jogos em que participamos. Com a vinda do Coluna vai ser ainda melhor. Em vez dos 3-0 com que ganhamos em média, já passámos para os 6-0 desde que cá chegou. Jaime Graça

JM Correia Pinto disse...

“Este parte, aquele parte
e todos, todos se vão...”

É uma geração que nos marcou no desporto como nenhuma outra. Já muitos se foram. Do Benfica Campeão só restam Simões, Zé Augusto, Mário João, Cruz, Ângelo (o velho Ângelo) e Artur.
Do Sporting, Carvalho, Hilário, Zé Carlos, Peres e Alexandre Baptista. Não sei se o Figueiredo, o Lourenço e Manuel Duarte ainda são vivos. Morais, o famoso Morais, da Taça das Taças, conhecido em todo o Brasil, infelizmente já não está entre nós.
Ainda há dias vi uma entrevista de Morais sobre o jogo contra o Brasil e o seu duelo com Pelé. Depois daquela entrada de Morais sobre Pelé, hoje quase normal, o Pelé logo que reentrou em campo ameaçou-o várias vezes: "Veado, vou-te pegar". Morais, um pouco encolhido com as ameaças daquele super crack, foi contar ao Coluna o que se estava a passar. E o Coluna disse-lhe: “ Tu jogas aqui como jogas em Portugal”. E então o Morais, moralizado com as palavras de Coluna, fez um grande jogo e só mesmo perto do fim uma agressão covarde de Pelé, no maxilar direito, o deitou por terra.
Ainda sobre o Mundial de 66, há dias dois antigos jogadores do Sporting (Zé Carlos e Peres) convidados pela RTP para comentar esse mesmo Portugal-Brasil não contiveram as lágrimas de emoção e saudade quando Eusébio marcou o terceiro golo. Um golo simplesmente fantástico!
Eram outros tempos. Hoje uns selvagens do Benfica, do Porto e do Sporting à 2.º feira à noite, semanalmente, liquidam o futebol e a sua beleza.

Anónimo disse...

Claro que são portugueses todos aqueles a quem o passaporte mudou de cor de um dia para outro. Sou de uma geração de colegas que vinham para a faculdade clássica de Lisboa como portugueses e, que agora (dizem os burocratas)não o são. Não acredito... Levará mais algum tempo... Deveria ter havido um período de transição, como o que foi dado ao Território de Macau. Nem leríamos comentários duvidosos sobre "os mais" ou "menos" portugueses...