quarta-feira, 8 de maio de 2013

Estatuto bloguista

Hoje, num jornal "de referência", deparo com o autor de um artigo a dar como elemento curricular ser "co-autor" de um determinado blogue.

Vamos a ver se nos entendemos: escrever num blogue é um exercício de participação no espaço público que pode ter a sua graça - para o próprio e para quem entender lê-lo - mas que não deve ser assumido como uma espécie de estatuto. Trata-se de uma atividade de dimensão lúdica, mais ou menos efémera, que não se pode levar nunca muito a sério. Para escrever num jornal é preciso que alguém nos convide; para escrever num blogue, basta ter vontade e um computador. Quem dá importância excessiva àquilo que exprime através de um blogue, por maior leitura que ele conjunturalmente possa ter (e há blogues excelentes com escassos leitores), é porque não tem, na vida real, coisas mais relevantes em que se consiga realizar.

16 comentários:

Mak, o Mau disse...

Um blog é, basicamente, um eco do nosso ego.

Que sejam os outros e não nós a puxar por aquilo que escrevemos na internet.

São disse...

rrrsss Concordo.

isso é um pouco como as pessoas que passam o tempo a falar das vidas alheias, o que para mim só prova que as próprias são muito desinteressantes e vazias.

Bom resto de tarde.

Rita Maria disse...

Eu por acaso não concordo. Primeiro, há profissões dos mais variados tipos - se alguém se quer candidatar por exemplo a fazer a comunicação digital de uma empresa, mencionar que escreve num blogue não é de todo irrelevante.

Depois, o facto de alguém ter intervenção no espaço público é um factor diferenciador: eu quando equaciono pessoas para uma posição profissional, mais do que saber o que fizeram ou estudaram quero saber se são críticas, curiosas, interventivas, se têm iniciativa. É quase só isso que tento avaliar quando entrevisto (entrevistava) alguém: quão rápido vai aquela pessoa aprender a sua função, que mais-valias traz consigo, o que nos pode ensinar.

E, por último, há blogues de muitos tipos: alguns são espaços de opinião privada, outros puras tontices, mas muitos são blogues especializados mantidos com muito investimento e profissionalismo e são, muito mais que um diário de bordo, fontes essenciais de informação naquelas áreas.

Mencionar um blogue é como escrever num currículo que se joga ténis ou acrescentar a uma biografia curtinha que se tem filhos: pode ser ou não relevante e apropriado naquele contexto, mas não me parece nada que seja de negar à partida porque é "só um blogue" e qualquer um o pode criar.

Albino M. disse...

Pois bem, eu... discordo.
O poste, digo, quase que... acertava. Ou seja, bate fora do alvo...
Creio saber a quem se refere. E, justamente: para escrever nesse blogue (no tal...), é preciso convite, tal como no jornal.
E, como se trata de um blogue de grande prestígio (pelos autores, pelas matérias, pelo rigor de tratamento...), vale bem mais o título de co-autor de tal blogue do que o de colaborador de uma qq das muitas e execrandas folhas-de-couve que por aí circulam...
Conhece, de resto, estou certo, o célebre (e justo, justíssimo) poema de pessoa sobre a nossa 'querida imprensa'...

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Rita Maria: acho normal que uma pessoa coloque num sdeu currículo que se tem um blogue, como é vulgar alguém referir, nesse contexto, os seus "hobbies". Trata-se de elementos identificadores de gostos e hábitos pessoais, importantes para o "retrato" das pessoas. Já me parece menos curial colocar isso por debaixo do nome, num artigo do jornal. Um blogue é um "jornal pessoal" (ou de grupo), por mais rigorosa que seja (quando é) a informação que nele se coloca (e eu, por exemplo, procuro que tudo o que escrevo tenha sempre o maior rigor e exatidão factual). Mas não levemos este tipo de plataformas demasiado a sério...

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Albino M: eu nem fixei o nome da pessoa nem o blogue (e já deitei o jornal fora...). Na minha terra, às pessoas que se dão muita importância costuma dizer-se: "nem te enxergas!" Quanto um bloguista se acha o máximo, eu penso sempre isso. Para mim, um blogue é e será sempre um "divertimenti". Nada mais! Como é o caso deste meu.

Anónimo disse...

Sr Embaixador

Sinto-me à vontade para discordar com este seu post porque não escrevo em blogue, embora seja leitor atento. Perdoar-me-á que diga que este seu post revela um total desconhecimento do que é a blogesfera e do seu impacto. A blogosfera de autor, e falo só da de cariz literário, tem uma enorme importância em todo o mundo. Concordo com todas as palavras da comentadora Rita Maria.
Muitos blogues (os bons) são trabalho duro dos autores,investigação, investimento.
Se para o senhor o blogue é um divertissement, para outros é um cartão de visita, um portefólio. É uma forma de publicar trabalhos e textos. É trabalho.
E,como bem diz o comentador Albino M., vale mais ser co-autor de um bom blogue do que articulista de alguns jornais.
Queira desculpar-me, é ter Vexa da blogosfera um entendimento de espaço lúdico que o impede de estar informado sobre o valor da mesma. Falo só de blogues literários, repito, que são aqueles que conheço melhor.

João Afonso Tomás

Anónimo disse...

"Nem te enxergas!".
Quão apropriada expressão para o caso!
Posso ser politicamente muito diferente mas, no “sentir da nossa terra”, não há diferenças!
“”Ele” há cada ceguinho”! Ou ignorante! (portanto atrevido). Ou oportunista!
Depois os concursos dão no que dão…Os lugares são para os da “conversa fiada”…e não só…
O Duriense

Catinga disse...

Mas se, em vez de um blog, a criatura em questão editasse uma revista, já era mais aceitável?

Anónimo disse...

Considero puro snobismo alguém escrever que é autor ou co-autor como referência num simples artigo de jornal, independentemente da importância e carácter intelectual do mesmo.

No entanto, desde que li num curriculum alguém referir que foi admininistrador do próprio condomínio durante um determinado número de anos já nada me surpreende. Já agora, isso também poderia revelar espírito empreendedor!

Isabel BP

EGR disse...

Senhor Embaixador: há excelentes blogues com muitos leitores.
Como é o caso deste.

Isabel Seixas disse...

Subscrevo os comentadores Rita Maria,Albino M. e João Afonso Tomás.

Independentemente da intenção com que constroi o Seu blogue é de facto um veiculo de entretenimento sério, algumas vezes potenciando e solicitando o uso do sentido de humor, convenhamos o pico de seriedade(produz endorfinas neurotransmissor e hormona do prazer*), mas também difusor de temas atuais com uma análise critica consistente feita aliás por um expert principal o dono do blogue.

Permite-nos uma reflexão ponderada em perspetivas diversas e emitir opinião assegurando a nossa participação livre com direito e dever de empreender e ou aceitar o contraditório.

Pessoalmente diverti-me/ divirto-me imenso sem dúvida com as suas histórias/vivênciascontadas da forma e com o talento que o senhor usa e lhe é peculiar, mas também aprendi/aprendo muito além de descobrir pessoas interessantes que discutem ideias progressistas, incondicionalmente o mais aliciante dos ganhos em visitar o Seu blogue.

Além é claro da sua isenção em publicar comentários que visam fazê-lo esmorecer e dos quais o Senhor tem saído sempre reforçado por inerência da transparência.

Daí que, se nestes próximos tempos precisar de apresentar o seu curriculum vitae e atestar a sua idoneidade "sugiro" que diga "só" que é autor do duas ou três
coisas, remetendo qualquer júri de avaliação para uma tarefa lúdica sem lhes infligir o fastio que é ler alguns curricula/curriculuns, sei do que falo...

Ps Tenho a certeza que paga os direitos de autor, decerto é facil reencontrar o tal jornal...

¨*Efeitos principais das endorfinas:

melhora memória;
Melhoram o bom humor;
Aumentam a resistência;
Aumentam a disposição física e mental;
Melhoram o nosso sistema imunológico;
Bloqueiam as lesões dos vasos sanguíneos;
Têm efeito antienvelhecimento, pois removem superóxidos (radicais livres);
Aliviam as dores;
Melhoram a concentração.

Alonguei-me/entusiasmei-me muito, provavelmente overdose de endorfinas.

Isabel Seixas disse...

Cara Isabel BP
Inicialmente pareceu-me inédito, mas convenhamos que dependendo da "extensão" do condomínio pode ser revelador/indicador de "pachorra" e bom gestor de conflitos...

Anónimo disse...


É claro que a nossa 'velha senhora', comentarista impertinente e impenitente, teria que ter opinião (que eu virgulei):

oh quão de acor-
do estou, amor,
consigo;

e comentar,
a rimalhar,
prosssigo.


irmã(o)s, brincai,
a vida é ai
que passa;

que água de blogue
só vos afogue
de graça.

(fiel isabel,
com muito mel,
discorda;

mas endorfina
não é, menina,
açorda).

Isabel Seixas disse...

Oh , cara Amiga,

Um Blogue
é tanto mais estimulante
Quando promove
também um registo discordante

quando o fogo se vê e arde
melhor que mel
é fel
é vinagre

fiz massa à lavrador,
lembrei-me lá da açorda,
mas ambas nutrem com bom sabor
e que mais dá já nenhuma engorda...

Anónimo disse...

No estado em que vai Portugal cada um diz de si o que acha mais "vendedor". Há dias ao ler o CV de um candidato autárquico a uma câmara do sul do pais, o senhor dizia que em 2010 tinha sido avô !!!
Adaptando a máxima de Artur Semedo que "Quem nao é do Benfica não é bom chefe de familia" todos sabemos que "Quem não é avô não pode ser um bom Presidente da Câmara" :)))))

PS permaneço anónima, mas para que me identifique apenas lhe pergunto se acha que pegue no cinzel e vá dar o retoque que falta ao Eça ? ;)