quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Euronews

Acaba de ser anunciado que a Euronews vai terminar a sua edição em português, por ter sido suspenso o contrato que mantinha com a RTP. A Euronews encontra-se sediada perto de Lyon, em França, e na edição portuguesa trabalhavam vários cidadãos nacionais. Há meses, reuni com o principal responsável da Euronews, com o qual discuti os problemas do financiamento do serviço em português.

Para além dos imperativos de natureza financeira que terão obrigado a esta medida, a qual acarretará a saída de vários jornalistas portugueses da estação, há que reconhecer que o fim da Euronews em português representa a desaparição de uma importante plataforma noticiosa em língua portuguesa, num espaço mediático internacional onde elas não abundam. Pena é que, entre a RTP e a Euronews não tenha sido possível encontrar uma solução que permitisse a manutenção do serviço.

13 comentários:

Anónimo disse...

Hum... um canal que dê, em português, notícias da actualidade internacional, de artes, sociedade, desporto e ciência, em vez de debitar inanidades sobre treinadores e árbitros e dar telenovelas... Será que isso interessa ao actual governo? Não me parece. :)

DL

Catinga disse...

Eu tenho uma certa simpatia por esta "estação". Todas as vezes que tenho insónia dou por mim a ver as notícias do Euronews...

São uma boa companhia para as madrugadas. Tirando esse tipo de situações, parece-me que, por aqui, ninguém dá pela existência do "canal".

Já de Lyon, só tenho uma coisa a dizer: gosto!

Julia Macias-Valet disse...

Se alguém souber a hora e o local da manifestação agradeço que me a comunique.
Obrigada.

Senhor embaixador, faça qualquer coisa, é preciso encontrar uma soluçao !

patricio branco disse...

é pena, incluindo pela perda de lugares de trabalho, mas creio que era pouco visto (falo por mim) alem de que parece não ter havido interesse daqui em negociar (financiar?) a continuação da versão em português.

Anónimo disse...

Língua portuguesa? Mas o que é que isso interessa à troika e ao governo, Senhor Embaixador?
Ainda vão mas é acabar com ela na "concertação social".
V

Helena Oneto disse...

É "só" mais um corte na lusofonia... Triste sina, a da nossa língua!

O COSMOPOLITA disse...

Infelizmente não interessa à DEMOCRACIA !

Catinga disse...

Por falar em lusofonia: ontem vieram trazer-me um panfleto de um projeto no qual estou envolvido. É um serviço na internet, essencialmente vocacionado para o mercado português, feito por portugueses e que lida com empresas portuguesas.

O panfleto estava inteiramente em... Inglês.

A língua dos 200 milhões não interessa a ninguém!

Anónimo disse...

"É da vida"... Havemos de reaparecer noutros sítios, acreditem. Senhor Embaixador, a confiança e a esperança que a sua admiradora Julia Macias deposita em si é mais um lenitivo que nos acompanha nas leituras diárias de: duas ou três coisas.

Anónimo disse...

"Imperativos de natureza financeira "

Eu não sei que grandeza teria a verba de que estã a falar, mas se aquele secretário de estado que gastou 65 000€ a decorar um escritório que nas palavras dele era minusculo , talvez sobrasse algum dinheiro a pagar às locutoras de português ???

Isto é apenas uma opinião de uma pessoa que é boa gestora mas tem pouco dinheiro ao contrário de alguns que são p´´essimos gestores mas estão "ovados" !

OGman

Julia Macias-Valet disse...

Caro Anonimo das 11:28,
Sempre tive Grande admiração por pessoas que "dao a cara" : )

Para todos os que queiram ter todos os detalhes sobre esta bela "demeure" parisiense, nao perder o livro "Ambassades à Paris" de Elisabeth Martin de Clausonne (éd. Nicolas Chaudun)

xatoo disse...

é um problema de manipulação cultural. É uma politica deliberadamente assumida. Já no anterior governo Portas-Barroso o tipo que detinha a decisão sobre os media (Morais Sarmento) derrubou de uma assentada este mesmo canal por cabo em português (Euronews, depois reactivado pelo P"S"),, e acabou de vez com esse marco da cultura em Portugal que foi o programa do Carlos Pinto Coelho (o Acontece). Na mesma senda, nova investida - a este governo interessa-lhe sobremaneira que o campo da ignorância e desinformação aumente.

EGR disse...

Senhor Embaixador: para o que a RTP não tem falta de financiamento é para continuar a pagar as suas"vedetas",para manter correspondentes em "férias" permanentes,para deslocar meios humanos e tecnicos quando há crimes ou acidentes,etc.
Tudo o resto é secundário.