quinta-feira, 29 de abril de 2010

Debate

Aceitei ontem um convite para debater, durante quase meia hora, num programa de rádio francês de grande audiência, com o "Chief European Economist" da empresa de notação "Standard & Poor's", Jean-Michel Six. A agência foi responsável pelo abaixamento da "nota" de Portugal que provocou uma especulação desfavorável ao nosso país nos mercados internacionais.

Com urbanidade mas também com o necessário vigor, procurei expor, ao longo da emissão, alguns dos argumentos, nomeadamente de natureza quantitativa, que nos levam a considerar ter havido um menor cuidado na necessária distinção entre as situações portuguesa e grega. Destaquei também as severas medidas que Portugal tem em curso de execução com vista ao saneamento das suas contas públicas.

Pela parte da "Standard & Poor's", foi dada muita importância à dimensão da dívida privada portuguesa - embora reconhecendo as medidas tomadas face à dívida pública - e ao facto da agência entender que a respetiva dimensão pode condicionar o êxito da nossa futura recuperação. De qualquer forma, Jean-Michel Six disse que há uma grande diferença no modo como a sua empresa analia os casos português e grego. Deixou claro que,  para a "Standard & Poor's", Portugal continua "confortavelmente colocado na zona de 'investment grade'".

Um dos pontos sublinhado, com grande insistência, pelo coordenador da emissão ligou-se ao anunciado entendimento entre as principais forças políticas portuguesas em face da presente situação. Este ponto parece estar a ser lido como um forte sinal da determinação portuguesa de fazer face à presente crise.

Ouça aqui um ponto do debate.

3 comentários:

Anónimo disse...

O Senhor Embaixador disse-nos há dias que deu uma aula teórica sobre Diplomacia Pública. Aqui está a aula prática. Bem haja.

CSC

Anónimo disse...

Subscrevo o Anónimo CSC. Um Post muito oportuno, sobretudo quando por aqui se faz eco da desgraça, se deitam mais achas à fogueira, quando falta serenidade na cabeça de muitos (sobretudo nalguns círculos de imprensa e políticos), etc. Ontem, a SIC, no seu telejornal da noite, prestou um bom serviço público, em minha opinião, quando tentou, através de um comentário, não só de algum modo desmontar as “avaliações” das tais agências rating e os seus “critérios”, recordando-nos os perfis e suas ligações a certa Banca internacional, como mostrar as razões que lhes assistem para provocar o pânico económico-financeiros (por ser a Banca a elas ligadas que irá beneficiar com os juros elevados a cobrar aos países em crise), sem naturalmente deixar de reconhecer a situação difícil em que nos encontramos, mas fazendo uma análise objectiva e imparcial, sem emoções e histerismos. No fundo, não muito distinto daquilo que o autor deste excelente Blogue já o tinha feito, num outro Post, a propósito dessas agências de rating, aqui há um tempo atrás.
P.Rufino

Guilherme Sanches disse...

Short and sweet. Gostei. Mas gostaria de ter ouvido a entrevista completa.
Um abraço