terça-feira, 21 de abril de 2015

Olha!


Ontem, ao (re)ler o "Só", de António Nobre (para o que me dá!), deparei com este extrato do poema "A vida":

(...)

Olha essas rugas que têm certos diplomatas!
Olha esse olhar que têm os homens da política!
Olha um artista a ler, soluçando, uma crítica...
Olha esse que não tem talento e o julga ter
E aquele outro que o tem... mas não sabe escrever!

(...)

Paris, 1891

2 comentários:

Anónimo disse...

"Olha essas rugas que têm certos diplomatas". Nem todos...

Anónimo disse...

Isso é o Senhor Alcipe por uma pena... Ah!AhAh!

a) Feliciano da Mata, crítico pôs-moderno