sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Liberdade

No CCB, a Fundação Francisco Manuel dos Santos leva a cabo, hoje e amanhã, a terceira edição das suas conferências "Presente no Futuro", este ano dedicada ao tema "À procura da liberdade".

Há pouco, na TVI, a propósito do evento, uma voz em "off" afirmava durante o telejornal da noite: "Pior que o nível de impostos está a rigidez do mercado de trabalho e o peso do Estado na Economia. São estas as variáveis que hoje representam os maiores bloqueios à liberdade económica em Portugal". Em fundo, via-se um gráfico e a fonte que terá inspirado esta proclamação: Heritage Foundation.

A nossa liberdade está também na possibilidade do público incauto não ser "agredido", porque de uma agressão se trata, com uma proclamação deste género, em tom doutoral e como se de uma verdade inegável se tratasse.

A nossa liberdade passa também pela exigência do contraditório face à imposição deste "pensamento único". Há dois dias, na RTP, assisti, atónito, a um programa sobre economia com Camilo Lourenço, João César das Neves e uma terceira personagem, cujo nome não recordo. Cada um mais liberal do que o outro, os três interlocutores, sem um mínimo de respeito pelas opiniões contrárias às suas, passaram para o espetador conceitos e ideias mais do que discutíveis, em tom de teses definitivas. Isto numa televisão do Estado, paga com dinheiros de todos nós.

Há ainda um longo caminho a percorrer na preservação das nossas liberdades, como os exemplos acima bem o provam. 

10 comentários:

EGR disse...

Senhor Embaixador : o ambiente opinativo na RTP- e também na Antena 1- está irrespiravel.
Isto começa a estar perto do chamado "Estado Novo"
Ainda ontem o Senhor Embaixador se referia a uma outra vertente desta manobra de "lavagem" aos nossos cereberos.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Caro Francisco



Voltei à tua companhia; o Crónicas das Minhas Teclas está em “hibernação”, mas não para; (diz-me sff se gostas deste título e ou não gostas). Se for não, alvitra um título que eu analisarei e se entender que será melhor, o aceitarei. É, pois, um desafio que te lanço. Muito obrigado.

Mas por agora quero dar-te a informação de que já acabei o texto, o Leonel Gonçalves está a ver o dito e… a Raquel também. É uma mulher de armas, sempre pronta a ajudar-me!...

No dia 16 deste mês começa a edição: capa e miolo vão entrar na impressão e, depois, pensar na distribuição que seja a melhor. E a publicidade? O editor e eu estamos carentes de euros e será a que for possível com a participação de quem queira também publicitar junto das Amigas e dos Amigos, o que desde já agradeço muito. Vou ainda tentar junto da malta amiga da comunicação social que façam o que melhor entenderem.

Está a ser estudado o local do lançamento; tem de ser mais ou menos espaçoso e com boas condições. E não muito caro… Enfim, trabalha-se.

Espero um destes dias, dar-te uma novidade que me parece que será excelente...

Porém, neste interregno, voltarei a visitar-te e a comentar-te como é meu apanágio. E naturalmente a avisar-te sobre o local, o dia e a hora do lançamento. Quero-te lá: para te ver e/ou conhecer pessoalmente e ver…te comprar muitos exemplares rrrrrrsssss…

Abç

Este texto é único e vai repetir-se pelos blogues e comentadores e colabores que me têm acompanhado; infelizmente não posso avisar e comentar uma a uma ou um a um. Desculpem

Isabel Seixas disse...

Boa Sr. Embaixador, essa sua rebeldia diplomática genética é tão pedagógica...

Açaimes da liberdade

Nadamos, nos rios de águas, que se dizem
Livres,
e correm com ou sem pressa sempre para baixo,
fogem, da estagnação, da fome de víveres,
do lodo, mesmo a subir sobem pra debaixo,

As águas somos nós, em coreografias,
as descidas são as subidas fugas dos medos,
metáforas da água, contornar heresias
jogo das escondidas,sem pejo sem segredos...

Homens Sós sacudem de si a leviandade
metidas lá no plural as mulheres queixam-se
também com os homens, da falta de igualdade...

Oh...Que nervos, fazem de conta e amoicham-se
despojam riscos nos açaimes da liberdade
a qualquer preço!:::Punhados
de ego, vaidade...

Anónimo disse...

O Camilo Lourenço é mais um produto dos media e convencido que é o maior.

Isabel BP

Anónimo disse...

Acontece que nenhum político quer a liberdade: À esquerda querem ditar a economia pelo estado. À direita querem ditar o estado pela economia. Qualquer que seja conduz à corrupção.
E a "coisa" é bem simples: estado TOTALMENTE independente da economia de mercado. É difícil? Pois...
antonio pa

Anónimo disse...

o sultan kosen e maior


" He describes the advantages of being tall as seeing a great distance and being able to help his family with domestic tasks such as changing light bulbs and hanging curtains... "

e prestavel!

Helena Sacadura Cabral disse...

Francisco
Não podia estar mais de acordo consigo.
É, de facto, lamentável que o "serviço público" possa ser assim descrito.

Anónimo disse...

mas alguém duvida que há quase quatro anos que somos servidos pela verdade da banca?

Há alguma televisão onde o pluralismo seja uma realidade? Já perdemos a conta às dezenas e dezenas de programas debates de sentido único com Camilos Lourenços, Antónios Costas do DE e José Gomes Ferreira (esse mau que anda aí e não o decente).

Com o tempo lá se abriu um pedaço a uns episódicos ladrões de bicicleta, um ou outro octávio teixeira, mas aí sim sujeitos ao contraditório com os homens das Neves.

Anónimo disse...

e depois cai tudo em cima do serviço público, como se num país com a reduzida dimensão de mercado que Portugal tem seja admissível que as privadas façam informação engajada.

HY disse...

Pois, mas antes é que havia uma asfixia democrática... Agora, devemos ter uma espécie de democracia anaerobica....