quinta-feira, 22 de julho de 2010

"Slow limite"

"Grosses têtes" é um divertidíssimo programa radiofónico diário da RTL, que muitas vezes roça o "politicamente incorreto". Dirigido, desde 1977 (!), por Philippe Bouvard, é feito de questões muito diversas, colocadas pelo animador aos convidados, geralmente gente com muita graça e sentido de humor. Às vezes, são horas de grande gozo!

Há dias, um dos convidados, chamado a qualificar a canção "Et si tu n'existais pas", de Joe Dassin, saiu-se com esta: "No meu tempo, era chamado o "slow limite". Num baile, se com ele não se conseguisse 'sacar' uma namorada, então o caso estava perdido".

Aqui fica, para análise. ilustrada por uma imagem desviada dessa "Enciclopaedia Britannica" do romantismo que é o Criativemo-nos.

5 comentários:

Margarida disse...

E se eu andei apaixonadíssima pela voz do Joe Dassin!...
Começou cedo, o pendor romântico.
Que encantadores tempos, esses, que doçura tão naïve, que bom sonhar.
E confesse lá que não há nada como uma boa melodia...'limite'...
:)))
" "Enciclopaedia Britannica" do romantismo" ?
Essa medicação está muito forte, não é?!
lol!... continuação de francas melhoras, excelência.

Helena Oneto disse...

Nos meus teen, os namoros começavam invariavelmente com "slows". Alguns chegavam mesmo ao "limite":)!

Anónimo disse...

limite?!!!
Isabel Seixas

Helena Sacadura Cabral disse...

Deliciosas Helena e Margarida. E fabulosa a nomenclatura de Enciclopedia Britânica do Romantismo. Na mouche!
Ao contrário, a mim a voz do pequeno deixava-me sérias dúvidas sobre outras qualidades igualmente apreciáveis. Sou mais do gang Sinatra e Tony Bennet. Ou Aznavour, Yves Montand ou Jacques Brel. É um outro conceito de "romantismo"...

Isabel Seixas disse...

http://www.youtube.com/watch?v=ul6ZykXP4U0