domingo, 12 de fevereiro de 2017

No inverno

Continuando num registo de roupa, ontem brincava com um amigo a propósito do seu magnífico sobretudo bege, coisa "fina", da "Burberry", que devia ter custado uma nota.

E lembrei-me da história que o meu amigo Chico Trindade Lopes costuma contar, sobre uma figura popular de Viana do Castelo, dos anos 60 e 70.

Era o Vilaça, "chofér de praça" que parava na avenida central da cidade, creio que em frente ao "Viana Mar". O que mais distinguia o Vilaça era a sua voz rouca, cava, em que dizia graçolas num tom inconfundível e único. O pessoal mais novo mandava-lhe umas bocas, a que o Vilaça reagia à sua maneira, às vezes um tanto bruta.

Um dia, no tempo frio, o Vilaça surgiu com um longo sobretudo azul, comprido, de grande estilo. A surpresa geral com aquele novo adorno do Vilaça, que contrastava com a modéstia da roupa do resto do ano, foi imensa. O sobretudo era mote para graças, mas o Vilaça não se deixava abater com elas. E, naquela sua rouquidão funda, o Vilaça respondia, forte e desafiante, ao pessoal: "No inverno é que se vê quem tem roupa!". E arrumou a conversa! Grande Vilaça!

4 comentários:

Anónimo disse...

No próximo inverno vai se ver quem ainda tem roupa na UE depois de Juncker anunciar querer retomar a sua semana, a tempo inteiro e não até 4a.feira, na sua quinta, no Luxemburgo. A sua quinta continuará, pródiga. A UE talvez não, com Fillon, qual Hillary a ser acusado pelo Parquet à boca das eleições. O 5 estrelas, em Itália, dará cabo do resto e Martins da Cunha, solene, virá profetizar o novo eixo Lisboa Washington.

Anónimo disse...

Eu diria: e no Verao e que se ve quem tem corpo para poder nao a ter...E politicamente incorrecto mas por aqui "Faz Frio"!!!!!!Cai neve mas nao pega no passeio molhado

Cumprimentos

F. Crabtree


José Alberto disse...

"No inverno é que se vê quem tem roupa!". Concordo com o Vilaça!
"no Verao é que se ve quem tem corpo para poder nao a ter..." Concordo a opinião de F. C.
Acrentaria ainda que no Verão é quando aparecem as maiores aberrações de roupa supostamente aligeirada, mas que eu diria de forma mais apropriada "afoleirada". JM

dor em baixa disse...

Quando alguém se lembrava de envergar calças brancas apanhava logo com o remoque: calças brancas em janeiro - sinal de pouco dinheiro"