terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Pensar Portugal

Ao tempo em que ainda vivia em Paris, fui convidado por Miguel Lobo Antunes, diretor da Culturgest, a integrar, quando regressasse definitivamente a Portugal, um grupo que se dedicava a refletir sobre a sociedade portuguesa e o seu futuro. O objetivo do grupo era exclusivamente esse: pensar de forma aberta, sem qualquer espartilho político-partidário, alguns problemas centrais do país, dando especial atenção aos constrangimentos ao seu crescimento, quer na área económica quer na estrutura do Estado, agregando para tal as contribuiçōes externas tidas por interessantes.

À época, para além do próprio Miguel Lobo Antunes, compunham o grupo Fernando Bello, João Ferreira do Amaral, João Salgueiro e José Manuel Felix-Ribeiro. Com o tempo, juntaram-se-nos João Costa Pinto, Lino Fernandes e Júlio Castro Caldas.

Para além de vários debates organizados na Culturgest, abertos ao público, onde intervieram deputados europeus e muitas outras personalidades, o grupo produziu documentos, que vieram a ser publicados na imprensa, com contributos que, frequentemente, refletiram o saldo de audições feitas a diversos especialistas, num espetro de opiniões sempre muito alargado. Todos os documentos produzidos pelo grupo podem ser consultados no blogue Pensar Portugal (www.pensarportugal2016.blogspot.com).

Hoje, o "Jornal de Negócios" publica o primeiro de dois novos textos do grupo, subordinados ao tema "Mudar de Vida ou a Economia portuguesa na Globalização". Esse primeiro texto pode ser consultado aqui.

1 comentário:

Anónimo disse...

A não esquecer:

Um novo Tratado de Tordesilhas a concretizar-se.
Agora, 500 anos passados, a Ocidente com um Meridiano alí para os lados dos Açores. Açores que aliás tanto poderão ficar do lado Euro/Ásia, como do lado dos EUA modelo Trump.

A Ocidente, Europa, Portugal. Com secular paciência, como é timbre, o capital, o poder Chinês, continua a estabelecer-se, a cercar. Ao lado disto a invasão da Europa pelo Islão é amendoim. Dividir para reinar ?.
Em África, mal ou bem, "money talks", também.

A Oriente o domínio do Mar da China e do Pacífico é uma óbvia jogada já em avançado estado de execução. De que lado ficará o Hawai?. Veremos. Afinal, nada de novo.

Visão teve o ex-PR da C.M. de S. João da Madeira, Castro Almeida. Aprendam, aprendam.