terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Frete

Acho lamentável que a RTP convide para comentar na RTP 3, depois da entrevista do primeiro-ministro, apenas e só jornalistas que, manifestamente, adoram António Costa. 

Assim não!

17 comentários:

Anónimo disse...

Quando me apercebi que os quatro batiam na mesma tecla, mudei de canal. Era uma perda de tempo continuar....
Atenciosos cumprimentos

Anónimo disse...

Inteiramente de acordo, Sr. Embaixador. Acabei por não acompanhar o programa porque me apercebi que estavam todos em sintonia
Cumprimentos

Francisco João Rodrigues Rodrigues disse...

ASFIXIA DEMOCRÁTICA!

Rui C. Marques disse...

Carissimo Francisco,como aprecio o blog.

Anónimo disse...

Eu também odeio isso. Tem de existir as duas partes qb.

Acho que a sic noticias é melhor nesse aspecto. Faz até mais serviço publico que a propria Rtp. Mas até a Sic noticias que eu tanto gostava esta insuportável neste momento. So falam de futebol futebol futebol, com intervalos intermináveis de propaganda. Estou a odiar isso.
Já não se pode!
vw

Anónimo disse...

É preciso que a coisa se torne pornográfica para que se repare numa realidade que a brincar a brincar tem mais de dez anos.

O embaixador inocente até já aqui elogiou uma que faz leituras destas:

http://jugular.blogs.sapo.pt/fascinante-3928351

Acha que há algo de novo nestes movimentos? E o PS ajudou a escancarar-lhes a porta, com Augusto Santos Silva e Arons de Carvalho.

Depois queixem-se que metade da análise à entrevista seja feita por David Dinis, assessor de imprensa do primeiro-ministro Durão Barroso, e por José Manuel Fernandes, comissário da invasão do Iraque no Publico e cúmplice da inventona das escutas de Belém.

Apesar das simpatias pelas dores da CIP, da Troika e do senhor Schauble, Helena Garrido sempre está convencida de que é isenta e não manchou as mãos de sangue. Já Garcia sofre dos defeitos dos poucos jornalistas antigos e tendencialmente democratas que se mantiveram nos jornais (embora não tenha percebido os motivos que fazem com que a sorte de ficar lhe tenha calhado a ele - pelo menos até recentemente)

Anónimo disse...


6 de dezembro de 2016 às 11:48,

A SIC melhor? Ui, as coisas que se lêem.

E atenção à qualidade do português. Não é "a Sic noticias que eu tanto gostava"
É a "a Sic noticias DE que eu tanto gostava".

A sintaxe no caso vertente é "gostar DE", gaita. Que o verbo gostar nessa frase está no sentido de apreciar algo. É transitivo indirecto.

No sentido em que o usou é transitivo directo e dá a impressão que está a lamber o canal. A gostá-lo, a degustá-lo como se faz a um vinho.

Aprendam, leiam mais. Ganhem ouvidinho para a prosódia. A sintaxe do português não é uma batata. Os transitivos indirectos têm relação com o complemento de objecto indirecto e na sua relação o verbo e o complemento são regidos/ligados por uma preposição,

Anónimo disse...

O que me espanta é a Ana Lourenço ir nessa. Ou foi ela também culpada da situação? Está a perder as qualidades que a caracterizaram na SIC Notícias.

As Bombinhas da Catrina disse...

Agora na geringonça Costista tudo está em grande.
Já temos alunos melhores , sem greve de professores.
Um ano sem greves, os alunos melhores da Europa são os nossos.

fernando Pimenta disse...

Com o enorme respeito que nutro pelas suas habituais opiniões, permito-me discordar do seu comentário acerca das relações de amizade de jornalistas com o 1º Ministro. O que eu assisti foi a uma ignorância total de um pseudo jornalista de Economia, André Macedo, que acaba por levar uma lição de contabilidade de um advogado, 1º Ministro. Assim, e pasme-se a qualidade e a preparação dos nossos jornalistas, o tal André Macedo achava e formulou em televisão essa sua convicção, que o registo contabilístico de imparidades anulava e "apagava" o direito de regresso dos empréstimos concedidos!
Realmente, António Costa, esperto, arrumou André de imediato; aliás pouco mais pudemos ouvir a sua voz, felizmente.
Quanto a António José Teixeira e no meu ponto de vista utilizou a sua habitual fleuma e educação.
Portugal vive desde 1974 numa crise económica inultrapassável que obviamente se repercute num endividamento financeiro incomportável.
O Pais, a opinião publica, o povo, precisam de jornalistas que entendam Economia e Finanças.
Fernando H. Pimenta

Anónimo disse...

Excelente texto.

Anónimo disse...

6 de dezembro de 2016 às 12:54,

Veja
http://jugular.blogs.sapo.pt/fascinante-3928351
e mude de opinião quanto às qualidades de Ana Lourenço.

Anónimo disse...

O texto é pequeno. Ah, pois é!... Para bons entendedores, 1/2 palavra...

Anónimo disse...

"6 de dezembro de 2016 às 12:19" - o seu comentário é delicioso e oportuno. Só lamento que a maior parte das pessoas não o tenha compreendido. Não é só saber; é preciso saber transmitir o que se sabe.

Abraço!

Anónimo disse...

Uma vergonha!Nem vale a pena ouvi-los pois já sabemos que falarão sempre mal de tudo. São mesmo escolhidos a dedo!

Anónimo disse...

Para o anónimo de 6 de dezembro de 2016 às 12:19: delicioso!
Que maravilha!
Digo eu de que..

Anónimo disse...

"Ganhem ouvidinho para a prosódia"

....