domingo, 2 de junho de 2013

Declaração de inveja

Agora sim! Encafuado por algumas horas num "lounge" do aeroporto de Charles de Gaulle, esperando um avião para leste, e ao olhar, lá fora, o belo sol parisiense, revelo a minha assumida inveja pelo que deverá ser o ambiente, a alguns quilómetros daqui, no Jardin du Luxembourg. 

Só posso desejar que os meus amigos de Paris aproveitem o que por aí vier de verão, depois de todos estarmos a atravessar o longo inverno do nosso descontentamento. Em Portugal, finalmente!, parece que já há sol, talvez porque a "troika" ainda não consegue controlar isso. Ou talvez seja, como diria a Simone, o nosso "sol de inverno". 

8 comentários:

Alcipe disse...

Aqui na Alsácia, nem queiras saber...

Julia Macias-Valet disse...

Jardim do Luxemburgo ???? caro escriba !!!

Estamos mas é a arejar as casas e a limpar o bolor de dentro dos armários...

:)))))

Anónimo disse...

O Inverno, a Primavera, o Verão e o Outono do nosso descontentamento!
Muito dramático era o de Steinbeck só com uma estação, que diremos do nosso com as 4 estações?...
MT

Anónimo disse...

Alors Roland Garros?

Julia Macias-Valet disse...

Caro MT,
A propósito do clima e das estações do ano, ontem à noite durante o jantar numa pizzaria pus a malta toda a rir quando fiz a seguinte observação...altamente filosófica :

"Je me demande si à moyen terme, le changement climatique finira par avoir des conséquences irréversibles sur les pizzas 4 saisons !"

Francisco Seixas da Costa disse...

Boa malha, Júlia. Um abraço (já) da Polónia.

Anónimo disse...

Saudades de Vivaldi...

Na Gulbenkian o grande auditório vai ser adaptado às exigências dos amantes das estações.

Luxemburgo, Gulbenkian e Serralves, que alegria e fruição do belo...

Saudações.

Guilherme.

João de Deus disse...

Senhor Embaixador, na Suíça não há troikas, mas também não houve primavera e o verão se verá. Dizia-me alguém, há dias, que por aqui o verão será "numa Terça-Feira". Ao que respondi que não, que o verão será "para o próximo ano". Parece que a Europa está realmente toda no "mesmo barco" (financeiro e climatérico). Um abraço amigo (PS: que belas recordações de infância me trouxe à memória, no Jardim do Luxemburgo...)