quarta-feira, 30 de novembro de 2011

1º de dezembro

20 comentários:

Anónimo disse...

porque sera que esta foto me evoca o 5 de outubro?...

:)

bh

Anónimo disse...

Viva!W.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Um destes dias tiram-no-zo-lo. Há gente capaz de tudo. Por essas e por outras é que penso - e digo - que o Miguel foi muito mal defenestrado...

patricio branco disse...

dificil para mim perceber a escolha da foto a não ser que com o fim do feriado comece uma nova fase da republica que cada vez menos é republica. Temos uma regencia como governo mas a autoridade superior está fora. E a nossa identidade perde-se, dilui-se, que é portugal hoje?
Nada se vai notar de benefícios com o sacrificio do feriado, não vou com historias de menos feriados e mais 1/2 hs, apenas mais tristeza colectiva é o que vem.
Não, não houve libertação, estamos subjugados como nunca e perdemos definitivamente a soberania.
Culpa nossa, dos mercados, do €, da especulação, dos maus governos, da crise internacional? sem duvida que muita da responsabilidade está cá dentro. E agora a levantar-se cedo e a trabalhar no 1º de dezembro e em mais 3 feriados que a solução está no stakanovismo à portuguesa.
Continuarei a olhar para a foto, num bom exercicio de reflexão e meditação sobre a nossa historia e o presente.

Anónimo disse...

Acabo de recordar o "Hino da Restauracao" que no meu tempo de liceu tinhamoa que cantar nesta data.Consultando a net encontrei varias versoes, incluindo uma para karoke.

Aqui deixo o covite para visitarem, cantarem etc. Por mim ja trauteei o hino ao telefone a um amigo em Lisboa que me diz ter o hino da Maria da Fonte em contrapartida.

Qui em Londres o sol brilha para todos nos.

Saudacoes

F. Crabtree

Portugalredecouvertes disse...

A nossa memória colectiva ainda vai ficar mais baralhada!
sem os feriados ou com eles "à inglesa" deslocados para a 2ª ou 6ª!

Helena Sacadura Cabral disse...

Saudemos, Senhor Embaixador o 1º de Dezembro e o que ele significa na memória viva de todos nós.
Agora vivemos dominados não pela Espanha mas por um eixo europeu que, infelizmente, encontrou outra forma de domínio pátrio...
Quanto à foto, julgo que basta estar atento ao que pensa para descortinar a escolha!

Fada do bosque disse...

Um Povo sem Memória é um Povo sem História. Tristemente, estão a apagar essa Memória dia após dia.
A finalidade?... (...)?

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Dra. Helena Sacadura Cabral: a minha preferência sobre esta questão tinha ficado expressa aqui: http://duas-ou-tres.blogspot.com/2011/11/feriados.html

Fada do bosque disse...

... e um Povo sem História é um Povo Escravo.

Estamos num Estado laico ou religioso?!

Anónimo disse...

Também hoje temos os nossos Miguéis de Vasconcelos e não há quem falte neste país que nos venda à União Europeia ou ao capital global em troca de trinta dinheiros ou um lugar à sombra!

Há que recuperar novamente a independência nacional.

Anónimo disse...

Não concordo com o fim do feriado do 1º de Dezembro, por ser um dos feriados civis mais importantes da nossa História, para além de ser o mais antigo.

Os governantes portugueses entraram na fase da histeria do "corte" (cego!) para fugir aos verdadeiros motivos que nos levaram a esta situação (privilégios dos políticos e gestores públicos).

Isabel BP

Fada do bosque disse...

São bem mais interessantes estes novos "valores" que os "nossos governantes" estão ávidos de difundir. Vergonha das vergonhas.

Fada do bosque disse...

Gostei muito desta achega de um amigo blogger:

"Não acredito que o texto do Tratado de Lisboa
(que entrou em vigor em 1 de Dezembro de 2009) contenha palavrões.
Admito que a palavra incompleta seja "funcionem".
Como todos sabemos, das expressões usadas, a mais grosseira foi "porreiro pá"...


Acreditem que estou dividido. Dividido por já não saber a quantas ando e a quantos hei-de eu andar. Não sei a quantas ando: não sei se a data que hoje se assinala tem a ver com 1640, com 2009 ou com data já planeada para aquilo que vai (inevitavelmente) acontecer. Sim, porque não restam dúvidas que haverá a Restauração da Independência que agora mesmo nos foi tirada. Duvido que seja violenta. Não é por nada, é porque, feitas bem as contas, faltarão andares suficientemente altos para deles atirar os milhentos "Miguéis de Vasconcelos" que se fazem passear por todos os paços, outros espaços e corredores do poder. Esse poderá ser um futuro novo feriado Nacional. Que venha."

http://conversavinagrada.blogspot.com/2011/12/restauracao-qual-restauracao.html

Helena Sacadura Cabral disse...

Senhor Embaixador
Lembro-me bem desse seu post e também do comentário que fiz no mesmo.
Mas que a escolha duma foto ilustra a nossa preferência por ela, é um facto.
Assim, com esta, valorizou num só post o 1 de Dezembro e fez lembrar a alguns o 5 de Outubro. Como prezo ambos, dei à foto esta subtil invocação!
:))

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

Não concordo que o 1º de Dezembro deixe de ser feriado. Ao contrário do 5 de Outubro, que é uma data que divide os Portugueses, o 1º de Dezembro é uma das unicas datas que une os Portugueses à volta da restauração da sua independência

Deixo-os com esta mensagem

http://www.youtube.com/watch?v=PQCEvbF81xA&feature=share

Anónimo disse...

este feriado é de dia de finados.

Todos, honestamente, sabem da rebelião da Catalunha...

Para muitos este é o dia mais triste do ano.

Coitado do Miguel.

Muitas, muitas saudades de Natália "Botequim" Correia.

Anónimo disse...

ERA UMA VEZ

...é de coragem que se fala
quando a coragem nos falta
pra outra restauração
outros "filipes" nos tiram
a vontade de escolher
o que "ser" como nação...

um dia, alguém há-de ouvir de novo
a nossa voz
e os valentes conjurados
vão ter orgulho de nós
-----------------------------------
(Quando? não sei)
por enquanto vou trauteando o hino!

WIZ KWACHA KWACHA VENCEREMOS? disse...

Foi aquela data há 371 anos, em que o fisco não tinha ainda desses calhambeques e era castelhano?
Em que atiraram um bode expiatório pela janela para que os fidalgotes locais que tinham dívidas ibéricas, graças aos créditos reais e à parte do saque nacional, tomaram por bem escolher um monarca mais nacionalizado para o reino de Portugal?
Se foi esse o caso, o poviléu que deu a vida em Montes Claros e pagou impostos a triplicar para que a fidalguia nacionalizada tivesse mais fumos das índias para esfumar.

Perdoai mas acho que vossa senhoria não viu as terras da raia onde se cantam loas ao rei de espanha e se vê a TVE
e se trabalha por pensões e impostos à espanhola?

Acho que é um feriado só popular para ir comprar gasoil em Ayamonte e em Badajoz

Anónimo disse...

É possível ser-se contra "o espírito do 1º de Dezembro" mas a favor do seu feriado?

É claro que é. Basta ser-se do contra.