segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Almoço

Há almoços gratificantes. Foi o caso de ontem, aqui em Paris. Memórias de vidas muito diversas, cruzadas por imagens de amigos ou conhecidos mútuos, recuperação de episódios vividos ou escutados, num fundo de sentimentos subliminarmente partilhados, numa sintonia geracional construída através de percursos diferentes, por onde desfiaram coisas da política e dos vários trilhos cívicos de gentes de hoje e de outros tempos, no culto algo anárquico daquilo que um autor brasileiro qualificou bem como "as minhas histórias dos outros". No fundo, são momentos como esses que, um dia, nos levarão a dizer: "lembras-te daquela bela almoçarada, com fulano e beltrano?". Afinal, as coisas boas da vida podem ser bem simples. Haja saúde. E fraternidade, claro!

7 comentários:

Lucia Luz disse...

Acredito mesmo que as melhores coisas dessa vida são as coisas simples. Nela está a beleza.
Boa noite!

Isabel Seixas disse...

"Fraternidade, claro!" In FSC
Até porque o menu do dia é de Todos os santos...

Anónimo disse...

é... lindo texto.

Portugalredecouvertes disse...

é verdade que um almoço pode ser um momento privilegiado para um bom convívio

sem ser necessário recorrer a grandes despesas, e resistindo às tentações do "senhor das moscas" Belzebu e ao não menos poderoso Baco!

ZéBonéOaparvalhado disse...

Senhor Embaixador - Passei à porta do seu Blog e era meu dever de o cumprimentar.

Helena Sacadura Cabral disse...

Senhor Embaixador
Belo texto.
Depois dos filhos - para quem os tem e os ama - os amigos são um bálsamo para os momentos maus e uma redenção para os bons.
Eles são, em muitas ocasiões, a família que já se perdeu ou se não tem.
E é muito verdade que as coisas boas da vida podem ser as mais simples. Felizmente, para quem sabe aprecia-las, como é o seu caso!

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Dra. Helena Sacadura Cabral: creio que, se tivesse estado presente nesse almoço, se teria divertido imenso e poderia ter enriquecido bastante a conversa.