quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Origens

Desde há uns meses, a Renault tem como seu diretor-geral delegado, correspondente a nº 2 da empresa, mas a quem cabe a gestão executiva, o português Carlos Tavares, um reputado quadro internacional, vindo da indústria automóvel americana.

A revista económica "Challenges" dedica-lhe hoje quase duas páginas, desenhando o seu perfil e entrevistando-o sobre o que pretende vir a fazer naquela que é uma das "jóias" identitárias da indústria francesa, recentemente abalada por alguns problemas.

No passado, quando o nome de Carlos Ghosn, o PDG da Renault, era citado na "Challenges", recordo-me de aparecer uma frequente referência à sua nacionalidade brasileira. Agora, ao falar-se de Carlos Tavares, um homem que sei que tem grande orgulho nas suas origens lusitanas, nem uma palavra sobre o país e a cultura de onde é oriundo.

Curioso, não é? Tanto mais que Carlos Tavares, como bem sabemos, está longe de ser o primeiro português a trabalhar na Renault...

21 comentários:

jj.amarante disse...

Só confirma o meu preconceito que uma grande quantidade de franceses tem o preconceito que Portugal não existe. Atribuo isso ao carácter mais continental da França. Quer a Inglaterra quer os EUA, tendo sido ou sendo talassocracias, costumam ter um pouco mais de consideração por Portugal.

Celso R. disse...

Também pode significar que os Portugueses são um povo que se integra tão bem que a sua nacionalidade não desperta atenção.

catinga disse...

Nada disso, apenas realça a forma maravilhosa como nos integramos, não somos de "capelinhas" e temos uma alma globalista. Um português é, acima de tudo, um cidadão do mundo. Conta a xenofobia e o nacionalismo, sempre!

Não concordo mas resolvi antecipar-me ao habitual discurso do "não há problema".

catinga disse...

Oh raios... o meu comentário chegou atrasado :))

Helena Sacadura Cabral disse...

Feliz ou infelizmente, Celso tem razão. Acresce que, a nível mais baixo, em Portugal reclamamos e em França ou Alemanha não piamos e trabalhamos!

Helena Sacadura Cabral disse...

Senhor Embaixador
Também temos cá outro... que andou com falta de vista, mas que continua sem ir ao oftalmologista!

Aclim disse...

Obrigado por colocar os brasileiros nas "capelinhas" de vcs.

E porque o tão famoso português não falou de seu país? Esqueceu que é português?

Eu tenho descendencia portuguesa por parte de pai, mas vamos combinar...


Abraço

Anónimo disse...

quando o filho do carroceiro se torna mais importante que o filho do sr conde.

nao creio ser o caso aqui.
mas retrata uma certa mentalidade aristocratica que existe tanto em portugal como em franca, mas que existe menos em regioes ou paises mais burgueses ex holanda/catalunha.

nao é muito afinado mas parece interessante comparar as matrizes esquerda / direita em relacao ao tipo mentalidade em que estao inseridas.


de qualquer maneira frança nao parece ser um pais onde seja aceite com toda a naturalidade a existencia de um ceo magrebino ou africano; e portugal tambem nao. infelizmente.

Anónimo disse...

Permitam-me que levante aqui uma hipótese bem mais que provável: o homem tem vergonha de ser português e por isso esconde a nacionalidade ou evita de falar dela.

Isabel Seixas disse...

Qualquer não divulgação das origens é uma perda para quem não a faz e para quem não fica a saber...

Tão comesinha essa questão da vergonha da filiação como se a pertença por inerência fosse uma questão de proatividade...

A deteção do estigma de ser olhado de lado devia gerar a mesma resposta ou seja o mesmo olhar...

Mas também nem todos estão Mourinhos...

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Anónimo das 22:05: Carlos Tavares, como referi no meu post, é um homem que sempre tem afirmado, com orgulho, a sua qualidade de português. Não vá por aí, o problema é outro...

Mônica disse...

Francisco
Mas da imprensa não se esconde nada. Uma hora vão comentar, voce vai ver!
com carinho Monica

Julia Macias-Valet disse...

"White collars" versus "Camboui" !

Julia Macias-Valet disse...

...ou tactica discreta d'outro Carlos,... o Goshn de criar uma pequena CPLP...

Afinal o "português" ça roule... ; )

Helena Oneto disse...

Os franceses gostam de tudo que é exótico e de exótico os portugueses só têm o fado.

Fada do bosque disse...

Desculpe a intromissão Julia Macias-Valet, mas faz-me sentir muito estúpida... acabo porque quase nunca percebo os seus comentários... :(

Julia Macias-Valet disse...

Oh Fada ! Longe de mim querer magoa-la. Gosto de brincar com as palavras : )) acho que elas têm som, imagens, cheiros...

Eu posso "traduzir" o que quis dizer...
Muito provavelmente ando aqui a escrever ha anos e ninguém percebe nada do que digo...e nunca ninguém teve coragem de me dizer !? Caro escriba, se assim for esteja ha vontade...e caneta azul ; )

catinga disse...

Fada,

Tem toda a razão. Mas a Júlia não é, nem de longe, a melhor representante dos comentários "crípticos".


Julia,

Acabou por não "traduzir". :)

Julia Macias-Valet disse...

Ontem à noite fiquei sem cobertura Wi-Fi : (( pelo que tive que armazenar o meu comentario.

Dizia eu, querida Fada...

Post das 23:12
que se trata aqui de uma oposiçao entre duas classes, de um lado "os colarinhos brancos", os dirigentes e de outro os "mecânicos tayloristas". Todos portugueses...mas de "paises tao diferentes"....
Como dizia a Helena Oneto e muito bem. Somos um povo considerado muito pouco exotico. Para os franceses continuamos a ser, so e apenas, um povo de "femmes de ménage" e "maçons" ! Os jornalistas têm aqui uma grande culpa porque continuam a fomentar esta imagem.
Dizer aos franceses que os portugueses nascidos em Portugal vêm para França para dirigir empresas ou ocupar lugares que estao à partida destinados às elites académicas deste pais...seria destabiliza-los !

E sei do que falo...

Catinga, esta deixa agora foi enigmatica ; )

PS "Camboui" ? Os mecânicos têm as maos sujas de "camboui": oléo, sujidade preta do motor, das rodas, etc

Post das 00:48
Carlos Goshn é brasileiro. Carlos Tavares é português.
Em Boulogne Billancourt (cidade colada a Paris...assim como Benfica e Lisboa) onde nasceu a empresa Renault vêem-se aos sabados de manha grupos de portugueses às esquinas dos cafés a conversar : ) Também se vêem muitos africanos...
Quem sabe se o PDG (Carlos Goshn) nao esta a tentar discretamente criar dentro da Renault uma Comunidade dos Paises de Lingua Portuguesa !?

Pelo que eu concluo que a lingua portuguesa esta a avançar em França ! Afinal nao se esta perdendo como muitos pensam, esta-se provavelmente organizando de outra forma um pouco mais "subversiva" : ))

Eu até nao me importo que os Bosques se zanguem comigo...eu sou mais Planicies ! Mas que as FADAS nao me abandonem, por favor !

Catinga, ja agora quem é que me anda a fazer concorrência ??? Uhmm

PS So mais uma coisinha : )

Costumo fazer 3 tipos de comentários :

- Os "sérios" ;
- os dirigidos apenas ao nosso escriba ;
e por fim
- os que respondem ou poem questoes aos outros comentadores ; )

Afinal 4 !
- os que enviesam completamente o rumo que o nosso anfitriao esperava : ))))

Fada do bosque disse...

OH que grande canudo!! O que eu fui para aqui arranjar!!

Catinga,

Não era de todoa a minha intenção, ter feito um comentário passível de mais do que uma interpretação! Vai daí, CASTIGO... com a pressa porque me chamavam, esqueci do mais importante: agradecer à Júlia a amabilidade da sua resposta! Chama-se a isto, meter o pé na argola, como me acontece frequentemente!...

Mensagens da Júlia, encriptadas só mesmo para mim penso eu... nortenha de alma, minhota de coração ainda da velha "ordem", o que diz é objectivo e tem por costume falar com o coração.

Ainda e com todo o gosto Catinga, a minha interpretação do comentário da Júlia dirigido a mim:

"Oh Fada ! Longe de mim querer magoa-la." : Fiquei emocionada com a sinceridade e amabilidade desta mensagem.
"Gosto de brincar com as palavras : )) acho que elas têm som, imagens, cheiros..."
Causou perplexidade pois só uso as palavras de forma muito prática, como deve ter constatado. Lá se vai a poesia... não mora com a fada... :)

"Muito provavelmente ando aqui a escrever ha anos e ninguém percebe nada do que digo...e nunca ninguém teve coragem de me dizer !?"

Esta foi demais e levou-me a pensar... não, não, não, Júlia... o defeito é meu, pois os outros entendem, respondem e mantêm um diálogo a que não tenho acesso. :(

A do lápis azul e do escriba, fez-me chorar de riso!! :)) Imaginei a reacção do Sr. Embaixador a ler isto!! :)))

... Não agradeci à Júlia que me causou tantas emoções, num pequeno comentário dirigido a mim... por isso a minha resposta- "assim vale a pena!" :))

Júlia, Minha Querida.

Obrigada pela sua amável resposta...:) a explicação foi acima, mas penso que o meu comentário não deixa margem para dúvida, espero.

Obrigada pela tradução! :)
Sabia que a Júlia leva mensagens nas suas palavras... mas, como pode dizer tanto com tão pouco?! Sou mesmo de outro planeta!! :(
Se estivesse ao pé de si, o que é uma lástima assim não acontecer, tinha pedido para lhe dar um abraço! :)

Um abraço terno de uma fada deveras malfadada, dos Bosques e por isso um pouco rude, para uma Pérola das planícies!
Mais uma vez, obrigada

p.s. estarei atenta á sua classificação dos comentários! :)))

Fada do bosque disse...

Ué?! que é do meu 1º comentário em resposta à Júlia?!
Sr. Embaixador, já é o 2º comentário meu, que não aparece...
Espero que este último não tenha perdido o nexo... :( enfim, a culpa é da drª Helena S.C. que anda para aí a dar na corneta das fadas! eheheheheheheh!!! :))