sexta-feira, 11 de março de 2011

Gastronomia portuguesa

Foi há já quase quatro décadas que visitei, pela primeira vez, o restaurante viseense "O Cortiço", onde, à época, proponderava a figura jovial e acolhedora de "dom" Zeferino, entretando desaparecido. Depois disso, sem regularidade mas sempre com muito gosto, passo, às vezes, por lá.

Hoje, vim encontrar essa excelente cozinha beirã na inauguração da semana gastronómica que a Rádio Alfa, em Créteil, nos arredores de Paris, organiza desde há sete anos, e à qual traz expoentes da restauração nacional.

Esta iniciativa do comendador Armando Lopes, uma personalidade central da comunidade portuguesa em França, onde chegou fará este ano meio século, constitui uma inestimável colaboração para a divulgação da boa culinária portuguesa neste país.

4 comentários:

patricio branco disse...

há decadas que ouço elogios ao cortiço, mas nunca tive o gosto de entrar e provar.Fui pouquissimo a viseu.
Em évora existe outra casa de trajectória semelhante, dos anos 60 "o fialho", hoje historico, é tudo, na minha opinião.
Há restaurantes que param no tempo, cristalizam, mantêm durante décadas a mesma carta, não sei se é o caso do cortiço, mas acontece em muitos outros de prestigio, incluindo no anterior tavares e outros.
Que a gastronomia portuguesa se continue a divulgar em frança.

Anónimo disse...

Não tenho o privilégio de conhecer "O Cortiço", mas conheço o comendador Armando Lopes e é, sem dúvida, um dos expoentes da comunidade portuguesa em França.

Isabel BP

Helena Sacadura Cabral disse...

A gastronomia portuguesa não é, infelizmente, devidamente divulgada no estrangeiro. Porque a maioria dos nossos governantes nem sequer percebe que "a comida" diz muito do povo que a executa, da sua história e da sua cultura.
Hoje os Chef são pessoas cultas, historicamente informadas e com nível cultural muitas vezes superior àqueles que consomem o que eles preparam.
Pessoalmente tenho o maior orgulho e gosto em escrever e investigar sobre o tema. E se a minha biblioteca de economia já não é má, a da gastronomia não lhe fica atrás.
O Fialho e o Cortiço são dois bons exemplos do cardápio nacional e fazem jus às minhas costelas alentejana e beirã. Duas terras onde a comida é excelente.
Portugal só tinha a ganar em dar-se a conhecer neste campo. Porque somos realmente muito bons!

Anónimo disse...

O meu caro embaixador não nos avisou disto:

http://www.jervispereira.pt/WebRoot/Store/Shops/jervis_002E_pereira/MediaGallery/20110303_PremioProvePortugal.pdf

Não se faz! Um abraço

CSC