sábado, 26 de março de 2011

Dois Portugais

Ao olhar para o "Expresso" de hoje, titulado e escrito no tom lúgubre que marca a generalidade da imprensa portuguesa, onde se escreve como tudo é ainda relativamente bom face ao pior que está aí para vir, dou-me conta da existência de um outro Portugal, que já ninguém nota (explicitamente), mas que anda por aí (subliminarmente) na força de uma publicidade (que é muito cara) que só existe porque há, com toda a certeza, um mercado seguro para o que anuncia. Senão vejamos: 

- rodapé na 1ª página: "Procura casa nova? Abra a porta" - Barclays's
- metade da página 7: "Católica Executive Education, Lisbon"
- 1/4 da pag. 9 - "Acredito numa poupança que enche à minha vontade" - Banif
- metade da página 11 - relógios Louis Vouitton
- toda a pag. 13 - Mercedes-Benz
- toda a pag. 15 - Barclays Wealth
- toda a página 17 - moda Sacoor
- toda a pag. 21 - Millenium BCP
- toda a pag. 24 - Banco Espírito Santo. 
- etc, etc.

O que é que isto quer dizer? Sei lá! Isto, bem como nas filas de ontem para o iPad 2, talvez queira apenas significar que há um Portugal bem conhecido que (ainda) espera por nós.

10 comentários:

Anónimo disse...

Na mouche...
Isabel Seixas

de qualquer forma a sra... A quem dou boleia, leva a receita 1º a saber quanto custa só depois decide se vai aviar a receita...

Pois...
Isabel seixas

Julia Macias-Valet disse...

Li a noticia na terça-feira passada (22/03) nas paginas cor de salmao do LE FIGARO économie mas é a versao on line do Libération (com a escultural Gisele Bundchen !) que vos deixo descobrir :

http://www.liberation.fr/monde/01012327118-pekin-interdit-les-pubs-de-luxe

PARA GRANDES MALES...GRANDES REMÉDIOS !

Helena Oneto disse...

Sem duvida que ainda há, como sempre houve, fieis clientes (+ ou - 15%, em Lisboa e 25% no Porto) - muito invejados- diga-se de passagem, da industria do luxo. Se o luxo se dá ao luxo de pagar meias ou páginas inteiras de publicidade é porque sabe que está a fazer um bom investimento! Em França as industrias do luxo anunciaram recordes de lucros e se calhar, em Portugal também...
Há um Portugal que tem, sem duvidas, o iPad1 ou o iPad2, mas há o outro Portugal que não tem almoço e jantar. Duvidas -e muitas- tenho-as eu!

Anónimo disse...

Cara Helena Oneto,

Concordo plenamente com o seu comentário, com uma ressalva também há muitos portugueses que não têm dinheiro para a comida porque a prioridade é ostentar a última tecnologia - iPad, BlackBerry...

Hoje, li que os pacotes de férias para a Páscoa estão a ter mais sucesso que no ano anterior. As Caraíbas e o Brasil são os destinos preferidos para essa semana de férias.

Crise? Que é isso? Declara-se insolvência e pede-se ajuda à Deco.

Isabel BP

Santiago Macias disse...

Recorda-se seguramente da publicidade de um orgão de informação português no início dos anos 70 (o Expresso? a República?) que mostrava um astronauta e um indigente na Índia, um executivo e um camponês. Os dois primeiros tinham a legenda "estes homens vivem no mesmo planeta", os segundos "estes homens vivem no mesmo País".
Há dois Portugais, sim (o anónimo do call-center que o diga). E que se tente ignorar a crise também é sintomático. Enquanto o Titanic se afundava a orquestra continuou a tocar.

jj.amarante disse...

Durante as crises o comércio de luxo é o que sobrevive naturalmente melhor por ser pouco afectado. Os mais ricos poderão ter menos dinheiro para investir mas sempre vão tendo dinheiro para consumos pessoais. E talvez a crise, ao fazer diminuir a procura de espaço publicitário para produtos mais comuns, baixe o preço do cm2 dos anúncios do jornal, criando estas oportunidades de grandes áreas para publicidade a produtos de luxo.

Anónimo disse...

Os relógios se forem lindos como as carteiras... Vale a pena, com aquele arzinho presumido de plástico , além do monograma que a mim tem que me pagar para lho transportar e é se quer... Já ostento com Orgulho o RSM
Isabel "Ruivo Seixas Martins"

Anónimo disse...

Não há dois Portugais, mas sim três Portugais - um dos ricos, um dos pobres (cada vez maior) e um dos exibicionistas (podem não ter para comer, mas a ostentação não pode ser descurada).

Isabel BP

Helena Sacadura Cabral disse...

Caras Helena O e Isabel BP, têm ambas razão. Por isso é que há, de facto, dois Portugais: o que joga golf a 6% e o que bebe leite com chocolate a muito mais...e também o que "arma ao pingarelho" por fora e vive a crédito todo o mês.
É só ver quem é que toma o pequeno almoço nos cafés, quem almoça nos restaurantes, quem tem telemóveis de festinhas e quem paga um maço de tabaco por dia!

Anónimo disse...

Isso acontece pela mesma razão que sucede em países como o Brasil. Onde um ínfimo percentual da população tem condições para adquirir os artigos mais luxuosos das marcas mais caras e a esmagadora maioria da população nem com isso pode sonhar.

Esses anúncios, são, com certeza, dirigidos para a classe AAA.

A grande diferença é que o Brasil começa a ter uma classe média cada vez mais pujante e que começa a consumir produtos que antes não lhe eram acessíveis.

Em Portugal, acontece exactamente o oposto. A classe média está a perder poder de compra e a deixar de consumir determinados produtos. É uma frase velha mas, em Portugal, cada vez mais verdadeira: os ricos estão mais ricos e os pobres cada vez mais pobres.

E, por favor, não me digam que é um discurso miserabilista. Todos os dias eu verifico isso, é algo real.