quarta-feira, 5 de maio de 2010

Marx

Faz hoje 192 anos, nasceu em Trèves, uma cidade alemã, um filósofo e político cujas ideias iriam dividir o mundo: Karl Marx. 

Para utilizar uma expressão que Sophia de Mello Breyner dizia a propósito de um certo crítico literário, na minha juventude li mais Marx do que compreendi... Nesses tempos de universidade, para muitos de nós, ser "marxista" estava no "air du temps", qualquer que fosse a tendência que se escolhesse - e elas eram imensas, no menu ideológico disponível. O marxismo, mais ou menos "mecanicista" (que estiver interessado pode aprofundar o conceito), fez parte da escola de pensamento de muita gente da minha geração. Não deixa. aliás, de ser patético observar o modo como alguns se empenham em querer fazer esquecer esse seu tempo. Coitados... 

Há dias, ao ouvir referir que Trèves pertenceu ao Luxemburgo, tendo essa região sido integrada na Prússia num momento de infortúnio, lembrei ao embaixador desse país em França que, afinal, Marx poderia ter sido... luxemburgês!

"Para a troca", o meu colega disse-me que o atual arcebispo de Munich se chama Reinhard Marx e que tinha nascido em ...Trèves! 

Nunca se sabe as surpresas que as (eventuais) famílias nos reservam...

14 comentários:

Anónimo disse...

"Os teus amigos traíram-te:
só os teus inimigos são os mesmos"


Hans Magnus Enzensberger, "karl heinrich marx"


a) Alcipe

Anónimo disse...

Trier é o nome correcto da cidade, que é alemã. Como Aachen (e não Aix-la-Chapelle). Galicismos são mais que dispensáveis...

Helena Sacadura Cabral disse...

A quem o Senhor Embaixador o diz!!!

Helena Oneto disse...

Não encontrei definição de "marxismo mecanicista" mas gostava muito de saber. Alguém me pode ilucidar ?

Nuno Sotto Mayor Ferrao disse...

K. Marx é o mais influente ideólogo político que influenciou várias gerações desde o século XIX à actualidade. Não obstante, a queda do bloco comunista dos anos 90 o pensamento de Marx continua a ter actualidade porque as questões de fundo nas sociedades capitalistas continuam, muitas delas, pertinentes apesar das alterações conjunturais. Na verdade, apesar do enraizamento do capitalismo neste mundo Globalizado, nos nossos dias, devido às manifestas insuficiências deste sistema urge criar mecanismos de regulação e, por isso, temos muito a aprender com a concretização de um capitalismo crítico. Para isto, as perspectivas Marxistas das várias gerações são bem importantes.

Saudações cordiais, Nuno Sotto Mayor Ferrão
www.cronicasdoprofessorferrao.blogs.sapo.pt

Francisco Seixas da Costa disse...

Trier é o nome em alemão. Trèves é o nome em francês. Registo a opção prussiana do nosso estimado anónimo.

Anónimo disse...

Cuando aplica la dialéctica a la Historia y a la Economía, da lugar a una teoría, MATERIALISMO HISTÓRICO. (realidad económica histórica). Es materialismo por la prioridad de la materia sobre el pensamiento, y es histórico porque se le pretende dar un sentido a la historia, algo que supere el mecanicismo de Feuerbach. (paso del concepto mecanicista a un concepto teleológico de la Historia)

Anónimo disse...

"Não deixa. aliás, de ser patético observar o modo como alguns se empenham em querer fazer esquecer esse seu tempo. Coitados... "
(FSC :2010)

Tive um Senhor Amigo que me apresentou o capital, como a alternativa ao romance bíblia,Sem o Valor obrigatório e inacessível de mulher eternamente virgem pré peri e pós parto(a primeira vez que equacionei este fenómeno levei sem o desconto da adolescência uma bela sova de chinelo...Zumba!Sua malcriadona isso diz-se? Nem parece que foste crismada e fizeste a comunhão Solene). Falava-me de Marx como o Deus sem necessidade severa de cruz, espinhos amortecidos pela descoberta da possibilidade bela e romântica de Equidade, claro com o simbolismo de judas/money representado e contextualizado em quase todas as dimensões Ad Nausea.

Oh! claro que suscitou a minha curiosidade...

Mostrava-me como salvação a aparição daquela nossa senhora comunista(O Sr. de certeza que se lembra daquela revista periódica... semanal? que através ou por intermédio do PCP era editada em português e traduzia a "realidade Social"da então URSS...?),configurada em mulheres lindas todas felizes e sorridentes em grandes campos florais aludindo sempre a cooperativas... De quase tudo...Expressando até uma autodeterminação,possível e invejável...

Aliás alguns militantes deslumbrados apregoavam "aos mais crédulos"que era facílimo ir para a URSS e vir de lá com o capital humano de um curso... Quem sabe até Medicina... O apogeu.

Preferi de longe na minha pequenez e obtusidade transmontana ficar por cá ... Temos veiga e acredito na reprodutibilidade.

Marx... Que homem filósofo e sociólogo interessante mas a história diz-nos que por agora não vingou...

Os meus filhos ofereceram-me no dia da Mãe o livro "Maníacos de qualidade"
Claro que me conhecem e aceitam-me,bem sei não têm outro remédio.
Isabel Seixas

José Barros disse...

Há “pensadores” que pensam que o capital compra tudo. Pensarão, também, (ou pensaram) poder comprar Marx e as suas ideias e muitos dos que ontem faziam a apologia de Marx e hoje só vêm através do capital é precisamente um investimento feito pelo capital a curto e médio prazo. E é com estas pequenas investidas que o capital alimenta a ideia de poder comprar os homens, as consciências, os silêncios... e o leva a perder o conhecimento elementar e ajuizado da gestão social deixando ao abandono a maioria dos cidadãos. Depois vem o dia em que esta maioria, quando já não tem nada a perder, vai agarrar-se a uma qualquer tábua de salvação que lhe apareça. E não acredito que a nossa democracia de hoje esteja de tal ordem enraizada que não o vai permitir... Há limites insuportáveis! Que nos valha Marx ou outro pensador mas que seja sempre pelo bem da maioria sem deixar a minoria ao abandono...

Anónimo disse...

O que o "velho" Marx não diria da actual crise europeia, Senhor Embaixador!

CSC

Helena Sacadura Cabral disse...

Senhor Embaixador
Se Marx fosse vivo morria ou de riso ou de susto com a actual crise europeia...

Anónimo disse...

Trier foi uma importante cidade ao tempo do Império Romano, por onde passaram e estiveram alguns dos Imperadores de então e foi fortificação importante na defesa do Império, quando, sobretudo a partir de Marcus Aurelius, as tribos bárbaras germânicas começaram a ser mais agressivas na tentativa de penetração do Império. Interessante recordar que Marx “viu” a revolta de Spartacus como uma luta de classes à época, o que não foi o caso. Estava em causa, tão só, o recuperar da liberdade e nada mais.
Marx, como aqui alguém comentou, teve influência em muita geração posterior ao seu desaparecimento. É bem verdade. Conto-me entre aqueles que foram por ele influenciados. Sem cair nos exageros do Leninismo. O tal DNA político que outro dia se falou. Que não renego. Interessante Post.
P.Rufino

José Barros disse...

Parece que agora no PSD também há liders que se reivindicam seguidores de Marx... Pelo menos na sua intervenção do passado dia 25 Abril, na Assembleia da Republica, o representante do PSD fez muitas citações que só se têm ouvido em gente de esquerda: Rosa Luxemburgo, Lenine, o cravo vermelho do 25 de Abril...

Anónimo disse...

"O carro de Bois chiou ao OUuuu... e parou ao terceiro Eco, o homem deu duas vergastadas na miúda esparramada no chão num murmúrio de quase inaudiveis desesperados e contidos soluços.

-Põe-te a pé sua estoubada,ai caralhas muitas estampilhas e lambadas vais lobar nessas bentas, num te disse pra não ta mouchares?...
Inda por cima esmoucou-se nos joelhos, raio da ganapa... agora escope-lhe.

_Seu brutamontes a garota cai inda lhe bate...

-Calce molher, vá berdamerda sua moncosa antes que lhe deie uma estadulhada...Sua filha da....

-Trepa pro carro...Antes que lebes mais no focinho... Heiiiii Bois....

In "Quem Me limpou os Moncos... Quem Me ensinou a Assoar..."
Prefácio "obrigatório" de FSC(Se não não edito, e o meu marido todo contente).
Isabel Seixas