domingo, 4 de dezembro de 2016

Perder amigos

Ontem, por ocasião de um encontro de antigos estudantes, em Vila Real, um velho conhecido, que já não via há muitos anos, veio ter comigo: "Leio muito do que escreves e às vezes vejo-te na televisão".

Por curiosidade, perguntei: "E estás de acordo com o que eu digo?".

A resposta: "Nem sempre, nem sempre! Tu tens a mania de pensar muito pela própria cabeça e, às vezes, não "encaixas" onde a gente está à espera. Tanto dizes uma coisas com que concordo a 100% como, noutros assuntos, discordo em absoluto. E tens ocasiões em que és um pouco ácido de mais."

"Mas não achas bem que é mais honesto que eu diga exatamente o que penso, estando-me "nas tintas" para o efeito que isso possa ter nos outros?", retorqui.

Curioso foi comentário que se seguiu: "Não sei. A pensar assim, deves perder muitos amigos".

Calei-me. Não quis dar-lhe a razão que, de facto e cada vez mais, ele tinha.

(se, como disse, ele me lê, vai acabar por "ver-se" por aqui)

10 comentários:

Joaquim de Freitas disse...

Sobretudo, Senhor Embaixador, continue a escrever o que quer e o que pensa realmente, porque tal é a razao pela qual muitos vêm aqui, ao seu blogue, e o apreciam. Eu o primeiro.

Anónimo disse...

Verdade! É por pensar pela minha cabeça - e dizê-lo - que cada vez tenho menos amigos em Vila Real. Resta-me saber se é inteiramente culpa minha ou também desta nossa santa terrinha tão dada a aparências.

Jaime Santos disse...

Arriscando um lugar comum, Sr. Embaixador, eu diria que os nossos amigos de verdade, apreciam quando somos honestos com eles, desde que respeitemos a sua inteligência e pontos de vista. Os outros, os que se suscetibilizam, não interessam...

Anónimo disse...

O que vale é que os amigos que ficam são os melhores.

JPGarcia

Francisco S. Rodrigues disse...

Senhor Embaixador,

Esta história de confundir discordâncias com ofensas tem que se lhe diga.
Se os amigos do caríssimo Embaixador se incomodam tanto com as suas linhas de pensamento e opinião, talvez nunca tenham passado de "amigos" por estarem mais preocupados com o castelo de cartas das suas próprias vaidades do que com os laços relacionais.

Por mim, agradeço que continue a pensar e que o produto desse pensamento seja transmitido tal e qual o resultado da reflexão.

Os meus cumprimentos.

Anónimo disse...

Senhor Embaixador

Leio o seu blog diariamente há vários anos. Algumas vezes concordo plenamente consigo, outras vezes discordo, mas por favor continue a escrever como tem feito até hoje, pois mesmo quando discordo dos seus argumentos, servem-me para reflectir com outras perspectivas.

LBA

Anónimo disse...

ó Embaixador, como Vilarealense que também sou, o "cromo" que lhe veio com essa conversa deve ser um dos muitos petulantes que infelizmente existem ás carradas em Vila Real. Por certo é dos muitos que eu conheço que nem opinião própria conseguem ter, mas pior ainda para garantirem que no minimo conseguem lamber as botas aos petulantes mor cá do sitio conseguem dizer coisas que irão até contra aquilo que seriam os seus interesses.

Rui C. Marques disse...

Venho perguntando onde cabe a amizade no espírito do tempo,espírito que tem desumanizado e despersonalizado a vida.

Isabel Seixas disse...

Pois eu admiro a Sua coragem, o seu saber da especialidade, a sua franqueza e com franqueza os amigos não nos fazem reféns de nada muito menos de prisões relacionais, é por isso que se chamam amigos, se não casavam connosco.

Anónimo disse...

pois eu acho que a sua postura está correcta. odeio as pessoas que só dizem o que os outros querem ouvir. ao menos o sr. embaixador é verdadeiro consigo mesmo.
bem haja,
vw