quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Carneiros


Acho muito estranho que nesta polémica sobre a "feira de gado" ninguém tenha estranhado que alguns "profissionais" de imprensa convidados por um partido para um cocktail de Natal se tenham permitido gravar à sucapa comentários informais feito entre os políticos presentes. Já vale tudo? Temos a certeza (comuns mortais ou ministros) de que todos os nossos ditos ou graças proferidos em privado são passíveis de serem reproduzidos, sem escândalo, em público? Ou a privacidade é coisa que já não existe para os "media"? E também é legítimo ouvir chamadas telefónicas ou conversas de alcova? O "voyeurisme" suplanta toda a ética profissional? Ou é o alibi medíocre e cobarde de "interesse público"?

12 comentários:

Anónimo disse...

Sobretudo dar um par de bofetadas pode ser redentor e vender gado não é de nenhuma forma aviltante. A falta de sentido de humor congénita é produto de Salazar que está ainda entre nós.

Ana Vasconcelos disse...

Neste caso é difícil perceber como o critério do interesse público se aplica, como explicou o insuspeito J.M. Tavares no Público. Há regras básicas que se aprendem em licenciaturas de comunicação social em disciplinas que normalmente têm a palavra Ética no título (ou mais sugestivamente intituladas 'Staying out of the courts', nalguns cursos no Reino Unido, para que não haja equívoco sobre as implicações práticas de certas condutas), que alguma da nossa imprensa não consegue compreender. Limitações.
Mas muitos casos recentes também reflectem o papel da entidade reguladora do sector e pouco se fala disso.
Disclaimer: não acho que A.Santos Silva tenha estado bem, mas essa é uma questão diferente.

Anónimo disse...

Só lamento duas coisas, para lá do "jornalismo" de sarjeta que faz escola e está por todo o lado:
- Que o ministro se tenha "retratado";
- Que as entidades envolvidas não tenham publicamente declarado que não comentavam declarações privadas.
Quanto aos comentários, nomeadamente do PSD e alguns insuflados que por lá pululam, nada de novo.

David Caldeira

Anónimo disse...

Muito bem, Embaixador.
Só uma coisa: Não são carneiros os dos micrós, não, são outra coisa muito pior. Alguns, evidentemente.

Anónimo disse...

"Locker room talk", o ministro Santos Silva não terá um tudo nada de "trumpesco"? À moda do Porto, obviamente.

diogo disse...

o problema não é o interesse público mas sim o " interesse do público "
temos o jornalismo que queremos consumir , enquanto houver cliente haverá fornecedor

Anónimo disse...



"Santos Silva não deixou cair a polémica nos jornais e chamou ao director de informação da TVI de “Ayatollah de Barcarena”."

L M D disse...

Tudo o que "vende" é bom, a moral, respeito pelos outros, vidas privadas de figuras publicas, são assunto secundário, para quem "vende" e para quem "compra", os escândalos, verdadeiros ou hipotéticos valem tudo, seja por que preço for, é que lucrar á custa dos outros é vergonhoso, mas é o que temos.

Anónimo disse...

Sintoma interessante o que surge quando as pessoas sofrem o embate da realidade.
Apesar de nao me ter agradado o comentario "feira do gado", admito que Santos Silva foi bem certeiro no que disse. É o que a grande maioria de nos é... gado para ser comecializado. Só me irrita profundamente a hipocrisia dos sujeitos cds-psd que tudo fizeram para liberalizar a feira do gado e agora surgem como pregadores da etica e valores cristaos... talvez preferissem os termos negreiros e mercado. Mas deixo aqui este video que desmascara o que se passou nos tempos dessas entidades do cds-psd.

Governo oferece desempregados as multinacionais do trabalho temporario

https://www.youtube.com/watch?v=Vf6UVx1xw-g

arber disse...

Esses tais '"profissionais" de imprensa convidados' foram certamente bem instruídos por alguém, como muito bem se descreve aqui:

http://ventossemeados.blogspot.pt/2016/12/a-violacao-da-privacidade.html

Óptima análise do assunto, estou mesmo a ver a cara cínica do fulano, por isso acho de leitura aconselhável para se perceber a miserável actuação da TVI (que não só dos tais "profissionais".

Quanto à piada de Augusto Santos Silva, só me espanta o espanto hipócrita e oportunista de quem o critica e vê numa frase tão simples uma elaborada intenção de classificar alguém de forma ofensiva. Francamente!

Anónimo disse...

Esqueçamos os "carneiros" e concentremo-nos nos "cordeiros". O que é que os "amigos da Espanha" e os defensores de "Portugal tem interesse numa Espanha forte" têm a dizer sobre a questão dos resíduos nucleares junto à fronteira? O nosso interesse está onde, agora? E o deles, os "amigos"?

ignatz disse...

este poste e a ilustração a condizer são bons exemplos de sonsice diplomática, pôr os outros a dizer aquilo que pensa.