terça-feira, 18 de outubro de 2016

OSCE


É com imenso prazer que regressarei amanhã, por umas horas, à Organização de Segurança e Cooperação (OSCE), em Viena, onde fui convidado a fazer uma intervenção, a título pessoal, numa reunião conjunta do Fórum para a Segurança e Cooperação e do Conselho Permanente da organização, envolvendo os representantes dos 57 países membros naqueles dois órgãos. O tema do controlo de armamentos e a necessidade de reencetar um diálogo em torno do quadro normativo das CSBM's (medidas geradoras de segurança e confiança) será a base da minha intervenção.

Não deixarei de lembrar que um importante marco na vida da OSCE foi a Cimeira de Lisboa de 1996, de onde derivou uma Declaração que se mantém como um eixo fundamental da organização e também que foi durante a Presidência portuguesa da OSCE, em 2002, que, pela última vez, foi possível ter todos os Estados a subscreverem as conclusões. A Declaração do Porto, de 2002, é o último elo de ligação entre os mundos "a Oeste" e "a Leste de Viena".

Vai ter graça regressar àqueles corredores do Palácio de Hofburg.

1 comentário:

Helena Sacadura Cabral disse...

Francisco pergunto-me se você não terá a característica divina da omnipresença. E considerava-me eu, uma reformada de sucesso...Baixei já a bolinha perante a sua actividade!