sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Florestas e inquietação cívica


Hoje à tarde, pelas 18 h, no Centro Cultural Regional de Vila Real, no largo de S. Pedro, intervirei na apresentação do livro "A Floresta Portuguesa - um apelo à inquietação cívica", da autoria do meu amigo e camarada de armas no 25 de abril, Victor Louro.

Numa perspetiva diferente do habitual, este livro, de grande oportunidade, lança um alerta que é muito importante escutar.

4 comentários:

Reaça disse...

A profissão de «Guarda Florestal» foi substituida pela profissão de «Nadador Salvador»

Daí para cá, falar em florestas em Portugal, é falar em aviões e aviadores, e alguns bombeiros, e é conversa que não interessa a mais ninguém.

Tristeza...!

Anónimo disse...

A vegetação em Portugal está cada vez mais feia. Demasiados km de eucaliptos! O norte de Portugal está infestado desta e outras árvores que secam o solo.

Mafalda

Anónimo disse...



"Programa Nacional para a Coesão Territorial (PNCT), mais paleio.....

164 "medidas", sempre "novas" aprovada pelo actual "deus das moscas", António Costa

Portugalredecouvertes disse...


bem a propósito
bem triste ver essas florestas que todos os anos desaparecem em fumo
também seria de proteger os animais que nelas habitam e que ficam sem vida ou sem "casa" para dar continuação à sua espécie