sábado, 6 de agosto de 2011

Europa

O presidente da Comissão Europeia proferiu uma declaração sobre a necessidade de reforço das medidas de apoio europeu, para acorrer à conjuntura que o euro vive. Essas palavras terão caído mal em algumas chancelarias, por poderem ser interpretadas como uma implícita desconfiança na eficácia do pacote de medidas aprovado no último Conselho Europeu.

Aparentemente, o Dr. Barroso teve toda a razão em dizer o que disse e é muito bom sinal que se sinta cada vez mais motivado para interpretar, nas declarações e nas atitudes, essa coisa básica que é o interesse comum europeu - que muitas vezes não coincide com a média aritmética dos interesses dos países que mandam na União Europeia. Quanto mais as tomadas de posição do presidente da Comissão tiverem o condão de irritar certos Estados que se mostram relutantes perante a necessidade de adoção de políticas firmes que acalmem os mercados, mais isso significa que o comissário de nacionalidade portuguesa (as pessoas tendem a esquecer que Portugal é o único Estado da União que não teve a possibilidade de escolher um comissário) se aproxima do papel de garante dos Tratados e se afasta da imagem de representante dos "powers that be" que o cooptaram. E que, como ele bem sabe, já não terão ocasião de o fazer de novo.

5 comentários:

Anónimo disse...

"Aparentemente"In FSC

Não consegui perceber a amplitude, esta Senhora Europa tem precedências que só com explicações...Que é como quem diz conhecimentos vivenciados...

Complexidades politicas, deixo para o Sr.

Hoje é o S. Caetanao, nem sei se a minha velha amiga é sensivel (Não tem grandes ares de beatatitude mas, SEi Lá)São só 15 quilómetros a pé daqui de Chaves e há autênticas romarias de fiéis, por mim Ele sabe esperar sentado...
Isabel Seixas

Anónimo disse...

Nos dias que correm falar de São Caetano e seus fiéis estará 'dans l'air du temps' mas anda por aí muito infiel capaz de abrir a boca contra esse santo e estragar-lhe a reputaçãode/santidade. Já agora, que fez esse Caetano para ser santo?
xg

Anónimo disse...

Boa pergunta xg...

Disseram-me que

Hoje por exemplo,recebeu o dinheiro escoado ao desespero dos "carentes", além de frangos e coelhos e ovos caseiros que foram leiloados e convertidos também em dinheiro...DECERTO TALVEZ para amortizar a divida,não?!!!

Não sei se ajuda mas
As últimas palavras que disse foram: " Não há outro caminho para o céu, a não ser o da inocência e o da penitência. Quem abandonou o primeiro, tem de trilhar o segundo". Caetano morreu em 1547.

Olhe, por mim estou feita(...)
Isabel Seixas

Anónimo disse...

Cara Isabel Seixas
Pese embora a dúvida expressa no post anterior pela cara Rita Ferro, a sua amiga velha tomou como a ela dirigidos os seus convites/sugestões e propôs-se responder-lhe, se o Autor do blogue permitir:

ah pois não jovem amiga
não contem que eu cá os siga
são caetano nem carreira
outra é a minha brincadeira
que brinco já com quem queira

mal por mal o quim barreiros
e seus guinchantes berreiros
nessa espécie de canções
com bastas insinuações
que até me dão comichões

além disso são caetano
é laranja todo o ano
laranjal pra quem o herde
e eu prefiro é vinho verde
co'o verde ninguém se perde.

Anónimo disse...

Não vão os comentários resvalar todos para as margens da questão, quero também eu congratular-me por o 'nosso' presidente da Comissão sair um pouco, por uma vez, do alinhamento PPE franco-alemão. Partilho os votos para que Barroso se venha a aproximar do papel de garante dos Tratados e interesses europeus, mas não tenho nisso esperança nenhuma. Trop tard para ele, a mon avis.
FG