quarta-feira, 1 de junho de 2011

O casaco

Percebemos o truque quando, bem cedo numa segunda-feira, um de nós passou pelo gabinete dele. O casaco continuava no cabide, em frente à secretária. Tinha lá sido posto ao final da manhã de sexta-feira, para dar impressão, a quem o procurasse durante toda a tarde desse dia, que "estava já ali perto, já vinha...".

Era um especialista diplomático em fins-de-semana. Terá deixado escola? Pensei nisto ontem, ao abrir as portas de alguns gabinetes, nas Necessidades. Mas estavam lá todos...

11 comentários:

Anónimo disse...

os casacos?!!!
Mesmo com este enquadramento de calor?...
Isabel Seixas

António P. disse...

Pois é caro Embaidor....nos meios fabris o "truque" era outro, p.ex., o electricista deixava a caixa de ferramentas ao pé de um escadote...ele devia andar por ali, poi...já tinha saído para o fim de semana.
Cumprimentos

Mário Machado disse...

Lembrei-me de um antigo colega de trabalho que tinha um lema muito especial para a sexta-feira. Dizia ele já que cheguei tarde vou compensar saindo mais cedo.

Anónimo disse...

Um banker da Morgan Stanley de Londres foi despedido por razão parecida, um pouco mais elaborada.. Pagava à empregada de limpeza que vinha de madrugada, para  colocar o seu casaco "em posição".. Ganhando assim fama de madrugador,  ausente apenas por estar em reuniões algures no banco.. Com outros madrugadores, presume-se..
A estratégia requeria alguma coordenação de guarda-roupa no frio de Londres...

Anónimo disse...

Cruzeta... cabide,percha en nuestros hermanos.
Isabel Seixas

Anónimo disse...

Quando entrei na fábrica (Grupo CUF), como operário aprendiz, o encarregado, com a alcunha de Gebo (Raul Brandão), disse-me em tom solene mas de claro aviso para a vida: 'se tiveres que faltar nunca o faças à 2ª ou à 6ª-feira. À 2ª, porque vão dizer que te embebedaste e na 6ª porque vão dizer que é golpe'.
Resta recordar, sem saudades, que se trabalhava ao sábado, até às 11 horas.

JCM

ARD disse...

Ontem era quarta.
Experimente amanhã.

Helena Sacadura Cabral disse...

Julgo, pelo que se passa no país, que essa ideia terá feito escola.
O Senhor Embaixador teve muita sorte...ou só abriu as portas -salvo seja - mais adequadas!

Anónimo disse...

De facto, já tinha notado (pelas imagens das televisões) que anda muita gente na campanha, em mangas de camisa!
Carlos Pereira

Anónimo disse...

Parece época balnear, não há viva alma de políticos... nos locais de trabalho.

Isabel BP

manelserra disse...

No Brasil isso era conhecido como o "Truque do Paletó"