quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Feriados

A igreja católica portuguesa acaba de anunciar que "aceita a mudança de data de dois feriados religiosos se o Governo renunciar a outros dois civis".

Devo dizer que nunca esperei assistir, em dias da vida, a uma "marchandage" deste teor. Mas já nada me espanta!

No que me toca, que fique claro: como feriados oficiais ou como dias descontados nas minhas férias, comemorarei sempre, nessa exatas datas, o 25 de abril, o 1 de Maio*, o 10 de junho, o 5 de outubro e o 1 de dezembro. Feitios!

Em tempo: Quase simultaneamente, Otelo Saraiva de Carvalho "ameaça" fazer uma nova Revolução. Perdoai-lhes, senhores, que não sabem o bem que fizeram! 

*Um anónimo lembrou-me - tinha-me esquecido! - o 1 de maio! Era só o que faltava eu não o comemorar...

15 comentários:

Anónimo disse...

Também concordo com a sua determinação, em coerência e congruência.

Margarida disse...

A igreja católica é uma instituição ramificada, de grande poder instituído.
Quem já dominou mundos (e um banco), como poderia não se manifestar negociadora com semelhante?

A fé e outros rendilhados pertencem ao foro exclusivo e íntimo da relação entre o homem e o espiritual; o resto, às variadas 'máquinas' de organização dos crentes, com hierarquias e agendas especialíssimas.

Verá como se entenderão às mil maravilhas, a Igreja e o Estado.
Sempre assim foi.
Os, digamos, detractores, estão além dessas 'mundanidades'.

Mas este é um tema por demais sensível...

Nuno Resende disse...

Eu concordaria consigo, se a Igreja abolisse o 25 de Dezembro.

Catinga disse...

Talvez tenhamos de fazer ainda mais alguma paragem no calendário porque o Otelo já anda a sugerir um golpe de Estado...

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Costumo dizer e escrever que fui católico, mas curei-me.

Se bem me lembro (ai que saudades do Nemésio), o Salazar e o Cerejeira eram muito amigos...

Quanto ao enunciado pelo nosso Francisco, já somos dois.

Helena Sacadura Cabral disse...

Senhor Embaixador
Ignoro que feriados civis a Igreja quereria ver abolidos. Nem me interessa. Discordo inteiramente desse tipo de bargaining que acho lamentável.
Tenho-me batido pela igualdade de tratamento religioso, seja na prática seja na teoria.
Os que são católicos que querem cumprir não precisam de ser oficializados. Temos feriados religiosos a mais e que se não justificam num Estado laico.
Nos feriados civis também cada um festejará como entende.
Quanto a Otelo, Senhor Embaixador, que se lhe há-de fazer?!

Anónimo disse...

Deus queira que o governo acabe com o 5 de Outubro e o 25 de Abril.

Hoje em dia são datas sem sentido.

Anónimo disse...

Sr. embaixador, a rapaziada que está no governo que se ponha a 'fankes' porque ainda vai ter que acrescentar mais um feriado. Insha'Allah !!!!

Luís Bonifácio disse...

o que é que tem a ver uma comemoração e um feriado?

Por acaso, como embaixador, não comemora o 11 de Novembro?
Não comemora o dia da constituição?
Até há bem pouco tempo as forças armadas comemoravam o 25 de Novembro. Não consta que os militares tirassem um dia de férias.

A Igreja não comemora a Ascensão?

E o 13 de Maio, não é actualmente a maior comemoração religiosa em Portugal? É feriado?

EGR disse...

Senhor Embaixador : demasiadas vezes,em minha opinião. a Igreja em Portugal assume posições em que esquece que somos constitucionalmente um estado laico.
Parece que não se libertou totalmente dos hábitos adquiridoa nos tempos em que" de facto" assim não era.

Julia Macias-Valet disse...

Completamente de acordo com a Margarida !

...e nos tempos que correm ja nada me espanta...e va la que no pacote nao esta incluido rezarmos uns quantos Pais Nossos e Avés Marias...

Anónimo disse...

O Otelo Saraiva de Carvalho é um maroto deve querer repôr algum dos feriados que vai ser abolido...

Concordo com a Margarida e o Nuno Resende, apenas juntaria a Sexta-feira Santa. A Igreja Católica vai dar uma imagem de abertura e, simultaneamente, tem uma palavra na decisão da mudança dos feriados laicos.

Isabel BP

patricio branco disse...

e ainda chegaremos, não deve faltar muito, ao começo da redução das ferias, em nome duma economia que não é assim que se resolve. a 1/2 hora, os feriados, o retirar dos 2 meses, etc, etc.
O retirar dos feriados é puro fundamentalismo,penso eu.

Anónimo disse...

E o 1º de maio? É certo que é também feriado religioso! S.S. Pio XXII proclamou-o, em 1955, Dia de S. José Operário, o que não impediu que o glorioso regime salazarista continuasse a considerá-lo data subversiva e proibida. Vamos voltar a isso?
brrr

Anónimo disse...

Qual o verdadeiro motivo para se tirar o lazer e a folga nesses dias?
Quem sai ganhando é sempre o governo.
Dizem que com os feriados o pais tem prejuízo?
O único prejudicado é o povo.
Não deixem de gozar seus feriados com descanso e lazer, ainda sobram muitos e muitos dias para o trabalho.
Não é com um par de dias de feriados que se vai resolver os problemas econômicos.
Isso nada mais é que um bode expiatório!