segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Cultura portuguesa

Na passada semana, homenageei na Embaixada, em ocasiões diferentes, duas figuras cuja importância para a promoção da cultura portuguesa em França pude testemunhar, durante a minha estada em Paris.

Reuni jornalistas, livreiros e editores franceses para saudar Michel Chandeigne e os 20 anos das "Éditions Chandeigne", que têm levado a cabo uma importante tarefa de divulgação da língua e da cultura de Portugal e dos países que, pelo mundo, se exprimem em português. Na pessoa de Michel Chandeigne e dos seus colaboradores, lembrei igualmente o magnífico trabalho desenvolvido pela sua livraria que, desde há um quarto de século, torna acessíveis obras de diversas origens, servindo todas as culturas que se exprimem em português.

Noutra ocasião, juntei dezenas de amigos e figuras próximas de João Pedro Garcia, o qual, durante sete anos, dirigiu o Centro cultural da Fundação Calouste Gulbenkian, em Paris. A Gulbenkian, como eu costumo dizer, é uma outra "Embaixada" portuguesa nesta cidade e, graças ao entusiasmo, dinamismo e competência do seu diretor, transformou-se num espaço insubstituível, pela organização de grandes eventos culturais, que muito dignificam a imagem de Portugal. Agora que João Pedro Garcia regressa a Lisboa, para retomar em pleno o seu lugar de diretor internacional da Fundação, quis deixar-lhe uma nota de grande apreço, em especial pela inexcedível colaboração com que dele sempre pude contar.

A cultura portuguesa tem, infelizmente, um elevado défice (outro...) de afirmação no exterior. Figuras como Michel Chandeigne e João Pedro Garcia dão uma grande ajuda para reduzi-lo.

11 comentários:

patricio branco disse...

a proposito da fotografia que ilustra a informativa entrada, comento falando da "calçada à portuguesa". O estado em que se encontram estas calçadas é desgraçado, com irregularidades (o piso não é liso, mas com covas, altos e baixos), folgas entre as pedras onde se metem os saltos dos sapatos das senhoras, clareiras donde as pedras saltaram e que vão aumentando com os dias que passam e fazem poças de lama quando chove, etc.
Quantas dezenas de sapatos de mulher se estragam em lisboa por dia? E quantas escorregadelas perigosas nas calçadas mais polidas pelo uso?
Depois, há os remendos de pedra irregularmente cortada, remendos feios claro. Aliás, a pedra tambem já não é regularmente cortada, mas de qualquer maneira aproximativa do cubo inicial.
Podia ser bonito, mas se fosse trabalho perfeito.
Para caminhar bem hoje, nada como os passeios com lajes de cimento ou conglomerado de pedra utilizados em cidades como londres ou madrid.
Aliás já quase nem há calceteiros especializados, alem de que o sistema é muito caro.
As unicas extensões correctas de calçada à portuguesa encontram-se em certos centros comerciais ou até atrios de bancos, cobertas dum verniz transparente que elimina os intersticios e lhes dá duração e brilho.
Melhor seriam passeios com outros materiais bons para caminhar e duradouros e deixar um ou 2 pontos emblematicos(falo de lisboa) com uma calçada extremamente cuidada,impecavel, a parte central do rossio ou largo o camões, p ex.

Anónimo disse...

Ainda a propósito do Eusébio e da promoção da cultura portuguesa, lembrei-me da Cesária Évora !
A diva dos pés descalços também já disse que deve à FRança a sua projecção mundial.O seu editor é Francês e todo o seu percurso internacional é gerido desde de França!

Sendo ela oriunda de um pais de lingua oficial portuguesa, não haverá aqui um fenómeno de incúria e abandono de Portugal para com esta artista da lingua portuguesa de grandeza mundial ???

O Sr Embaixador tem a palavra!

OGam

Anónimo disse...

Justíssima homenagem a João Pedro Garcia e à sua capacidade de nos ajudar a afirmar 'fora de portas' pela via da língua e da cultura portuguesas.
Bela peça senhor Embaixador, este seu blog funciona melhor que muitas das DGs do MNE.

Cumprimentos do,
Gastão da Cunha

Catinga disse...

OGam,

A Cesária Évora nem em Português canta...

Anónimo disse...

Catinga , perante a realidade que expus , vir pegar por ai, é tipico do português pequenino . A Cesária nasceu em território portugues e canta em qualquer lingua, inclusive o Francês.
É evidente que para uma pessoa que não passou pela intrucção primária, que ganhou um Gremmy , condecorada pelo presidente Soares e pelo Presidente Chirac . Discos vendidos aos pontapés, concertos sempre cheios em todo o mundo, desde Varsóvia até Toquio, vir com essa conversa que nem canta em Português ,cheira um pouco a ressabianço, coisa que em Portugal é recorrente!!!
É por isso é que somos o lixo para muita gente na Europa e no mundo !

OGman

Helena Sacadura Cabral disse...

Como mulher que ainda usa tacão alto e sente no pé as atrocidades decorrentes do actual estado da calçada portuguesa, apoio com veemência o comentário de P. Branco.
Mantenham dois ou tres locais de calçada portuguesa - esses em bom estado - e betumem o resto. Evitam-se quedas airosas e dinheiro mal gasto em reparações de sapatos de senhora. Esquecendo, afinal, que já somos 52% da população!

Portugalredecouvertes disse...

Acho que este tipo de eventos fica muito bem numa embaixada.

Também é bom que nos diga que isso acontece.
penso que a calçada portuguesa poderá ser melhorada, mas não substituida, é uma das coisas bonitas, mais fotografadas por quem nos visita, uma instituição como os azulejos!

melhores cumprimentos

Anónimo disse...

mas custara menos a camara mudar os passeios ou o belo sexo mudar de sapatos?

...

bem haja

Catinga disse...

Ogman,

Eu explico-lhe porque você parece não ter percebido:

(respire fundo e leia devagar)

A Ce-sá-ri-a É-vo-ra não can-ta em Por-tu-guês.

Era só o que faltava que Portugal (que nem tem para os seus) andasse a gastar tempo e recursos a apoiar a "crioulofonia" ou a francofonia de cidadãos estrangeiros ... E porque não a anglofonia dos nossos artistas (já agora...)?

Per-ce-beu?

Ah... e por falar em lixo... a sua ortografia anda perto disso.

Anónimo disse...

Caro Ogman
A velha senhora sentiu-se incomodada:

o que os outros não percebem
pois cheiram bem e não bebem
fica aqui bem demonstrado:
o ca-tin-ga é mal-criado.

Anónimo disse...

Catinga ,
O meu comentário era para o Sr Embaixador, mas você enfiou-se no caminho!
A Cesária Évora não é portuguesa porque não quer , ao contrário do Eusébio que foi obrigado.

A cultura portuguesa pode ser representada em várias linguas. O Bonga, também canta em Kibundo e é português!Aproveito para lhe dizer que uma vez em Antuerpia passei uma noite Africana abrilhantada pelo Bonga , num restaurante Portugues que estava cheio e foi um espectáculo.E para si , o Bonga já foi campeão Nacional de corrida de barreiras e representou a selecção internacionalmente!

E relativamente à promoção da lusófonia os portugueses têm o seguinte comportamento :

Quando um angolano ou Guiniense( ou qualquer nacionalidade) , assalta uma ourivesaria, os jornais escrevem :
"Assaltante de raça negra assalta ourivesaria"

Quando a Maria Mutola ou outra estrela africana ganha um pre´mio internacional, o Jornais portugueses escrevem :

"A ligua portuguesa ( agora está na moda a lusofonia) volta a ser representada ao mais alto nivel pela Moçambicana Maria Mutola "

Está a ver onde quero chegar ?

OGman