sexta-feira, 25 de novembro de 2011

As "estrelas" do Michelin

Foram hoje revelados dos nomes restaurantes portugueses que, na edição de 2012, terão as desejadas "estrelas" nos guias franceses Michelin, numa avaliação da sua qualidade gastronómica. A "estrelas" podem ir de uma a três, sendo que Portugal nunca teve, até hoje, qualquer restaurante a que hajam sido atribuídas três estrelas.

Em 2012, com duas "estrelas" aparecem o Ocean e o Vila Joya, ambos no Algarve. Com uma "estrela": o São Gabriel, o Willie's e o Henrique Leis, todos também no Algarve, o Il Gallo d'Oro, no Funchal, o Tavares e o Feitoria, em Lisboa, o Arcadas da Capela, em Coimbra, o Yeatman, em Vila Nova de Gaia, e a Casa da Calçada, em Amarante.

Portugal é um país que só muito lentamente tem vindo a "ganhar estrelas". Será isso importante? Claro que é! A profusão de restaurantes com referências positivas nos guias da Michelin é um fator de atração turística e induz mais deslocações ao nosso país. Além disso, estimula outros restaurantes a melhorarem e a colocarem-se em posição de poderem vir a conquistar "estrelas" ou, simplesmente, a concorrer com aqueles que as têm.

Devo dizer que não me recordo de ter comido nenhuma vez mal num restaurante assinalado com "estrelas" nos guias Michelin, embora algumas vezes apenas "assim-assim". Mas, com grande frequência, tenho comido bem melhor noutros restaurantes, alguns dos quais estão e estarão longe desta "corrida às estrelas" - e são quase sempre bem mais baratos.

Um aviso da parte de alguém que acompanha com alguma atenção estas coisas: em geral, pode confiar -se nos restaurantes assinalados com "estrelas" nos guias Michelin, mas não se deve confiar, necessariamente, nas listas dos restantes restaurantes que os guias mencionam para cada localidade. Sei do que falo: está lá de tudo, do bom ao medíocre (embora raramente do mau).

E, agora, permitam-me que vá jantar... a casa de amigos!

22 comentários:

Teresa disse...

Eu confesso que prefiro escolher os restaurantes pelos guias Zagat, a quem devo muitas refeições memoráveis.

Helena Sacadura Cabral disse...

Senhor Embaixador
Se a paciência me assistir - e a vida, claro - um dia, faço um guia do que há de melhor em Portugal.
E há tanto, que os próprios portugueses desconhecem!
Na gastronomia, na ourivesaria, no mobiliário, no artesanato, na faiança, na vidraria, no calçado, nos testéis, para só falar de alguns. Somos tão bons e estima-mo-nos tão pouco...

Julia Macias-Valet disse...

Para coroar esta noite estrelada seria engraçado se os amigos morassem para os lados da Étoile, mas espero que nao tenham tido a idéia de fazer o jantar "à la belle étoile" porque o clima ja nao esta para isso...

Julia Macias-Valet disse...

O único que conheço em Portugal é o da Galé. Bom, mas estupidamente caro !

patricio branco disse...

pesada responsabilidade para quem ganha uma estrela no michelin, se a perde depois, é traumatico, quase tragico

Anónimo disse...

Que tal criar o premio MABOR,nacio-
nal,com um juri constituido por meia duzia de "gulosos" cultos e ententidos na materia,(que os há)com Mª Lourdes Modesto (a presidir),Bento dos Santos e,ia atrever-me a sugerir o José Quitério,(mas como põe muitos adjetivos,quando degusta um bom arroz de tomate,pode-se perder a objetividade).O melhor será ler mais sujestões...
e viva a boa mesa,a nossa!Depois...as outras!
CC

Isabel Seixas disse...

De qualquer forma estrelas Michelin atribuem uma conotação... Assim algo deselegante.
Estrelas estrelas são as da comidinha caseira e saudável isso sim...
Pronto, não desfazendo.

Anónimo disse...

As estrelas michelin são indicadores preciosos de a comida terá uns nomes "finos" e uma apresntação excelente. MAs o que é garantido é o preço puxado até veres estrelas!

Eu nunca comi em nenhum restaurante com estrelas Michelin , mas faz fiz trabalhos para os respectivos cozinheiros/propriétarios e sem qualquer excepção demonstraram uma gula maior pelo dinheiro do que pela qualidade de suas comidas!

OGman

patricio branco disse...

Vê-se que houve alguma preocupação de distribuir o premio pelo territorio, apesar da grande concentração no algarve e da ausencia do porto.
Mas sempre há 1 em coimbra, funchal, amarante, v n gaia.
Aqui as estrelas tiveram lugar de honra nos telejornais da noite como se tivessemos recebido vários premios nobel e até recolheram declarações d1 ou 2 dos chefes mostrando pratos (um com lavagante despertou-me apetite).
E agora toca a trabalhar para tentar manter a estrela e não sofrer a humilhação da perder, coisa que mais cedo ou tarde acontecerá, a não ser em raras excepções.

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro OGman: o seu comentário revela algum preconceito e, desculpe lá, padece de um desconhecimento que desvaloriza o que escreve. Por um lado, diz que nunca comeu em nenhum restaurante com "estrelas" Michelin; por outro afirma, perentoriamente, que tudo é movido apenas pela "gula" do dinheiro. E se eu lhe disser que há imensos restaurantes com "estrelas" da Michelin onde a relação qualidade/preço é muito boa?

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Patrício Branco: não me parece ter havido nenhuma preocupação com o equilíbrio geográfico das "estrelas". Foi apenas a realidade a impor-se. Alguma excelente gastronomia que é oferecida em outras zonas do país (Alentejo e Minho) não tem um padrão suscetível de poder ser considerado pelo Michelin, embora, e uma vez mais, no Algarve, Lisboa e Porto haja (no seu total, dois ou três) restaurantes que também pudessem ambicionar obterem uma "estrela".

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Julia Macias-Valet: a 500 metros da Étoile é perto? Foi um excelente jantar.

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Teresa: há Zagats e Zagats. Os de Nova Iorque e de Londres costumam ser bastante mais fiáveis do que o de Paris. O grande mal dos guias de restaurantes é que, em geral, está por lá tudo misturado. A regra que sempre sigo, numa grande cidade, é olhar os três melhores guias (é relativamente fácil selecioná-los) e listar os restaurantes que conjuntamente, eles consideram como bons. Posso assegurar-lhe que, com essa "técnica", a possibilidade de erro é muito limitada.

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

O Guia Michelin quer gostem ou não é a referência em termos de bem comer. Estou como o Senhor Embaixador, nunca comi mal num restaurante com estrela Michelin.

Entretanto e em termos de Guias Portugueses, saiu recentemente este de Lisboa que recomendo fortemente aos leitores deste blogue

http://mesamarcada.blogs.sapo.pt/392775.html

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Tomaz MB
Fiz copy /paste do link indicado, mas fui dar a algo que me falava do Prof. Louçã. Fugi.
Retirei os últimos quatro números e dei com críticas gastronómicas, algumas do meu querido amigo Duarte Calvão.
Será que o seu link está correcto?

Mônica disse...

Francisco
Eu não consegui acessar no blog que diz que vai dar uma pausa.
Faça suas viagens, mas não nos esqueça. Volte pra mostrar o jeito mais delicioso e dificil de um Senhor culto contar sobre sua Terra Natal.
Pois aprendi a gostar de Portugal por sua causa.
Eu quero voltar a Portugal porque aprendi a conhecer o personagem Portugues atraves de seus escritos.
Não entendi bulufas de politica portuguesa mas no meu coração o ser humano eu já conheço.
Tenha uma boa tarde( aqui no Brasil é 15 e 56 min)
E volte por favor pois estarei ob
servando o seu retorno
com muito carinho desta amiga brasileirinha e mineira
Que lhe deu muito trabalho mas que em compensação o Senhor me deu muita alegria
com amizade Monica

Alturense disse...

As estrelas Michelin, às, vezes "dão cabo" dos restaurantes e dos donos.

Durante alguns anos almocei com alguma frequência no restaurante Ramalhão, em Montemor-o-Velho.

A cozinha era eminentemente regional e, segundo o João, seu proprietário, inspirada na cozinha que se fazia nos fogões dos seus familiares.

Não sendo caro, também não era um restaurante acessível a todas as bolsas, o que não impedia que, pelo menos ao fim de semana, estivesse cheio.

Entretanto, o guia Michelin atribui-lhe uma estrela, que mudou o restaurante (e o João).

A estrela não durou muito, e o restaurante também não. Pelo menos como o conheci.

Não passo por Montemor há mais de dez anos, mas dizem-me que o Ramalhão acabou por fechar.

Carlos Fonseca

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

No que respeita aos restaurantes, acho que as estrelas são muito importantes. E, depois de as conseguir, há que defendê-las sobretudo com os dentes.

No que concerne a outras estrelas, oxalá não fique a vê-las daqui a pouco. E não vou para a gaiola.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Fiquei. Infelizmente. Mas a esperança é a última a morrer.

Anónimo disse...

Perdou-me a ousadia de corrigi-lo, Sr Embaixador !
eu nunca comi em nenhum restaurante estrelado pelo guia Michelin, mas já fiz trabalhos para esses restaurantes e a minha experiência suporta o que afirmei, porque tratei de negócios com os respectivos proprietários e deu para ver a diferença entre a vontade de pagar e a vontade de receber. Além disso também dei uma vista de olhos pela ementa ! E para dar 20€ por uma sopa tem que ser uma muito boa e grande sopa, não acha ??

Acrescento que não ponho nada em causa do que o Sr Embaixador e outros cometadores afirmaram. Apenas deixei um relato psico_social desses restaurantes. Longe de mim dizer que se come mal!
Eu até extranho que hajam tão poucos restaurantes em Portugal com estrelas michelin. Penso que deve haver ai alguma conspiração !

Até podiamos comparar com Espanha e ver quantos há na provincia de Andaluzia e comparar com os nossos!

E digo-lhe uma coisa ! A nossa culinária dá cartas em qualquer parte do mundo. Só o frango achado com piri piri, que até eu sei fazer enche restaurantes em Inglaterra aos pontapés!
Eu não sou tão viajado como o Sr Embaixador, mas lembro-me de ir a Cardiff, por duas vezes distintas e ir jantar ao mesmo restaurante Madeirense e estava sempre à pinha com as famosas espetadas. Também em Antuerpia, acabei jantando num restaurante portugues que estava cheissimo! Na Africa do sul nem se fala!
O que falta para consagrar a nossa comida é organização ! Nós damos muitos tiros nos pés e assim é muito dificil ! Para além de gostarmos de bajolar os Franceses, Ingleses e Alemães , sobretudo estes!

OGman

Teresa disse...

Com muita pena minha, da última vez que estive em Paris (há dez anos) ainda não havia Zagat para a cidade. Deixei-me levar por um amigo que vive aí quase metade do mês e que tem um gosto requintado. Há alguns restaurantes a que volto sempre encantada, como o Le Voltaire, o Stresa, o Marius et Janette, o Relais do Plaza ou o l'Orangerie. O Georges também, mas mais por causa da vista. E depois há aquelas loucuras que se cometem uma vez na vida e que, muito sinceramente não justificam a obscenidade que custam, como Taillevent e, principalmente, o Alain Ducasse.

Concordo com o Senhor Embaixador quanto à qualidade dos Zagat de NY e Londres, e acrescento também o da Florida (Miami, Palm Beach, West Palm Beach e Keys), completíssimo.

Aproveito para deixar uma recomendação a quem possa interessar: o maître do Blue Door, o fabuloso restaurante do Delano Hotel, em Miami (South Beach), é português. Chama-se Manuel Gonçalves e fica sempre felicíssimo por encontrar compatriotas. Da última vez que lá fui, não o vendo, perguntei por ele. Estava de folga, foi azar. Pois quando veio a conta descobrimos que cafés, sobremesas e digestivos tinham sido oferecidos. Hospitalidade à portuguesa. :)

Saiu muito recentemente um livro sobre restaurantes de Lisboa, encontrei a notícia no Delito de Opinião:

http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/3727837.html

Teresa disse...

P.S. Peço desculpa, o link para o livro é este:

http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/3727837.html