domingo, 8 de julho de 2012

Eclipse

Há qualquer coisa de trágico na saída de cena de um político que, de um dia para o outro, deixa de ser uma personagem mediática constante para se tornar uma figura distante do centro das atenções públicas. 

François Bayrou, o político centrista que, nas eleições presidenciais de 2007, havia obtido o apoio de quase um quinto do eleitorado francês, viu-se relegado para uma percentagem bem mais modesta no escrutínio deste ano e, após isso, não conseguiu sequer ser eleito deputado. Devo dizer que achei de uma nostálgica sobriedade a sua frase de que, agora, iria "visitar o país do silêncio".

Noutro registo, mais humorístico, um antigo ministro, Renaud Donnedieu de Varbes, deixou, há uns anos, uma excelente frase qualificadora desse apagar das luzes da ribalta (que deixo em francês, para melhor ser apreciada): "Passer de ministre à promeneur de son chien suppose un énorme travail sur soi-même".

4 comentários:

Helena Sacadura Cabral disse...

Para quem faz da política a sua profissão, pode ser traumatizante.
Mas para quem está na política de forma acidental, e tem outra profissão, devia ser algo para lembrar todos os dias...

Anónimo disse...

o sr embaixador parece ter sempre uma palavra simpatica para francois bayrou

bem haja

Anónimo disse...

Gostei da primeira entrevista que François Bayrou deu no início da campanha presidencial. Sério, conhecedor da França de província, moderado e autêntico. Para um país como a França, já tinha tentado muitas vezes lugares de primeiro plano. Não tantas como o Presidente Lula antes de chegar a Brasília... Mas as latitudes dos países não são as mesmas! As expressões que reproduz dos "já" ex-políticos franceses mostram um Bayrou mais francês, do que o outro que tem um "humor próprio dos britânico".

Isabel Seixas disse...

"Semiótica psicanalítica é uma área interdisciplinar das ciências humanas que se propõe à reflexão para uma clínica da cultura contemporânea."

Permite-nos entender a fase

(de euforia e de inconsciência quase coletiva de mania)

de que estar no poder é poder...

"Travail sur soi-même", em regime de tempo integral é desde justo a fascinante e a prática da descoberta então... Hum.

O post é um indicio de que o Senhor a seu tempo vai estudar Freud.