terça-feira, 24 de julho de 2012

Camaradas

Há poucas semanas, em Moscovo, logo atrás da Praça Vermelha, deparei com uma manifestação do Partido Comunista local, que agora já não é "da URSS". A minha incorrigível curiosidade por estas coisas fez com que decidisse aceder ao espaço vedado, que estava reservado para o comício (com prévia passagem por um estrito controlo de metais...), por forma a observar mais de perto o ambiente. Eram uma escassas centenas de pessoas, com muitas bandeiras e tarjas vermelhas, junto a um palco onde peroravam algumas figuras - ao que me foi dito para protestarem contra os malefícios da alternância entre Putin e Medvedev.

A memorabilia à venda tinha escassa graça, tanto mais que, para espanto dos vendedores, eu andava à procura de coisas do tempo de Stalin, para oferecer a um amigo que ainda é fã do "pai dos povos". 

Ao sair do inesperado evento, dei comigo a pensar que, desde há quase um século, o Partido Comunista continua a ser, na Rússia, a única força política com o privilégio de poder organizar livremente as suas manifestações públicas.

Para o meu amigo (ainda e sempre) estalinista, e na impossibilidade de lhe ofertar, como desejaria, um "recuerdo" do "Zé dos Bigodes" (cujo busto, note-se, continua a figurar junto à muralha do Kremlin), deixo esta fotografia da placa da "rua da ditadura do proletariado", que recolhi na ex-Leninegrado. Pelos vistos, é quase tudo quanto que vos resta, "tovarich"...  

11 comentários:

Anónimo disse...

Obrigado, Chico.
A questão Estaline atua como um íman: reúne na esquerda todos os revolucionários e expele para a direita reaccionários e elementos da linha negra.
a) A

Anónimo disse...

Ora veja-se lá: sempre a malhar nos "fascistas" e, afinal, tem um amigo estalinista...

É a velha questão dos pesos e das medidas.

Luis Miguel Correia disse...

Faz-me impressão um Pais com a alma da Rússia sempre governada por tiranetes, tiranos, monstros...

Anónimo disse...

Mais uma vez obrigada por nos trazer os acontecimentos mais originais das suas deslocações. Se as coisas correrrem sem desvios no caminho que se está a trilhar por este mundo fora e, por esta Europa adentro, ainda vamos voltar a ouvir: até sempre Camaradas!

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Anónimo das 10.07: ... e fique sabendo que tenho alguns e bons amigos profundamente salazaristas, alguns dos quais não rejeitam ser apodados de fascistas.

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Luis M Correia é que a alma de um país ninguém governa...

Anónimo disse...

Sem qualquer menoscabo, para qualquer um, mesmo quanto ao íman que reúne na esquerda e expele para a direita seletivamente, (se reunir na direita e expelir para a esquerda o efeito é o mesmo, mas o íman terá, provavelmente, outro nome), este conjunto de comentários faz-me lembrar uma “SALADA RUSSA”.

Anónimo disse...

Claro que Stalin cometeu alguns erros graves mas, embora eu não seja stalinista, acho um exagero chamarem-lhe tirano e monstro.

margarida disse...

... como é possível admirar-se um lunático criminoso que provocou a chacina de tantos milhares?
Mas a História não ensina / revela / demonstra / explica nada?!
Inaudito...
Bem, claro que 'o' criminoso é o outro que também usava bigode; este já tem aura.
É uma questão de lado.
Pois é.

Anónimo disse...

O anónimo "24 de julho de 2012 23:30" andava vestido de Napoleão, ontem. Mas ele, acreditem, é o verdadeiro!

Gil disse...

Eu não estava "vestido de Napoleão.
Usava, como de costume, bicórneo e a e spada.

a) Anónimo das 23:30