segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Edgar Morin

A vida tem destas coisas. Ando há anos para ouvir Edgar Morin, de quem li muito e sempre com proveito. Ao final da tarde de hoje, ele faz uma conferência do centro cultural da Fundação Gulbenkian, aqui em Paris. Estava a deliciar-me com a possibilidade de o escutar sobre a crise, a Europa e a crise na Europa. Pois não é que essa é a única hora que consegui para uma visita de urgência a um dentista?! Há dores que são duplas.

16 comentários:

Mônica disse...

Sr Francisco
Eu também tenho perdido um monte de coisas, pois estou fazendo tratamento de dente no interior.
Tenho tres dentistas na familia mas cada é especifico de uma coisa.
com amizade e carinho de Monica

Helena Sacadura Cabral disse...

Senhor Embaixador
Acredite no destino. Não tinha que ser...

Anónimo disse...

Ronaldo, o embaixador
foi ao dentista e assim
por causa da sua dor
de dentes perdeu Morin.

Ah, não se pronuncia assim?

a) Feliciano da Mata

Anónimo disse...

Senhor Embaixador

Deve fazer visitas regulares ao Dentista para não chegar ter dores de dentes,é sinal que já deve ter uma carie .

As melhoras

Carlota Joaquina

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Feliciano da Mata, então o patrão não ensina ao Ronaldo como se pronunciam os nomes ilustres?!
Grave, muito grave, num mordomo.

Anónimo disse...

Quem nunca teve dor de dentes podera nao compreender esta falta de serenidade para ouvir um eminente seja ele Edgar Morin. Mas os que jà "experimentaram" aquela dor sabem que nao ha mental que resista. A dor de dentes e como a colica nefritica. Mas nao queira agora experimentar esta !
Jose Barros

    

Anónimo disse...

Dentista não um bom sitio para se ir, especialemtne com dôr !!!
Eu seu o que passei por causa de querer endireitar os dentes depois de velho !
A partir do 40 a periodentite começa a atacar e os dentes começam a ficar expostos e frágeis !

Eu não sou dentista , mas tratei uma periodentite com mesinhas caseiras : "waterpik" com sal + bicarbonato de sósio + àgua oxigenada + betadine !!


Um regálo!

Eu recomendo ao Sr embaixador que compre a escova electrica da Philips ( Sonicare). A escova que os dentistas não querem que os pacientes conheçam .

Com estas ferramentas tem dentes para o resto da vida. Não há nada que possa destruir os dentes se forem lavados correctamente com os produtos apropriados!

Falaando de politica!A medicina dentária evolui-o muito em tecnicas de cirurgia evasivas muito caras mas regrediu nos conceitos básicos de higiénização!

As pstas de dentes contém produtos nefastos aos dentes com o fluor e a glicerina, para além de outros !

Nada melhor que seguir a receita do DR KEyes um precussor dos hábitos antigos de usar bicarbonato de sódio na higienização dos dentes!

Como o SR é Embaixador deve imaginar que razões levaram a OMS a eliminar esses hábitos ?

OGman

Helena Oneto disse...

Senhor Embaixador,

Graças à sua "rage de dents", soube da conferência de Edgar Morin na "nova" Gulbenkian. Corri e cheguei a tempo de me fascinar com a vivacidade e justeza de um "européen" convicto, distinto historiador, humanista e filosofo! Foi uma hora e meia de grande prazer ouvi-lo contar com magistral simplicidade que a União Europeia nasceu, no fim da guerra de 39-45 do conceito d'"une communauté de destin(s)", a construção e (resumo) "la décomposition de l'Europe due au détour économique par l'obstacle politique" e ao "égocentrisme des nations qui la composent" (...).

En resposta a uma pergunta -muito pertinente- da assistência sobre a existência d'"une étique européenne", Edgar Morin evocou Montaigne, Voltaire, Montesquieu, Lévi-Strauss,... e o fosso que separa a Europa de hoje e a idealizada. Brilhante!

O auditório não estava "a abarrotar" como seria de esperar numa ocasião excepcional como esta. Presumo que por falta de informação. Muitos interessados, como eu, não tiveram conhecimento prévio desta palestra. O que me valeu, foi ler a sua dor de dentes...

Espero que não sofra e desejo-lhe, sinceramente, caríssimo Embaixador, as melhoras.

Anónimo disse...

Dostoievski, que Deus tenha,
gostava de dores de dentes:
no "Subterrâneo", Azenha,
as dor's eram seus presentes,

recompensas para o Mal,
prémio de almas doentes:
Dostoievski (o animal!)
gostava de dores de dentes!

(se não acreditam, leiam as "Memórias Escritas num Subterrâneo")

D. Helena, o meu patrão, discípulo do Eça, ensinou-me a "pronunciar patrioticamente mal as línguas estrangeiras" - e eu aplico-me!

a) Feliciano da Mata

Isabel Seixas disse...

Dificilmente se ouve(e ou escuta) com dor de dentes...
Não tinha outra opção.
As melhoras.

Anónimo disse...

Na imagem Morin parece ter também dor de dentes.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

A nossa Mônica até tem três dentistas na família mas cada é específico de uma coisa. É uma fofa. Um, de certeza é mais pontes.

Nós cá tínhamos o Edgar Cardoso especialista em pontes das outras, mas já caiu. E especialista em palas; até esteve sentado na do velho Alvalade. Lembra-me sempre o Afonso Domingues.

A minha mulher Raquel diz que dores de dentes são piores do que dores de parto. Aqui declaro sob juramento com as duas mãos na Bíblia: não posso fazer comparações; nunca tive dores de dentes.

Anónimo disse...

As dores de dentes são mesmo dores.

As dores de ouvido são bem piores.

Que sorte que algumas pessoas têm.

Uma boa gestão das dores é essencial.

Há quem corte partes do corpo para para mudar de dor.

Distinto Embaixador, desejo que as dores se vão esbatendo, para poder saborear na plenitude uma grande alegria que vai ter em breve.

Respeitosos cumprimentos.

MG

Francisco Seixas da Costa disse...

Uma discreta comentadora (pelo estilo, isso deteta-se) anuncia-me uma "alegria" para breve. Em tempo de crise, as alegrias são como as notícias boas na imprensa, isto é, são raras. Por isso, cá fico à espera.

Um colaborador da Embaixada, que tem atenção a essa coisa dos IP's (eu nem sei como isso se vê), diz-me que a mensagem tem origem nos Prazeres, em Lisboa. Pelas iniciais, espero não se trate de uma reencarnação da Maria Guardiola, a velha comissária nacional da MP feminina, que está depositada... no cemitério dos Prazeres. Prazeres e alegrias rimam bem.

Anónimo disse...

Olhe que não, Senhor Embaixador, olhe que não...

A alegria é quase garantida.

Quanto aos prazeres, "as coisas são mais simples do que parecem".

Embaixador tambem é homem.

Boa noite e respeitosos cumprimentos.

M

Anónimo disse...

Lamento as suas dores de dentes e o facto de perder um evento por que há tanto esperava, mas o tema deu para uma entrada de diário deveras magnífica sobre a vida.

Melhoras rápidas.

Um abraço do

onésimo