domingo, 18 de julho de 2010

SAS

O escritor francês Gérard de Villiers revelou, numa entrevista, que acaba de regressar da Guiné-Bissau. Assim, podemos esperar que, dentro de algumas semanas, venha a surgir um romance centrado em Bissau, com uma capa em que erotismo e armas serão os fatores  indispensáveis, em que surgirão misturados política, dinheiro e mulheres, num complexo de personagens reais e de figuras fictícias, projetado num cenário de mistério e risco, em que o príncipe austríaco Marko Linge e a sua eterna noiva, a condessa Alexandra, acabarão por ultrapassar grandes perigos e maiores aventuras.

Desde há décadas, a um ritmo de três ou quatro romances anuais, a receita é idêntica. A série SAS - situada entre o policial e a espionagem -, cuja edição já conheceu melhores dias, mas que é ainda um garantido êxito de livraria (de aeroporto), acaba por ser uma espécie de roteiro turístico imaginário, centrado quase sempre em países em convulsão ou com tensões à flor da política local. Já experimentei testar diversos cenários descritos por Villiers com a realidade e, podem crer, as coisas aproximam-se muito.

Recordo-me do sucesso que, aí por 1976, fez em Portugal o seu "Les sorciers du Tage", onde se ficcionava a Revolução portuguesa, misturando figuras do MRPP e da LUAR, com ambientes lisboetas, em que cenas implausíveis se cruzavam com personagens que se aproximavam da realidade.

Neste tempo de férias, recomendo a quem puder que revisite aquele curioso romance de Gérard de Villiers.

Em tempo: hoje, por outras razões menos simpáticas, fiquei a saber melhor o que podem ser os feitiços do Tejo...

5 comentários:

Helena Oneto disse...

Lembro-me de Gérard de Villiers apresentar "Les sorciers du Tage" no Grémio Literário "à pinha" de revoluçionários e capitães de Abril.

Anónimo disse...

"Les sorciers du Tage"

Vou aludir à capa

Então a senhora, Olhem Mas não toquem, senão há chumbo duma grotesca espingarda,(podia ser uma G3 consentânea com a pose), faz a apresentação(Prefácio de impacto, imagem vale mais que ...Palavras) da suspeição de emoções antagónicas que eventualmente o livro poderá suscitar...

Sem grande esforço criativo presumo que a Senhora será o ingrediente/especiaria para induzir a compra do livro, nem vou tecer o resto das considerações...

Só... Se o Senhor mo emprestar.
Isabel Seixas

Francisco disse...

As cenas do "Les Sorciers du Tage" imaginadas (?) no Grémio Literário ficaram para a História...

"Anunciador" disse...

Fico na expectativa relativamente à eventual publicação.

Boas férias, Senhor Embaixador.

Susana Fonseca

"Anunciador" disse...

Fico curiosa face a tal publicação, com a Guiné-Bissau como cenário.

Boas Férias, Senhor Embaixador.

Susana Fonseca