sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Chiado

A disparidade dos padrões culturais tem consequências curiosas, embora nem sempre cómodas.

Precisamente há uma semana, no Chiado, decidi engraxar os sapatos. Era uma bela tarde e, aí durante dez minutos, lá estive a ler o jornal, num engraxador que costuma parar em frente à Bénard. Na altura, lembrei-me - juro! - do poema do O'Neill: "O senhor engenheiro hoje não engraxa? Engraxo na Baixa".

A meio da função, levantei os olhos e reparei que um grupo de turistas estrangeiros fotografava a cena, de vários ângulos, com uma curiosidade quase antropológica. Senti-me uma espécie rara. Quem sabe se, entretanto, não apareci já nalguma publicação nórdica, a ilustrar o tipicismo da vida lisboeta.

Já agora, espero que algum dos fotógrafos tenha tomado um ângulo mais alargado e fixado o nome da casa comercial ao lado da qual estávamos: "Paris em Lisboa"...

9 comentários:

Anónimo disse...

Patusco Post e bem observado!
P.Rufino

Anónimo disse...

Excelente!

Anónimo disse...

é por essas e por outras que eu so compro sapatos de camurça !

Julia Macias-Valet

PS Ja agora, nunca vi uma mulher a engraxar os sapatos na rua, why ?

Anónimo disse...

So mais uma coisa :
Quanto reencontrar numa das minhas saidas lisboetas Pedro Sousa Gomes, co-proprietario da loja "Paris em Lisboa" contar-lhe-ei esta historia.

Julia Macias-Valet

Anónimo disse...

Ah !? Lembrei-me duma deixa num Teatro de Revista.
Um artista perguntava: Foste ha Caixa buscar a baixa ?
O outro replicava : Nao ando de caixa pela Baixa.

Bom, agora ja chega !

Julia Macias-Valet

José Barros disse...

Não me lembro de algum dia ter posto no banco do engraxador os meus sapatos para engraxar. Nem me recordo de em França ter visto estes ambulantes algures nestas ultimas quatro décadas desde que por aqui ando. Sei que houve uma tentativa de “recriar” alguns destes empregos no aeroporto de Orly, lá irão quatro ou cinco anos, por uma associação de “reinserção social”, mas não tenho informação de que os empregos resultaram...
Na minha vila de origem sim. E de entre os engraxadores lembro-me de um que oficiava quando queria porque trabalhava por conta própria, dizia... E tinha outros talentos que lhe deram nome para ser reconhecido como personagem típica do Burgo. Também gostava da sua imperial e naqueles momentos, mais de uma vez, recusou serviço a clientes com a sua célebre frase: “O comércio está fechado, volte lá pá tarde”! E continuava à conversa ao balcão no interior do café com a caixa no passeio inactiva.

Anónimo disse...

Engraxar sapatos com duas escovas ao mesmo tempo!... hà muitos anos que assim é!

Como é do conhecimento do Embaixador, a cultura é comunicação... Os turistas lá se foram sussurrando, talvez : … é o que nos aprendemos das outras culturas, que torna a nossa significativa.

Excelente ideia.

Carlos Falcão

O Moscardo disse...

Excelente... aqueles "small details"... É de facto um país com as suas particularidades... o nosso... Obrigado por nos relembrar isso!

papoila disse...

Sr. Embaixador,
Estava com os dois sapatos da mesma cor???:)
Não resisti a esta brincadeira!