sábado, 9 de junho de 2012

Dia de Portugal


14 comentários:

margarida disse...

É todos os dias.

Isabel Seixas disse...

Olha a Margarida. (...)
Saudade.

Isabel Seixas disse...

A expectativa é tão ...Tão...Tão...!?

Isabel Seixas disse...

Sr. Embaixador só algo selvagem e agreste me faz aguentar... Esta ressaca claro.
Permita-me

Arroz de cogumelos "selvagens"
Por analogia com Alemães
(Compram-se, eu gasto da geldouro)

Porção 8 pessoas(de preferância frustradas por expectativas goradas)

1 cebola picada(rabina e amarga que nos faça chorar/porra)
2 pacotes de cogumelos(Tipo sanchas/tortulhos/níscaros)
1 pernil cozido

2 chávenas grandes(Almoçadeiras)de arroz

Sal qb, uma pitada de pimenta branca

E este arroz quer alho


Faz-ze o estrugido com azeite caseiro o alho picado com vigor e cheio de nervos pelo acontecido seguido da cebola com lágrimas de Portugal(que atavismo),...

Depois da cebola transparente
(manteremos de bandeira em riste o altruismo e a pose)
juntar os cogumelos deixar estrugir , acrescentar 8 chávenas(as que serviram de medida para o arroz) de água a ferver o pernil cortado em pedaços da dimensão dos cogumelos, deixa-se cozer com a pitada de pimenta branca, e serve-se com carinho e a impotência que é como quem diz conformismo sem apelação...

Come-se em silêncio.

Pelo menos cá em casa ninguém pia

margarida disse...

... hoje só a Isabelinha me faria rir...
LOL!

Anónimo disse...

A velha senhora está mesmo muito, muito, zangada:

é todos os dias
dia de portugal
a guida abre vias
com que a isabel parece
que até concorda e eu cá
concordo tal e qual
só há que fazer já
que a macacada cesse

descavacado ultrapassado
desrelvado
portugal amado cresce
como é dado

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Senhor Embaixador, deu um vento muito forte à sua/nossa bandeira!

Anónimo disse...

Parece um cravo, Senhor Embaixador. Mas foi tirada ontem? Estava um céu diferente.

samartaime disse...

Pobre da pobre, só o vento a desfralda!

Anónimo disse...

Bandeira em flor
---------------------------------

"Aqui ao leme sou mais do que eu"

Era um bravo marinheiro
tão cansado de sofrer
e no meio da tempestade
(atordoado)
o mostrengo estremeceu...

Não sei se é fado ou destino
a sorte deste meu povo
com saudades de sorrir
um pouco mais de coragem
um pouco mais desse vento
(quem sabe uma leve aragem)
e voltará a FLORIR

(de ERA UMA VEZ)

Julia Macias-Valet disse...

Uma bandeira, como uma chama imensa !

Anónimo disse...

Que belo poema sr. Embaixador deste seu comentador que dá pelo nome de ERA UMA VEZ.
Estou comovido.
Duvido no entanto que um vento suave chegue.
Talvez um ciclone!

A.P.

Anónimo disse...

A velha senhora ficou encantada com as ideias e musicalidade de ERA UMA VEZ e com o ciclone de A.P. - e rimalhou, sempre inconveniente e com a habitual 'elegância':

portugal cresce e floresce
se o vento grego de leste
varrer esta merda toda
que já nos chega de f...

e o mostrengo financeiro
que de vez vá pró galheiro
e leve atrás se lhe apraz
o seu luso capataz

ou capatazes - da alta -
que nenhum faz falta à malta
que vão todos pró c......
se não gostarem - rimalho

(rima de velha não há de
ofender a dignidade
de um blogue que sei tão digno
que da liberdade é signo)

Anónimo disse...

O que faz uma bandeira! O que ela inspirou, e, que aragem deu a todos aquele vento!