segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

2018


No que me toca, não me importava nada que 2018 fosse exatamente igual a 2017. Com os muitos amigos que tenho, com os inimigos que se mantiveram ou revelaram (alguns bem patuscos), com a vida que gosto muito de ter. Nem mais, nem menos. Será pedir muito?

4 comentários:

Rui C. Marques disse...

É pedir tudo isto é,é pedir aquilo que verdadeiramente importa.
Abraço solidário.

Anónimo disse...

Espermos que 2018 não passe de um ano "saboroso" para um "apetitoso".

Anónimo disse...

Puxa xico... ou sera chico?
Ate me fez lembrar a edite estrela neste artigo

PSICANALISTA disse...

Que o beluga nunca lhe falte nas entradas dos repastos !!!