terça-feira, 27 de junho de 2017

O sentido e o Estado


Não me apetece alinhar no coro adjetivado contra o líder da oposição, por virtude da sua "gaffe" de ontem. Acho sempre que é possível, e até desejável, tratar estas questões com alguma serenidade e medindo as palavras.

O que mais me impressionou no que Pedro Passos Coelho fez foi o ter cavalgado um facto falso, que não cuidou em confirmar, explorando-o sem o menor pudor.

Porque a questão é esta: se alguém efetivamente se tivesse suicidado, sob pressão psicológica da tragédia a que assistira, seria legítimo a segunda figura da hierarquia partidária do país fazer disso um caso de exploração política, num tempo em que está em curso a instalação de uma comissão de inquérito, organizada nos moldes exatos que ele próprio propôs e que foi aceite pelo governo? Será "de bonne guerre", como dizem os franceses, proceder desta forma?

É que, ao "denunciar" a falta de apoio psicológico à (inexistente) vítima (ou vítimas, como chegou a insinuar), Passos Coelho ultrapassou uma fronteira, revelou que, pelos vistos, para ele "vale tudo", desde que o objetivo seja tentar marcar uns pontos mediáticos - aparentemente porque agora lhe pareceu que alguma atrapalhação do governo podia abrir uma janela de oportunidade, como forma de recuperar do fosso onde as sondagens colocam hoje a sua liderança.

O povo português sabe que, em política, as coisas são o que são. Alguns dos meus amigos não gostarão de ler isto, mas, se o PS hoje fosse oposição, sei que algumas vozes que por lá existem seriam capazes de dizer coisas do jaez das que Passos Coelho disse (eu não tenho ilusões). Mas a mim, no dia de hoje, conforta-me bastante ter a absoluta certeza de que António Costa o não faria. E os portugueses sabem isso, como agora também aprenderam até onde Passos Coelho é capaz de ir.

Este foi um dia triste para a democracia portuguesa.

17 comentários:

Anónimo disse...

A esquerda tem sempre a que se agarrar… vêem a hipocrisia como uma virtude.

Anónimo disse...

"Onde raio está uma comissão independente?

Como a todos toca a culpa, vão imperar os golpes baixos. E quem perde, como sempre, é a pobre verdade a que todos os portugueses têm direito. "


Joâo Miguel Tavares in "Público"

carlos cardoso disse...

Passos Coelho demonstrou mais uma vez que é um zero em comunicação, um defeito fatal para um político. Será que no partido dele não há ninguém que o aconselhe ou é ele que não segue os conselhos?

Manuel do Edmundo-Filho disse...

Passos Coelho não se limitou a "cavalgar" um facto falso. Ele adiantou, depois de o terem informado que não havia confirmação da notícia de suicídios, que "e issso posso testemunhar" havia pessoas internadas em consequência de tentantivas de suicídio.

Anónimo disse...

Passo a passo o Pedro mata o coelho. De resto não espanta seguramente ninguém que o coitado do Passos não diga a verdade.
Fernando Neves

Fernando Correia de Oliveira disse...

totalmente de acordo, caro Embaixador. O problema não foi apenas o da informação ser falsa ou de ser de intolerável mau gosto. Mesmo que tivesse havido algum suicídio, ele não deveria ter sido trazido para a luta política, até pelo conhecido fenómeno de mimetismo que pode haver nestes casos. Se agora ocorrer um suicídio entre as vítimas e familiares da tragédia?

josé ricardo disse...

Subscrevo quase em absoluto esta sua opinião. Só não colocaria assim tão decididamente as mãos no fogo pelo António Costa. O que este não seria - disso estou eu certo - era tão estúpido, pois de estúpido não tem nada e ainda bem. Falaria, provavelmente, das respostas que compete ao Estado dar, etc., etc., etc., sem aludir, obviamente, aos supostos ou reais suicídios.

Fernando Silva disse...

Definição de gaffe:

1. ação ou palavra impensada que provoca uma situação embaraçosa ou um equívoco; deslize
2. disparate, tolice

Ora não me parece ter sido nem uma coisa nem outra.

A JOGATANA disse...

Passos não "cavalga", Passos é cavalgado dentro e fora do partido, dentro e fora do parlamento.

Passos só resiste porque não tem rabos de palha, senão já tinha ardido que nem um balão de São João.

Anónimo disse...

É muito difícil ser oposição e não consigo tirar nenhuma ilacção deste fait divers. Dito isto nunca gostei de Passos.

Anónimo disse...

Senhor Embaixador

Sou completamente leigo em incêndios florestais.
Entristece-me que, perante situação tão triste, o presidente do PSD lance uma notícia falsa e que os meios de comunicação tenham inventado a queda de um avião.
As declarações de políticos e as reportagens dos meios de comunicação parecem-me tirar proveito da desgraça e fazem-me lembrar as «Trovas para serem vendidas na Travessa .......» de António Gedeão.

José Neto

Anónimo disse...

Passos Coelho - O maior Aldrabão e mentiroso.
https://www.youtube.com/watch?v=QK4LFV3dtSY

Passos Coelho o maior mentiroso de toda a história de Portugal
https://www.youtube.com/watch?v=NrUOsoegOPY

Passos Coelho o mentiroso compulsivo 2016
https://www.youtube.com/watch?v=iQQV8ScjOBk

AS MENTIRAS DE PASSOS COELHO
https://www.youtube.com/watch?v=pjEIZKqqJdU

Passos Coelho: as mentiras
https://www.youtube.com/watch?v=iJCSmwLeUZg

Só não sei, se os que constantemente aparecem a defender o querido lider somente pertencem a essa execravel especie ou se fazem parte tambem do batalhao de controleiros pagos da web

Anónimo disse...

Não concordo com a sua análise. Passos Coelho logo que foi informado que tinha dado uma informação errada, que lhe foi dada por um responsável por um organismo social directamente envolvido no apoio às vítimas, veio de imediato reconhecer o seu erro é pedir desculpas publicamente.

No Governo, pelo contrário, não se reconhecem os erros e chuta-se para canto. Está já provado que falhas no SIRESP foram directamente responsáveis por vítimas mortais. A responsável pela Administração Interna devia essa sim pedir desculpas e apresentar a sua demissão, não se escondendo atrás de mais pedidos e relatórios. Assuma as suas responsabilidades.

Anónimo disse...

Estou de acordo que Passos Coelho tinha a obrigação de não cometer erros destes. Rejeito, contudo, que o tenha feito com intenção política desmedida. Alguma vez o fez? Será que tem feito a oposição, porque é disso que se trata, que lhe fizeram durante quatro anos? Será que perante uma calamidade destas resolvemos atacar o líder da oposição em vez de pedir responsabilidades a quem quis governar? É triste quando um povo embarca nestas manobras. E dizer que António Costa não seria capaz de fazer o mesmo é verdade. Ele é capaz de muito pior. Ou já se esqueceram?

Anónimo disse...

Sr. Anónimo das 21,45. Apoia, gosta, grama, o Passos Coelho. Está no seu direito. Mas faça favor , não lhe dê voltas. O sr. PPC quis cavalgar a desgraça, para atacar o governo, por isso dava-lhe jeito, mais uns mortos. È baixo e reles de mais!. O tal responsável por um organismo social diretamente envolvido no apoio às vitimas, é do PPD e candidato pelo PPD às próximas eleições! Foi muito baixo. Essa da de veio de imediato, pedia desculpa. Brincamos ou quê? Não devia proferir tudo o que lhe "bixam", para interesses próprios. Mesmo que, este falso caso, até fosse verdade. Ele e o Sr. que o defende, ficam vergonhosamente, mal no retrato!!

Anónimo disse...

Sr. anónimo das 00h15.

Efectivamente que deu as informações a Passos Coelho é candidato do PSD, mas é também Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Grande e como creio que deverá saber, as Santas Casas da Misericórdia são normalmente as instituições que nos vários concelhos apoiam em primeira mão as pessoas carenciadas ou vítimas de acidentes ou catástrofes e têm acesso a informação em primeira mão, por isso Passos Coelho certamente teve todas as razões para acreditar numa pessoa que deveria estar bem informada.

Logo que teve conhecimento do erro, veio publicamente assumi-lo e pedir desculpas, num gesto de hombridade que mais pessoas deveriam ter quando se enganam.

Não se tente agarrar oportunidades para fugir ao tema principal, a morte de 64 pessoas, que isso sim é uma catástrofe, que já deveria ter levado à demissão da responsável pela pasta da Administração Interna.

Anónimo disse...

@Anónimo 28 de junho de 2017 às 00:15

Pois as desculpas desse sujeito valem coisa nenhuma.

Depois da sua assinatura do PEC veio muito choroso a tv dizer "desculpem Portugueses" para passado pouco tempo andar todo entusiasmado a espalhar aos 7 ventos "ir alem da troica" (mas so no que lhe conviu)

Neste caso (é o meu palpite) quando os seus controleiros pagos que patrulham a net notaram que tinha feito uma valente borrada os acessores de imagem optaram pela estrategia do pedido de desculpas mas era necessario alguem para o sacrificio e o escolhido foi o lelo mais fraco.

Lembra-se quando se descobriu as falhas do coelho para com a segurança social e o fisco as desculpas mais infatis que utilizou.
Nao sabia
Era muito complicado
Esqueceu-se
Não tinha possibilidades

Coitadinho