terça-feira, 30 de maio de 2017

Nuno


O Nuno Brederode Santos partiu há um mês. Ontem, com a Céu, alguns daqueles que ele classificaria como "o ventre mole do núcleo duro" dos seus amigos lembrámo-lo, da forma e no local em que achámos que ele gostaria de ser lembrado. Deixo esta sua bela fotografia e as palavras de Lincoln: "It has been my experience that folks who have no vices have very few virtues".

7 comentários:

carlos cardoso disse...

Não conhecia essa do Lincoln, que me fez pensar nesta do Churchill:
“He has all the virtues I dislike and none of the vices I admire."

Anónimo disse...


Mesmo sendo não-politizado frequento este blog sempre que tenho oportunidade.

Na minha prespectiva este blog tem uma carga de politização grande.
Não é que reprove tal qualidade.
No entanto tem uma visão antiquada de resolver os problemas que estamos a viver na Europa.
As pessoas passam, o tempo continúa.

É assim que tenho observado que o autor se tem voltado para o passado elogiando pessoas de outras épocas, ou por obituários ou por memórias.
As qualidades dos lembrados aqui, são sempre referentes a uma época, a uma opinião pessoal do autor e nem sempre teem a distanciação necessária da pessoa lembrada.
Há muito de emocional no que se escreve por estes lados, mas é muito ilustrativo de um certa época em Portugal não só no passado mas também no presente.
Haverá um dia um sociólogo, não politizado, que fizesse um estudo sociológico sobre este blog.
Seria interessante

Francisco Seixas da Costa disse...

Ao Anónimo não politizado das 14:04. Como esse sociólogo teria de olhar para o passado, o resultado seria sempre enviezado. Por isso, tudo como dantes, quartel-general em Abrantes. E é claro que é o autor do blogue que "está" nele, sãp as opiniões dele que são relevantes, as emoções dele que transparecem nos adjetivos. Isto é um blogue pessoal. O resto, isto é, quem aqui vem, fá-lo por "voyeurisme" voluntário

Anónimo disse...

@ autor do blog.

"O resto, isto é, quem aqui vem, fá-lo por "voyeurisme" voluntário. "

Ou também para ver como via o mundo alguém que em tantas coisas participou e participa referentes a este país. Só "voyeurisme" seria pobrezinho.

Helena Sacadura Cabral disse...

Pois eu gosto de aqui vir. Talvez porque goste mais de pessoas do que de ideologias. E, como já sou de um passado longínquo, mas vivo gostosamente o presente, sabe-me bem, de vez em quando, relembrar - esquecer é uma forma de morte - o que fui e o que muitos outros também foram. Não para nos dar-mos a conhecer, mas sim para nos encontrarmos no que fomos. E fomos muita coisa!
Algo semelhante às conversas que tenho com o meus netos, já adultos, quando lhes explico como era a vida da avó, as lutas que travou, os riscos que correu, as alegrias que viveu, enfim, o caminho que percorreu para eles poderem ter, hoje, a sua própria história pessoal.

Irene Pimentel disse...

O que faz alguém "assinar" anonimamente e "comentar"? Beats me...
Obrigada Francisco Seixas da Costa, beijo.

JOM disse...

O Nuno é uma personagem de todos os tempos, sem idade. Para mim nao tem a idade com que nos deixou. Para mim ainda tem 24 anos e esta bem vivo na minha memoria. Portanto o autor e amigo daquele que ha muitos anos foi meu amigo tambem nao vive de emocoes do passado vive de emocoes actuais. Para mim Nuno é um amigo sempre jovem aquele com quem todos os dias convivi durante um ano da minha vida por acaso na tropa. Numa juventude que na minha memoria foi apenas ha meia duzia de decadas. O tempo passa tao rapido...