quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

"Olhar o Mundo" ou não?

Desde há vários anos que a RTP mantém no ar o programa "Olhar o Mundo", um espaço semanal de informação dedicado a temas internacionais, sobre cuja qualidade não tenho - e julgo que também ninguém tem - a menor das dúvidas. Cada programa tem um convidado, que dialoga durante cerca de 45 minutos com o apresentador, que nos últimos anos é o jornalista António Mateus. Há convidados esporádicos e um grupo de "residentes", de que tenho vindo a fazer parte. Em todos os casos, trata-se de pessoas ligadas às relações internacionais, por via profissional ou académica.

O programa aborda, semanalmente, dois ou três grandes temas da atualidade internacional, fazendo uma retrospetiva sobre os principais acontecimentos ocorridos semana anterior e tentando olhar, em prospetiva, o futuro imediato, nas várias geografias. Nenhum dos convidados recebe - nem nunca pediu - a menor retribuição financeira por aquela tarefa, a qual, obviamente, ocupa algumas horas de trabalho, a montante da gravação do programa, que também obriga a uma deslocação aos estúdios da RTP, que faz perder tempo e envolve custos pessoais. 

O prazer de poder contribuir para uma divulgação das temáticas internacionais em Portugal é, contudo, a retribuição desejada. Falo por mim. Duvido, aliás, que em qualquer outra parte do mundo seja possível fazer um programa "pro bono" desta natureza. E aposto em como quem trata dos mesmos temas noutros canais portugueses é pago por isso. No fundo, trata-se de uma espécie de serviço público prestado a uma televisão que se afirma pública. Pelo tipo de "peças" utilizadas no "Olhar o Mundo" sou também levado à conclusão - mas nunca perguntei - de que este deve ser um dos mais baratos programas produzidos pela RTP. 

Serve este intróito para sublinhar a minha estranheza pelo facto do "Olhar o Mundo" andar sempre "em bolandas" pela programação da RTP, exibido pelas madrugadas, sem ser objeto de uma promoção conveniente, sem projeção no site da estação, sem uma indicação das horas de exibição, substituído sem aviso por um qualquer jogo de uma qualquer ignota modalidade desportiva, onde alguém tenha vislumbrado uma réstea de duvidoso "serviço público". Agora, ao que me chega, o "Olhar o Mundo" até da RTP2 vai sair.

Uma nota curiosa: um elevado responsável pela RTP dizia-me, há escassos dias, que a estação necessitava de tratar melhor a informação internacional...

O "Olhar o Mundo" é, manifestamente, um programa mal-amado no seio da RTP. Esta é a minha opinião pessoal, não tendo perguntado aos meus colegas ou ao António Mateus qual é a deles. Será mesmo assim? No fundo, o objetivo derradeiro é vir a acabar com o programa? Se assim é, é melhor assumi-lo, com frontalidade, em lugar de brincarem com o trabalho das pessoas.

11 comentários:

Anónimo disse...

Para "Olhar o Mundo" existem programas da BBC, France 24 e Sky News, os mais credíveis.

Luís Lavoura disse...

Olhe Francisco, eu desconhecia completamente a existência desse Olhar o Mundo. Anda pelos vistos tanta gente a trabalhar pro bono para nada...
Mas conheço um programa análogo na rádio Antena 1, qua passa aos domingoa a hora muito conveniente e costumo escutar.

Anónimo disse...

Sendo praticamente o único no género tem pelo menos essa virtude. O naipe de convidados poderia contudo ser alargado para além da movência iscsp-unl-ual.

Anónimo disse...

Boa Noite

Ao anónimo das 14,02, digo: não seja snob, o Olhar o Mundo em português é bem "credível".

Ao Luis Lavoura eu e mais uns quantos que vemos ouvimos e quicá lemos (como disse Sofhia) não somos o "nada"...

Bem haja o dono deste blog.

Maria Helena/Cascais

Francisco Seixas da Costa disse...

Ao Anónimo das 18.08: "Para além da movência iscsp - unl - ual". Acha pouco? Dê ideias..

Anónimo disse...

o caro embaixador faz bem em indignar-se, causas nao faltam!

deixo para quem quiser ler

http://www.dn.pt/opiniao/opiniao-dn/viriato-soromenho-marques/interior/a-culpa-nao-e-da-russia-5584771.html

cumprimentos

dor em baixa disse...

Também ouvia o programa a que se refere Luís Lavoura, pelo que vejo é diferente deste de que trata o blogue, que não conheço.
De qualquer modo deixei de ouvir, só havia um ponto de vista, diziam todos o mesmo. Além disso entristeciam-me as participações de José Cutileiro. Não acrescentava nada ao que ouvia vindo das agências de informação, às vezes parecia que estava a resumir os artigos de jornais e revistas que eu tinha lido. Como se fosse a imprensa a fazer a História.

Luís Lavoura disse...

Para "Olhar o Mundo" existem programas da BBC, France 24 e Sky News, os mais credíveis.

Credíveis uma ova! Fazem propaganda da política externa dos seus países.

Basta ver a propaganda nojenta a que fomos submetidos nos últimos meses, a propósito da conquista de Alepo pelas tropas sírias: o sofrimento horrível da pobre população civil, sem referir que essa população estava aprisionada e transformada em escudos humanos por uma escumalha de extremistas islâmicos sem piedade nem escrúpulos.

Anónimo disse...

Ó Embaixador, a RTP está mais interessada em promover cozinhados de "caganitas" feito por pedantes e apresentados entre outros pelo inanarrável Malato.

Anónimo disse...

Ele há universidade do Minho e Coimbra, por exemplo. No IDN também se poderia pescar gente de quilate.

Francisco Seixas da Costa disse...

Ao Anónimo das 20.50. A maioria das pessoas que colabora com o IDN vem de universidades (como é o meu caso). Coimbra e Minho são duas boas sugestões, restando saber se estão disponíveis para se deslocarem a Lisboa, pagando viagem e instalação, porque, como ficou claro no texto, a RTP nada paga.