sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Back to basics?

Um amigo meu, pessoa muito conhecida e que já teve elevadas responsabilidades, alimenta a teoria de que Portugal só "voltará a ser um país verdadeiro" quando desaparecerem do horizonte as ajudas europeias e cada um souber viver "alavancado" no seu trabalho, no crédito bancário tradicional e nas eventuais discriminações fiscais positivas que o Estado entenda dever conceder para a promoção de negócios de interesse para o país. Nada mais. Esse amigo vai mais longe, ao achar que só uma nova geração, de onde tenha sido erradicada a nefasta "cultura de subsidiação", pode vir "reconstruir um país independente". E "ai de quem não concordar com isto e, ainda por cima, se arme em liberal!"

Ouvi-o em silêncio e nem ousei responder-lhe.

2 comentários:

Anónimo disse...

O seu amigo Medina é que convém comece a defender o patrimonio lisboeta. Agora todos as semanas é a ameaça que fecha uma loja historica, o pessoal da mouraria expulso de casa sem dinheiro para pagar aumentos de rendas (que duplicaram...)

isto é o resultado do "chuchalismo" em lisboa. Sim porque de socialista o senhor Medina não tem nada (para vergonha do pai e da mãe que teve)


http://www.dn.pt/sociedade/interior/120-lojas-historicas-encerraram-desde-2015-agora-e-a-paris-em-lisboa-5628652.html


cumprimentos

Anónimo disse...

Viva o regresso à idade média,viva a tortura e a inquisição. Pelos vistos também há cromagnons em Portugal, não é só o Trump
Fernando Neves