terça-feira, 15 de novembro de 2016

Universidade


Gostei muito do exercício em que estive envolvido esta manhã, na Universidade de Aveiro. A convite do respetivo Conselho Geral, presidido por Eduardo Marçal Grilo, e do Reitor, Manuel Assunção, tive oportunidade de dar a minha perspetiva sobre os principais desafios portugueses no quadro internacional, concentrando-me, em especial, no papel do ensino universitário nesse contexto. Foram quase duas horas de muito interessante debate, no qual também deixei refletida a minha experiência (2009/2012) como presidente do Conselho Geral da UTAD, bem como as funções consultivas (Coimbra e Nova) e docentes (UAL e Europeia) que atualmente exerço noutras universidades.

A Universidade de Aveiro, onde no passado já orientei teses de mestrado, é hoje uma das mais dinâmicas do país e foi muito curioso constatar que as interrogações que atravessam o seu Conselho Geral refletem a maturidade da reflexão que nela tem vindo a ser empreendida.

No âmbito da Fundação Calouste Gulbenkian, com figuras como Marçal Grilo e Júlio Pedrosa, tenho igualmente integrado, desde há alguns anos, um trabalho sobre a inserção regional do tecido universitário e politécnico, ligando autarcas e empresários - um caminho que parece essencial para um melhor aproveitamento da fantástica rede educativa superior que a nossa democracia criou.

Por modesta que esta contribuição possa ser, acho ser meu dever tentar dar alguma utilidade àquilo que tive o privilégio de aprender, em quase quatro décadas de serviço público dedicado à ação externa.

2 comentários:

Manuel disse...

Abrir a página do blogue e ver uma foto da "minha casa" foi uma agradável surpresa.
Pena não o ter encontrado...e estivemos tão perto.

Portugalredecouvertes disse...


Boa homenagem Sr Embaixador !