domingo, 27 de novembro de 2016

Paula Rego


Há dias, uma testemunha descreveu-me o que foi o recente divertido encontro em Londres entre o presidente da República e a pintora Paula Rego. A artista tem um estilo pessoal desconcertante, que tive o ensejo de apreciar em diversas ocasiões, quando vivi em Londres e por ali com ela conversei, em algumas circunstâncias. Conhecendo-se a maneira de estar de Marcelo Rebelo de Sousa, pode imaginar-se o que terá sido a "combinação" gloriosa que resultou desse momento conjunto...

Veio-me à memória um episódio ocorrido aquando da visita de Estado de Mário Soares a Londres, em 1993. Um dos pontos do programa foi uma deslocação à Sainsbury Wing, da National Gallery, em cuja cafetaria Paula Rego havia acabado de pintar um mural que era, em especial à época, uma das grandes curiosidades do local (e recomendo a visita a essa obra). Paula Rego, amiga de Mário Soares e de Maria Barroso, quis ser ela a apresentar pessoalmente o trabalho, descrevendo-o nos seus principais pormenores.

Algumas das figuras que a pintora integrou no mural tinham nome. Recordo-me da cara do escritor Alberto de Lacerda, que ela colocou, na sua forma criativa, numa das personagens. A certo passo da descrição, Mário Soares perguntou em quem se tinha inspirado Paula Rego para o desenho de uma figura hierática de mulher, que tem um lugar proeminente do grande painel. Nenhum de nós tinha a menor ideia de quem poderia ser essa face feminina escalvada, hirta e seráfica. Paula Rego correu com o dedo as figuras até coincidir com a que Soares referira, para, finalmente, concluir: "Ah! Aquela? É uma senhora da limpeza que eu vi um dia quando ia a entrar lá em baixo. Pedi-lhe e ela deixou-se pintar. Ficou bem não ficou?"...

1 comentário:

Anónimo disse...

A geringonça, anda de baixa pela caixa....