terça-feira, 4 de outubro de 2016

Kristalina

Não sei como se dirá, em búlgaro, "meter os pés pelas mãos". Mas foi isso mesmo que Kristalina Georgieva fez ontem, quando perguntada pelo embaixador ucraniano sobre o que pensava do conflito no seu país. Essa hesitação e a cara desencantada do diplomata podem dizer tudo. Procurar não antagonizar Moscovo, no dia em que a Rússia repetiu formalmente, para quem quisesse ouvi-la, que deseja para secretário-geral da ONU uma mulher do Leste europeu, é a cartada evidente de Georgieva. Kristalina.

4 comentários:

Anónimo disse...

Para bom entendedor...explicado está! Não há volta a dar...

Anónimo disse...

Estou expectante a uma resposta sua ao David.O tal...Conselheiro da dita.

Luís Lavoura disse...

Não sabia que a Rússia tivesse declarado que desejava uma mulher de Leste.
Mas, ao que ouvi dizer, Kristalina tem sido, na Comissão Europeia, uma das principais defensoras do embargo económico à Rússia por causa da questão ucraniana, pelo que não será nada estimada pelos russos. Isso é verdade?
Por outro lado, também já ouvi sugerir que a Rússia poderá aceitar Kristalina, para fazer a vontade à Alemanha, em troca de obter desta última o levantamento do embargo. O Francisco daria crédito a tal teoria?

Anónimo disse...

Estou Feliz!