sábado, 8 de outubro de 2016

Fiscais

Não conheço Rocha Andrade, secretário de Estado dos Assuntos Fiscais. Mas conheço gente muito diversa e fiável que me diz que se trata de uma figura de muito elevada competência técnica na sua área e de um homem de uma probidade a toda prova. E, no entanto, o lapso da viagem ao euro e o embaraço de agora ser responsável por uma medida legislativa que favorece uma empresa de que é (ainda que ínfimo) acionista fragiliza-o claramente. 

Não sei se Rocha Andrade deve ou não permanecer no governo, mas o seu caso demonstra bem que, nos dias que correm, ser governante impõe regras tão draconianas, obriga a cuidados tais, para não se correr o menor risco de poder vir a ser acusado de qualquer coisa, que deve haver muita gente que deixa de ter paciência para se sujeitar a este escrutínio. Vive-se um tempo triste em que estar em lugares de Estado é, de imediato, fonte de suspeição, de presunção de potencial culpabilidade.

5 comentários:

Anónimo disse...

"Vive-se um tempo triste em que estar em lugares de Estado é, de imediato, fonte de suspeição, de presunção de potencial culpabilidade"

Não me parece que estar em lugares do estado seja a origem da suspeita. Mas estar em lugares do estado obriga, claro, a estar acima de toda a suspeita. Aqui e em qualquer lugar que se preze

Mônica disse...

Senhor Francisco
Espero que tenha lido a noticia que estou enviando . Vou a Portugal em fins de outubro e queria lhe enteegar uma lembrancinha
comcarinho Monica

Anónimo disse...

Caro Anónimo das 20:14,

O problema está no que se convencionar por "estar acima de toda a suspeita". Pela sua lógica, se eu for agricultor, estou automaticamente excluído do exercício de qualquer cargo publico ligado à agricultura para evitar a suspeita de adoptar medidas que me possam favorecer, é isso ? O mesmo para o professor em relação à educação, ou o pescador em relação às pescas, ou....

No limite desta lógica, a governação teria de ser exercida por uma espécie de monges criados desde o berço em cativeiro, ao qual regressariam quando terminassem funções. "Espantástico" !

JRodrigues

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Monica. Deixe por favor aqui o seu endereço de email. Cumprimentos

Reaça disse...

A ciência está em saber dar a palha!
Neste momento de felicidade nacional, dá vontade de trautear aquela..."lá vamos cantando e rindo".