sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Guterres na ONU

1. É muito positivo que António Guterres se mantenha na liderança das votações indicativas para a escolha de SG da ONU. Candeia que vai à frente...

2. É também muito bom sinal que tenha tido mais um "voto de encorajamento" e menos um de "desencorajamento".

3. Há que ter em atenção a evolução positiva, que se confirma, do candidato eslovaco e a sustentabilidade do candidato sérvio. Ambos são "da região" que era, à partida, tida como origem desejável do próximo SG.

4. O fator género parece estar por ora diluído, pelo menos no tocante à lista de candidatos em presença. 

5. A grande questão está em saber se, na próxima votação, os dois candidatos "da região" se aproximam ou não de Guterres. 

6. Se isso não acontecer, as hipóteses de Guterres sobem exponencialmente e, a menos que haja uma surpresa (veto russo ou chinês), ele será o próximo SG da ONU. É implausívrl, nessas condiçōes, que o veto surja de um dos três membros permanentes ocidentais.

7. Se tal aproximação, em matéria de encorajamentos, vier a acontecer, pode surgir a ideia de que se entrou numa situação de quase empate técnico. 

8. Nesse caso, e embora muitos observadores qualificados achem que já será tarde para tal, o surgimento "out of the blue" de um novo nome ganharia força. E esse nome é só um: a búlgara Kristalina Georgieva, vice-presidenge da Comissão Europeia, desbragadamente protegida por Jean-Claude Juncker nos últimos meses, sem que se tenha percebido bem se com o apoio discreto de que poderes europeus. Seria "da região"... e mulher! 

9. A contraciclo desta hipótese funciona o que se sabe ser alguma rejeição "misógina" em setores do mundo islâmico e não só, temerosos que uma SG mulher pudesse vir a forçar uma agenda com que não concordassem. Atendendo a que Georgieva só avançaria se tivesse a certeza do não-veto russo, só a China poderia protagonizar-se como grande obstáculo.

10. Espero estar redondamente enganado nas minhas preocupações e que o candidato português venha a ser o escolhido. Depois disso, mas só então, direi aqui o conjunto importante de razões pelas quais, para além da consagração dos méritos de António Guterres, considero que isso seria muito importante para Portugal e para a nossa presença no mundo.

1 comentário:

Anónimo disse...

Se- como muito se disse, o objectivo com o novo método de selecção do SGNU e ser mais transparente, poderão se multiplicar especulacoessemelhantes sobre as possibilidades de Guterres,mas,a partir de agora, ou é ele ou é uma palhaçada. Seria too cleverbbybhalf...
Fernando Neves"