quarta-feira, 27 de julho de 2016

Ainda as sanções

No dia 12 de julho, há precisamente duas semanas, ainda antes da reunião dos ministros europeus das Finanças, escrevi por aqui isto:

"A minha leitura (...) leva-me a concluir, depois do "eurogrupo" (ministros das Finanças dos países do euro) de ontem, que o Ecofin (ministros das Finanças de toda a UE) irá propor sanções (o facto de ser anunciado que será "por unanimidade", exceto o próprio país em causa, significa que Portugal votará a favor de sanções à Espanha e vice-versa) que caberá depois à Comissão decidir no detalhe. 

Porque Portugal e Espanha não são masoquistas, quer-me parecer que o "deal" passa por aprovar o princípio das sanções e ter a garantia (já negociada com a Comissão) de que essas sanções serão iguais "a zero". 

Fica salva a "honra do convento" e, na prática, as sanções são teóricas e sem incidência orçamental. Os países mais radicais ganham a aplicação do princípio e os "faltosos" a não punição efetiva.

Uma hipótese que sempre me pareceu implausível, no atual contexto (Brexit) seria uma "linha dura" no Ecofin reclamar sanções efetivas, obrigando à "recolha" de votos para conseguir uma minoria de bloqueio. Nem os tempos estão para isso, nem o "mood" da Comissão dava garantias de que esta pudesse "obedecer" substantivamente a um conselho de ministros "severo" (mesmo com "instruções" de Berlim).

Aliás, as conclusões do colégio de comissários de há dias já apontavam no sentido da Comissão não querer o "odioso" de propor as sanções: o Ecofin que as decida politicamente e a Comissão lá estará para as definir (previamente deixando claro que serão igual "a zero"). A Comissão passará, por esta vez, a "bom da fita".

(...) Mas posso estar completamente enganado e acabar por não ser nada disto que escrevi. Logo veremos."

Não estava.

9 comentários:

Anónimo disse...

Não sei que deal terá havido, mas ainda ontem António Costa dizia acreditar na aplicação da multa de Bruxelas.

o Merceeiro disse...

não altero um milímetro ao que escrevi no dia 13 !

JS disse...

Muitos anos a virar frangos, presume-se.

Dir-se-ia que aquela Europa " blinked first ".
Assumem que o seu, deles, "business model" precisa de umas correcções a curto prazo ?.
Afinal já perderam um dos sócios ... insubstituível.

Joaquim de Freitas disse...

Boa previsao de um diplomata que conhece o sujeito e os sujeitos !

Correia da Silva disse...

Ao comentador da mercearia :

-E faz Vossa Senhoria muitíssimo bem !


Anónimo disse...

Mas, se escreveu que sanções iriam ter lugar, embora de valor zero, e na realidade não houve sanções, como é possível dizer que não se enganou?

o Merceeiro disse...

sem querer ser pretensioso, penso que as amáveis palavras de CdS me são dirigidas. que saudades, à quanto tempo não não as ouvia. outros tempos, meu caro, outros tempos e pela afirmação, vê-se que Vossa Excelência sabe pisar.

o Merceeiro disse...

afinal tivemos azar com esta história da multa zero.
como muito bem explica o FF [(sempre magnífico)(quase !)]no Diário de Notícias de hoje ficamos, mas foi, a perder dinheiro.

A DESPROPÓSITO:
com a frase do Papa no DN de ontem. com o que disse no avião e com o trambolhão que deu hoje, estou desejoso de ler o que a "Ordem Negra" vai publicar amanhã no DN.

o Merceeiro disse...

andei a remoer toda a tarde a possibilidade de ser mal interpretado (caso alguém tivesse reparado. mas parece, felizmente, que ninguém reparou).
é que o - pisar - das 13:00, dedicado atenciosamente a CdS, obviamente que deveria estar entre comas, ou seja: "pisar".
Agradeço a boa compreensão.