sábado, 9 de julho de 2016

Carta ao Mathis, que hoje tem mais seis anos


Hoje, véspera do jogo entre a França e Portugal, lembrei-me desta "carta ao Mathis" que, há mais de seis anos, publiquei neste blogue. Eu era na altura embaixador português em França e a carta fala por si. Que será feito do Mathis, já com mais seis anos? Gostava bem que, amanhã, ele tivesse uma grande alegria, igual à de todos nós:

Olá, Mathis

Soube há pouco, por um jornal, que não te deixaram entrar na escola, aqui em França, porque levavas vestida a camisola da seleção portuguesa. Os teus pais, ao que parece, ficaram aborrecidos com isso.

Queria dizer-te que não deves ficar preocupado com o que aconteceu. Pelos vistos, o objetivo da direção da tua escola foi evitar a possibilidade de outros meninos, de várias nacionalidades - a começar pelos franceses -, poderem meter-se contigo e criar alguma confusão. Se calhar, na tua escola, há meninos da Coreia do Norte*...

É muito bom que tenhas sentido orgulho em usar a nossa camisola. A França é o país onde vives mas, como se viu, Portugal é o país que trazes no teu coração. É aqui que, provavelmente, irás fazer a tua vida, no futuro, mas isso não te torna menos português. A França é uma terra onde há muita gente que veio de outros países, como de Portugal, à procura de oportunidades para trabalhar. A França deu-lhes essa possibilidade e os portugueses retribuíram com o seu esforço, com a sua seriedade e a sua honestidade, para a riqueza da sociedade francesa. E aqui estão, também em sua casa. Ninguém deve nada a ninguém. E tu és a melhor prova do sucesso da integração dos portugueses em França, com a tua mãe francesa e o teu pai luso-descendente.

Os portugueses que aqui vivem devem ser sempre leais para com a França que os acolhe, da mesma maneira que a França tem de aceitar que tu, tal como os outros meninos que se sintam ligados a Portugal, possam mostrar isso, nas ruas ou nas camisolas. Pode discutir-se se a escola é o lugar mais indicado para andar com as camisolas da nossa seleção, mas, aos teus amigos de cá, deves lembrar que foi a Revolução Francesa, aquela que está na bela "La Marseillaise", que ensinou o mundo a lutar pela liberdade, a defender a igualdade entre todos e a demonstrar a nossa fraternidade perante os outros.

Para ti, caro Mathis, quero deixar-te um abraço bem lusitano e um convite para, um destes dias, vires, com os teus pais, visitar a Embaixada. E também espero que, qualquer que seja o resultado que a seleção portuguesa venha a ter no Mundial, tragas vestida a camisola das quinas. É que nós, os portugueses, temos por tradição ser muito orgulhosos do nosso país, tanto nos bons como nos maus momentos.

Francisco Seixas da Costa


* Portugal jogou por esses dias com a Coreia do Norte

7 comentários:

Majo Dutra disse...

~~~
O último período comoveu-me...
Quanto à disputa de titãs de amanhã,
provavelmente será uma questão de sorte.
Já ganhámos pelo privilégio de podermos participar.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Manuel Silva disse...

Ex.mo Senhor Embaixador:
Não é habitual, tanto quanto sei, um embaixador escrever cartas destas.
Não é um embaixador qualquer, é uma pessoa com uma visão das outras pessoas e das relações humanas que falta muito nos meios institucionais.
Parabéns.

Anónimo disse...

É que nós, os portugueses, temos por tradição ser muito orgulhosos do nosso país, tanto nos bons como nos maus momentos.
É uma boa expressão para a transmitir aos jovens, mas está convencido disso?

Joaquim de Freitas disse...

Podia dizer ao neto que de qualquer maneira, qualquer que seja o vencedor, ele ganhará sempre ! Temos o coração dos dois lados! E quando ele for mais “grande” poderá também dizer-lhe que todo homem civilizado tem duas Pátrias : - A sua, onde nasceu e depois a França.

A Nossa Travessa disse...

Chicamigo

Reli a carta e como da primeira vez que a li, fiquei muito comovido. O teu texto, agora relembrado, é um primor de uma carta a um menino chamado Mathis.

Também relembrei o menino Martinus que hoje está na Academia de Alcochete a aprender português, a ser Homem e a jogar futebol. Não têm nada um com o outro, mas une-os a camisola da selecção Nacional. Oxalá amanhã por estas horas estejam a festejar a vitória de Portugal que como disse Fernando Santos que ficaria muito contente mesmo que os franceses digam que a nossa selecção "jogou mal"...

Abç do Leãozão

José Sousa disse...

LINDO!!!
Parabéns.

André A. disse...

http://economico.sapo.pt/noticias/mathis-e-adepto-frances-convidados-a-visitar-portugal_254435.html

É o mesmo Mathis?