quarta-feira, 15 de junho de 2016

Já 5000 !


Pois é, este é post nº 5000, desde que este blogue começou a ser editado, no dia 2 de fevereiro de 2009, sem nenhuma interrupção diária, creio eu.

Achei que valia a pena assinalar este número "redondo".

12 comentários:

Anónimo disse...

Parabéns! E venha o 10000... Ou mais ainda.

José Paulo Sá disse...

Continue, nós agradecemos.

António Marques Mendes disse...

Parabéns e obrigado!

Joaquim de Freitas disse...

A perseverança na troca de ideias, é por vezes uma cadeia à qual estamos acorrentados pelas convicções. Só o próprio pode saber se vale a pena. Os outros apreciam e agradecem.

Ana Vasconcelos disse...

Para nosso prazer. Parabéns pelo marco.

Cícero Catilinária disse...

Pois que venham então de lá outros tantos, pelo menos.

Anónimo disse...

Parabéns e obrigado. Se não os li todos, poucos me terão faltado.
Francisco F. Teixeira

Isabel Seixas disse...

Parabéns e obrigada também, sou fã incondicional e aprendiz dos seus conhecimentos e saberes à beira mundo plantados ainda por cima à disposição descomprometida de quem os quiser apreender.

Continuo a gostar muito de O ler por aqui , às vezes com grande pena minha sem tempo para comentar, mas presente e com a consciência da sua grandezae sustentabilidade analitica e capacidade de encaixe e de levar com alguns, poucos, penetras que só vêm destilar a sua insatisfação pessoal com o mundo e por aqui fazem terapia.

Anónimo disse...

5.000 x 2 = 10.000


Parabens. Os seus seguidores aguardam a proxima Meta!

Abracos

F. Crabtree

Anónimo disse...

Happy b-day !
C.Falcao

EGREG disse...

sem dúvida um belo número. e como tem sido magnifico ter podido fruir dos seus conteúdos!
Estou grato por isso.

Paulo Roberto de Almeida disse...

De 2 de fevereiro de 2009 ao dia de 16 de junho de 2016 são, salvo engano, 2690 dias, ao longo dos quais foram feitas 5.000 postagens, o que não deixa de ser uma marca impressionante, o que conforma uma média de quase duas postagens por dia, ou mais exatamente 1,8 postagem.
Meus cumprimentos pela marca, tanto mais que o volume de sua produção, os comentários sempre substantivos, ilustrações e sobretudo a natureza mesma de cada postagem, originalíssimas e cheias de verve, são uma marca impressionante de produtividade na arte do que eu mesmo chamo de "escrevinhação".
Não tenho certeza de ser assim tão produtivo, embora também seja conhecido por ser um prolífico "escrevinhador".
Meu blog Diplomatizzando teve início em 17 de junho de 2006, já com a marca de 486 postagens anteriores (creio que apenas no blog precedente, Diplomatizando, com apenas um z), e marcava, nesta data, 18 de junho de 2016, ou seja dez anos depois, 16.693 postagens, o que dividido por 10 anos, ou 3.650 dias, a "produtividade" de 4,7 postagens por dia, embora muitas dessas postagens sejam de materiais de terceiros, ou seja, transcrições de matérias da imprensa, relatórios, estudos, quaisquer tipos de informações que julgo interessantes do ponto de vista do meu "público" - geralmente estudantes e pesquisadores de relações internacionais e política externa do Brasil, com uma grande extensão a todas as áreas da política internacional e da economia mundial, latino-americana e brasileira -- mas às quais eu sempre procurei agregar um comentário antecedendo a transcrição dessas matérias.
Talvez um terço tenha sido de produção minha, também, de diversos tipos.
Em qualquer hipótese, louvo a altíssima qualidade de todas as suas postagens, que por mais leves, ou anódinos que possam ter sido, ao abordar desde profundas reflexões sobre a vida diplomática até simples observações sobre a vida diária, sua e de terceiros, vivos ou já mortos, livros e quaisquer outros temas que interessem à inteligência humana, sempre foram especialmente saborosas, agradáveis, de alta cultura, configurando uma espécie de equivalente digital dos antigos salões de debates entre intlectuais, seja do Ancien Régime, seja da République des Lettres.
Seguidor, desde o início dos seus dois blogs, comentarista bissexto, mas leitor fiel, eu me congratulo em parabenizá-lo triplamente, ou quadruplamente: pelos resultados, pela qualidade, pela inteligência, e pelo cosmopolitismo.