sexta-feira, 1 de abril de 2016

Zaha Hadid


Há cerca de três anos, estive numa conferência em Baku, no Azerbaijão. O encontro teve lugar no esplendoroso edifício que se vê na fotografia.

Não fazia a mais leve ideia do nome do arquiteto responsável. Acabo de saber que era uma arquiteta anglo-iraquiana, Zaha Hadid, prémio Pritzker, um espécie de prémio Nobel da Arquitetura, que morreu ontem.

Já agora, convém registar que dois arquitetos portugueses, Siza Vieira e Souto Moura, foram já galardoados com esse prémio.

7 comentários:

Portugalredecouvertes disse...


o edifício é muito bonito!

Anónimo disse...

E registe-se, também, que, tal como muitos outros grandes nomes internacionais, a senhora não deixou obra em Portugal, graças ao "lobby" corporativista dos arquitetos tugas. Esta mulher concorreu ao terminal de cruzeiros de Alfama e ficou em quinto lugar!!!

Carlos Santos disse...

O Japão tem 5.

Isabel Seixas disse...

Que sorte tem, conhece tudo e mais alguma coisa.
O edifício é de facto original.

Helena Sacadura Cabral disse...

Francisco
Mas esses estão vivinhos da Costa!

Anónimo disse...

Hoje sendo domingo vou ouvir na BBC4 um velho favorito "Desert Island Discs". Lembrei-me que em Fevereiro Zaha Hadid foi entrevistada e da lista de 8 discos a levar para a ilha deserta constavam Bryan Ferry (My favourite Things), The Beatles (Hey Jude) Simple Red (Holding back the years) Adele e o disco favorito que salvaria das ondas em caso extremo Harry Nilsson (Everybodys talkin). Objecto de luxo: album com fotos de familia. Livro "Delirious New York" de Rem Koolhaas.

Durante a conversa com Kirsty Young referia-se a causas de problemas que tinha tido no seu percurso "I'm a woman and that's a problem for some people, I'm a foreigner, and I do work which is not normative, not what they expect". Veio-me a lembranca o seu post "Ser estrangeiro"!

Vou ver numa sala de cinema uma magnifica producao de Anthony Minghella de "Madama Butrefly". Vi essa producao em Londres, no Coliseu em 2006, se nao me engano. E belissima,passou ontem na Gulbenkian e ja esta em DVD.

Bom domingo

F.Crabtree

Ana Vasconcelos disse...

Belíssimo e dramático edifício de curvas fluidas. Parece reflectir o carácter da arquitecta. Gosto de lembrar uma frase dela, simples mas rica: 'We live with our experiments'.