quarta-feira, 13 de abril de 2016

Notas do fim do dia

António Guterres

Foi um "show de bola", a sua apresentação nas Nações Unidas. À altura das minhas melhores expetativas: preparado, convincente, criativo, com empatia e brilho. Pode não conseguir o lugar de SG da ONU - as decisões naquele palácio são muito complexas - mas deixou uma imensa marca em quem o ouviu. E prestigiou o nome de Portugal, o que não é menos importante. Parabéns!

Francisco Nicholson (1939-2016)

Recordo-me dele no "Adoque" (que se lembra desse teatro no Martim Moniz?), no "Pides na Grelha", nos idos de 1974/75. Deprois, por anos, ao lado de Armando Cortez (de quem, curiosamente, estava bem distante politicamente), fez o "Riso & Ritmo", com algumas passagens de ano onde era inevitável a tirada: "Já é uma hora? Que grande banquete!", que ficou no património das "deixas" televisivas. Depois, dedicou-se mais à escrita e a roteiros de telenovela. Agradeço a Francisco Nicholson os bons momentos proporcionados.

Diogo Lacerda Machado

Se há caso em que se poderá dizer que "não havia necessidade", esse é o da polémica em torno do nome de Diogo Vieira Machado. Trata-se de um jurista de mérito, com grande sentido de serviço público, com provas dada, de quem fui colega num governo por breves meses e por quem tenho admiração e amizade. Não me custa reconhecer que pode ter havido alguma informalidade excessiva no modo como se processou a sua intervenção em alguns processos, em que, no entanto, não negociou em nome do Estado, mas em que ajudou a gizar os termos dos compromissos que viriam a proporcionar soluções que o Estado decidiu vir a subscrever - o que é muito diferente. Um estatuto de consultor jurídico, desde o início assumido "de papel passado", teria sido mais adequado. Mas daí a suscitar comentários que chegaram a colocar em causa a sua honorabilidade vai a distância da crítica legítima à calúnia. Tudo por mero oportunismo político. Vou citar Santana Lopes, ouvido há pouco sobre isto, alguém que não é "da minha freguesia": "as pessoas que são sérias, à partida, não desconfiam dos outros".

Ana Lourenço

Regressou à televisão pela mão da RTP. Em boa hora. A sua serena competência fazia falta. Estive na noite passada na RTP3 num debate como Bernardo Pires de Lima, moderado por ela. Um tempo muito agradável, sob a orientação desta excelente profissional. Já tinha saudades da sua presença. Pela minha experiência (e é alguma), posso assegurar que não há muita gente como ela por essas televisões.

Cristiano Ronaldo

Mais umas prestações como estas e lá vou eu ter de encontrar um lugar para Cristiano Ronaldo entre os meus "melhores dez" de sempre. Que jogador!

8 comentários:

Anónimo disse...

Só dois reparos se me permite:
Diga lá ao Santana Lopes, que por acaso “é da minha freguesia” que, como vai isto, confiar? Só em Deus que é bom Homem! E, cuidados e caldos de galinha nunca me fizeram mal. Quanto a seriedade, é como a água benta: cada um toma a que que quer!
E o Ronaldo ainda não está no Top Ten? Tenha paciência mas já está à vontade no Top Five à vontade!

apostas futebol betclic disse...

O Cristiano Ronaldo está cada vez melhor. Ontem marcou 3 golos e permitiu à sua equipa dar a volta à eliminatória, deixando mais uma vez a sua marca na história do futebol mundial.

Fantástico!

Luís Lavoura disse...

É surpreendente como Portugal, que é um país tão rascoso, consegue produzir tantas pessoas de tanto mérito e reconhecimento internacional como António Guterres.
Faz lembrar o adágio "Serpa serpente, má terra, boa gente" - que se refere aos tradicionais muitos méritos dos naturais de Serpa, uma vila reconhecidamente deveras merdosa nos confins do Alentejo.

Anónimo disse...

Será que o Ronaldo também vai para o Panteão ou o contexto dos dias de hoje é diferente daquele em que Eusébio fez fama?

carlos cardoso disse...

António Guterres é sem dúvida uma excelente pessoa e muito competente. Infelizmente não é esse o critério principal para escolher o próximo secretário-geral das nações unidas. Foi decidido que desta vez seria uma mulher e que seria da "Europa de leste". De todos os candidatos, António Guterres é o único que não preenche nenhum destes dois critérios. Cheira-me que quem vai ser eleita é a Irina Bokova.

Anónimo disse...

Ana Lourenço além de ser uma excelente jornalista é uma mulher muito bonita (e elegante).
Quanto a Cristiano Ronaldo, aquele terceiro golo, aquele livre, com a bola a passar entre as cabeças adversárias e entrar no que parecia um buraco impossível de encaixar a bola, é de antologia! C.Ronaldo é hoje, sem margem para dúvidas, um dos melhores jogadores de futebol mundiais, de sempre! Está seguramente entre a lista dos 5 melhores.

Anónimo disse...

Entre Cristiano Ronaldo e António Guterres há uma enorme semelhança, por incrível que pareça: estão entre os melhores do mundo nas respectivas áreas em que actuam, aspiram ao reconhecimento disso mesmo, "jogam" nas melhores equipas, prestigiam Portugal além-fronteiras, levam o nome do país até aos sítios mais recônditos do planeta.
Trabalham arduamente para isso.

Um, com enorme esforço aprendeu outras línguas.
O outro fala naturalmente vários ididomas.

Um, aparentemente sem esforço, joga à bola como ninguém.
O outro, dá "shows de bola" em areópagos onde nunca entrou nenhuma dessas esferas.

A audição pública de António Guterres ontem em NY, para além de me ter enchido de orgulho ( e espero que a muitos mais portugueses ) é a prova provada de que temos SGNU, se o CS e a AGNU assim o entenderem. Oxalá que sim.

Estou em crer que também com António Guterres ganharíamos tudo o que há para ganhar nos vários campeonatos em que se desenrolam os jogos de poder entre os países que compõem o concerto das nações.

Boa sorte, António Guterres.

Anónimo disse...

Tenho de deixar umas palavras sobre Cristiano Ronaldo e o ex-Primeiro Ministro António Guterres. Nunca nos enganaram e ultrapassaram de longe o que esperávamos deles. Nasci em frente à freguesia que viu nascer Ronaldo e felizmente trabalhei para António Guterres, que mudou o nosso país; quanto à sua "tradicional pobreza" e na importância que colocou na educação dos jovens com aquele incremento gigante que foi dado à investigação. Quero deixar o testemunho de uma jovem madeirense, que os pais com sacrifício puseram a fazer medicina no Porto. A mãe (mulher simples de uma camada social que apenas queria ver a filha como médica a percorrer os corredores do Hospital Distrital do Funchal) não entendia ainda o que era ter uma filha na investigação sem sair dos laboratórios... Assim, foi a "estória" da filha de um amigo meu (irmão de um grande números de irmãs e irmãos) filho de um homem que sazonalmente trabalhava para os ingleses na ilha da Madeira ou nas ilhas do canal no período de férias das mesmas famílias inglesas. A "miúda" sem família ilustre por detrás, entrou na paixão do grande mestre Serras Gago, sem qualquer descriminação. Do Porto saiu para outros núcleos de investigação, passando pela Holanda que não a queria perder de vista. Veio a NASA busca-la à Holanda, aonde já chegou ao topo dos centros aonde se tomam decisões sérias e bem documentadas depois de muito experimentadas. Esta história fará sempre parte da minha vida, pois cresci perto dos familiares da miúda, mais próximos da minha idade; nos bailaricos, nas Novenas do Monte e na Vera Cruz do Monte... É uma honra ela ter aproveitado as oportunidades que se abriram a todos os investigadores. É a António Guterres que se deve o "fazer bem sem olhar a quem"! A esperança que nenhuma senhora venha a ocupar o lugar que deveria ser dele deve-se ao facto de que hoje não se deve exagerar que para as mulheres não se lhes exija o mesmo que para os homens para acederem a lugares como o que está em cima da mesa nos próximos tempos. Haja bom senso e imparcialidade. Havemos de agradecer aos embaixadores de todo o mundo, se justiça for feita, desta vez!