terça-feira, 12 de abril de 2016

Banco Assim-Assim


Aflora à porta a cabeça do Meireles.

- Entre, entre, Meireles! Ó Meireles, "atão" você faz-nos uma destas, homem! Manda dinheiro "prás" contas dos clientes, assim sem mais nem menos! E logo uma batelada de massa!

- Ó "shotôr"! Enganei-me! Desculpe lá! Carreguei no botão errado. Eu já tinha avisado o Sebastião da Informática para não andarem sempre a mexer no sistema. Olhe! Desta vez calhou-me a mim! Acontece aos melhores, "num" é?

- É pá, mas é uma chatice... Temos o Banco de Portugal à perna, já ligaram ao presidente lá das Finanças, estava ele no Pabe! Nem sei que lhe diga... Bom, mas vá lá, vá lá, por esta você escapa! Mas outra igual e vai parar c'os costados ao "banco mau"...

- Nem me fale nisso, "shotôr", que eu tenho mulher e filhos!

- Vá com deus, Meireles, vá com deus!

Sai o Meireles.

O "shotôr" olha a janela. Ao lado, tem o Salvador. O rapaz, filho de um amigo, tinha saído com 11 da "Business School" e já fora de afastado de outro emprego ("Vais ver que gostas dele! Aquela saída da Deloitte foi uma patifaria"!). Como currículo, o Salvador ainda arranjou duas linhas como assessor de um secretário de Estado qualquer, naquele governo de "uma semana e picos". Mas regressou logo ao banco, claro.

O Salvador está ali, o lado do chefe. Olha mais longe, a outra banda da avenida. Lembra-se de que tem um fato para prova, no Rosa & Teixeira. E a Matilde tinha-lhe pedido para levantar uma saia na Cos.

- Bem, se me permite, "Shotôr", vou andando.

- Ó Salvador, o que é que você acha que se faça com esta patetice do Meireles?

- Eu cá por mim, "Shotôr", se quer que lhe diga, deixava cair o assunto. Assim "cumásssim" quem vai pagar toda esta trapalhada é o Fundo de Resolução, "num" é? Mais milhão, menos milhão, tanto faz!

- Você é capaz de ter razão, Salvador. Olhe! E o seu pai? Espero que o "Expresso" o não venha a chatear muito com aquilo do Panamá...

- Ele anda roído, pode crer. "Inda" por cima, já tinha tudo no Luxemburgo. São uns patifes!

- É uma maçada! Mas é a vida, Salvador, é a vida. Dê-lhe um abraço meu.

6 comentários:

Anónimo disse...

Porra, só eu nunca tive a sorte de me transferirem dinheiro para as minhas contas. Sou um infeliz. Ai que ladroagem vai neste país.

Anónimo disse...

"Shotôr" ???!!! Mas, desde quando é que em português se usa o "sh" para fazer o "ch" (ou o "x")? Shiça!!!

Anónimo disse...

são demasiados, os shotôres, os meireles, os salvadores filho e os salvadores pai...e enquanto assim for...

Dor em Baixa disse...

Já tinha lido diálogos assim noutros sítios, mas nesses ainda não havia business schools.

Anónimo disse...

Quem ligou das Finanças não esteve agora em "amana" cavaqueira com a PJ?... É uma pena "Shor" Embaixador... como se "perdem" assim uns contactos que davam um "jeitasso" nos "desinrascanços" lá dentro...Bem, "tamos" que arranjar outros... E bem agora a esquerdalha ainda falar que no outro tempo é que havia Estado. Estado o "quia"? Naquele tempo até os olhos nos comiam... "num" nos deixavam trabalhar à vontade. Como podíamos criar emprego como agora? Querem voltar "pra" lá? É?
Agora até temos o Guterres que vai "pra" ONU com o "Shor" Embaixador e a Ana Lourenço a aplaudir!

Anónimo disse...

Qualquer semelhança com a triste realidade deste país é pura coincidência.