terça-feira, 19 de abril de 2016

As verdadeiras mentiras de Ali

Não sei há quantos anos me habituei a ver surgir, nervosa e rápida, aquela figura magra, com um sorriso desdenhoso, que, aí pela uma hora da tarde, irrompe pelo perímetro do cruzamento entre o boulevard Saint Germain e a rue de Rennes, aqui em Paris. Dizem-me que anda também por outras paragens, mas nunca vi.

Quem, pela primeira vez me chamou a atenção para ele foi José Paulouro das Neves, ao tempo em que era embaixador em Paris, quando me trazia a almoçar ao Lipp. Nunca mais o perdi de vista, sempre que almoço por lá.

No braço, o Ali traz invariavelmente o "Le Monde" acabado de sair, mas igualmente, nos dias de saída, o "Le Canard Enchainé", o "Charlie Hebdo" e o "Le Parisien". Nunca o vi com o "Le Figaro", sei lá bem porquê.

Ali é paquistanês de origem. É um "ardina", como se diria na Lisboa de outros tempos. A peculiaridade que assume no modo como vende jornais - o que faz no Flore, no Lipp, no Deux Magots ou nos "nouveaux territoires" (Armani, etc) - está nas "bocas" que manda, sempre "mentiras" preparadas e ditas em alta voz, como se o jornal que vende as trouxesse. 

Ouvi-lhe imensas coisas notáveis, como "Le Pen va chanter à L'Eurovision", "Sarkozy était dans la même chambre avec Strauss-Khan" e, há meses, quando também passei por aqui, "le Pape a été arreté". Hoje, mudou de estilo, havia uma notícia pessoal: "Aidez moi! Ils ont fermé mon offshore au Panama", além de outra, como sempre, política: "Hollande est candidat. Juppé vote pour lui"...

Só para comprar o "Le Monde" ao Ali, vale a pena vir a Paris.

17 comentários:

Anónimo disse...

Embaixador, se por acaso encontrar ai por Paris o senhor Freitas, pode dar-lhe um abraço meu. Coitado ele bem necessitado está. Estas dogmáticas dele, este lirismo dele. Ou por certo andará por ai atarefado em acolher futuros candidatos a terroristas, ele percebe da poda, quem faz a defesa que ele faz de governantes e ex governantes criminosos, também pode arrnjar casotas para futuros terroristas.

Anónimo disse...

E Ali publicou um livro há alguns anos em que revela a forma como chegou a França e as horríveis vicissitudes por que passou durante a sua vida. Às vezes, depois de ter vendido tudo, senta-se à mesas dos seus clientes para um bate-papo sobre a actualidade. Vale a pena ouvi-lo.

JPGarcia

Joaquim de Freitas disse...

Estupidez pura. O homem estúpido nasce estúpido pela vontade da Providência. Um tipo estúpido é estúpido da mesma maneira que alguém tem os cabelos ruivos. Ou pertence ao grupo dos estúpidos como se pertence a um grupo sanguíneo.

E foi “isto” que Portugal exportou para o Brasil ?

alvaro silva disse...

O que faz um paquistanês para manter as mulheres e os filhos lá no Prakistan! Mas gritar:- "Allá-acabar-de-cagar" Isso não diz ele não!

Vasco Campilho disse...

Posso acrescentar que ao virar do século, o "fonds de commerce" do Ali estendia-se (e provavelmente continua a estender-se) até à Rue St. Guillaume, onde nunca deixou de ter uma fiel clientela de estudantes e maîtres de conférence de Sciences Po, normalmente abancados no Basile ou em trânsito entre o Boulevard Saint-Germain e a Rue des Saints-Pères. Muitos "Le Monde" lhe comprei nos anos em que lá passei - anos em que Sciences Po não tinha ainda a fama que inopidamente ganhou em Portugal como escola de filosofia - e também tivemos algumas conversas como menciona o JPGarcia.

Obrigado por reavivar boas memórias desses tempos!

Anónimo disse...

Coitado do senhor Freitas, pertence á corrente que acredita ou faz de conta que acredita que os problemas do Brasil são culpa de Portugal. ó senhor Freitas, eu sei que o senhor gosta muito dos descamisados, dos sem terra que vivem do parasitismo e outras coisas mais, mas deixe lá Portugal sossegado porque não tem culpa das barafundas do Brasil Fomos Metrópole, mas eles que se entendam.

Anónimo disse...

Este senhor Joaqum Freitas é "engraçado demais", reparem no lirismo dele; quando em Portugal ainda governava o governo sacristas de centro direita(PSD e CDS), o senhor Freitas diversas vezes questionou a permanência desse governo, que como todos sabemos era maioritário na assembleia da república, porque segundo o iluminado senhor Freitas, esse governo já não tinha a maioria de apoio dos eleitores. Agora reparem no dogma, ou no lirismo do senhor Freitas, no Brasil ele diz que é golpe quererem correr com a Dilma, cujo governo é claramente minoritário no congresso, que a esmagadora maioria dos brasileiros não apoia e que está envolvido em tanta coisa no presente e no passado que enfim.... reparem o governo sacrista em Portugal, que era maioritário e não estava enlameado como está o PT no Brasil já não tinha legitimidade para governar. Atenção que eu não sou sacrista, sou apoiante do Partido Socialista. Mas reparem nesta coer~encia, para o senhor Freitas um governo enlameado de corrupção tem que continuar a governar, mesmo não tendo apoio do congresso nem da esmagadora maioria da população brasileira. Aqui realmente se nota o lirismo de pessoas como o senhor Freitas, que deve julgar que as pessoas são todas tão "intelectuais como os sem terra". O senhor Freitas faça um favor reflita um pouco no ridiculo das suas posições. O senhor quer bancar o "intelectual" assumindo a defesa de coisas que não tem um minimo de defesa. Então essa ultima de dar a entender que a culpa do que se passa no Brasil é nossa de Portugal e da nossa colonização, essa então passa todos os limites da inteligência.

Anónimo disse...

http://24.sapo.pt/article/sapo24-blogs-sapo-pt_2016_04_18_2061449205_brasil-na-hora-da-ressaca


Este link é para o senhor Freitas que está a necessitar de aprender um pouco e ficar mais elucidado. Já toda a gente por aqui chegou á conclusão de que não o pode levar a sério.

jose reyes disse...

Ao que parece, o sr. Joaquim de Freitas cruzou-se com um rafeiro que, a despropósito de tudo e mais alguma coisa, lhe não larga as canelas. Não poderá o senhor Embaixador higienizar este seu espaço e mandar guardar o bicho no canil?

Anónimo disse...

Ao que Freitas diz, responde alguém - depois de descopnversar - com citações que hão-de ser muito fiáveis da imprensa portuguesa. Opiniões - nem sequer notícias - tão fiáveis como a imprensa brasileira onde o detractor de Freitas baseia as suas opiniões - uma imprensa admirável cujas escolhas democráticas estavam já bem presentes em 1964.

A democraticidade da dita pode confirmar-se num postado português comparando primeiras páginas do Estadão e do Globo destes dias com outras de há 52 anos:

http://otempodascerejas2.blogspot.pt/2016/04/que-felizes-que-eles-devem-estar.html

O autor do blogue pode, no entender do atacador de Freitas, ser um repelente comunista, mas as primeiras páginas de apoio desses jornais ao golpe militar não foram forjadas e foram, em muito boa hora, recuperadas.


O Ali do Embaixador apregoará notícias mais falsas que aquelas que vêm tantas vezes impressas?

Anónimo disse...

ó senhor reyes, com esse nome a lembrar a aristocracia falida deve ser descendente de algum galgo de sangue azulado, mas normalmente estas coisas de galgos só se tem certeza de quem são as mães normalmente de tipo vira lata, antigas soperias etc etc, porque muitas vezes os galgos de tipo azulado, mais não sei quem sustenta os bau bau pequeninos mesmo que eles se assinem reys com Y.

Anónimo disse...

Ao anónimo das 11:23, deve ser dos que reclama que os politicos principalmente do seu Brasil são corruptos etc etc. Depois quando a justiça entra em acção, aqui del rei porque existem vacas e bois sagrados. Sabe anónimo das 11.23, devido a pessoas como você, ao senhor Joaquim Freitas, ao Reys que de rei nada tem, dizia eu por isso é que o zé povinho é enolido á má cara para não utilizar outros termos.

Anónimo disse...

O anónimo de 20 de abril de 2016 às 20:02 é daqueles que diz ser democrata, mas quando os jornais que corrompem a informação apoiam os juízes que corrompem a justiça acaba por ficar mesmo de braço dado, língua na boca, dos fascistas que defenderam Ditadura Militar,a Tortura e o DOPS - o lado de que o Estadão e O Globo estão de modo contumaz.

Anónimo disse...

A Globo para o anónimo das 18:52, só era boa quando andou de braço dada com o Lula no auge da popularidade dele. Ai era um exemplo de jornalismo. Quem terá sido a midia que tanto projectou de forma falsa o Lula e a própria Dilma? ai não reclamavam da midia. Atenção que não era só midia brasileira a fazer esse serviço de soperia de pensão barata, muita midia de vários países prestou-se a esse serviço, onde o Brasil através do querido lider(Lula) e querida lider(Dilma), já aperecia aos olhos do mundo(principalmente aos olhos dos otários, tipo o Freitas e Reys) aliás, só assim se entende que digam os disparates que dizem, dizia o Brasil já aparecia como futuro dono de lugar crónico no conselho de Segurança da ONU, já aparecia como pot~encia de tipo espacial, e iria fazer corar de vergonha até os países da europa e estados unidos. Essa midia é que falava verdade, projectar este tipo de borrabotas como grandes lideres. Ai ai anónimo das 18:52, ou é sem terra, ou anda a viver de bolsa familia ou de petrolão, mensalão e lava jato. Pobre do otário do Freitas e do reys que compraram essas flsas informações como sendo boas.

Joaquim de Freitas disse...

O BRASIL REAL - DE 2002 A 2013
Por Luiz Alberto de Vianna Moniz Bandeira. Fonte: Pátria Latina


1. Produto Interno Bruto:
2002 – R$ 1,48 trilhões
2013 – R$ 4,84 trilhões

2. PIB per capita:
2002 – R$ 7,6 mil
2013 – R$ 24,1 mil

3. Dívida líquida do setor público:
2002 – 60% do PIB
2013 – 34% do PIB

4. Lucro do BNDES:
2002 – R$ 550 milhões
2013 – R$ 8,15 bilhões

5. Lucro do Banco do Brasil:
2002 – R$ 2 bilhões
2013 – R$ 15,8 bilhões

6. Lucro da Caixa Econômica Federal:
2002 – R$ 1,1 bilhões
2013 – R$ 6,7 bilhões

7. Produção de veículos:
2002 – 1,8 milhões
2013 – 3,7 milhões

8. Safra Agrícola:
2002 – 97 milhões de toneladas
2013 – 188 milhões de toneladas

9. Investimento Estrangeiro Direto:
2002 – 16,6 bilhões de dólares
2013 – 64 bilhões de dólares

10. Reservas Internacionais:
2002 – 37 bilhões de dólares
2013 – 375,8 bilhões de dólares

11. Índice Bovespa:
2002 – 11.268 pontos
2013 – 51.507 pontos

12. Empregos Gerados:
Governo FHC – 627 mil/ano
Governos Lula e Dilma – 1,79 milhões/ano

13. Taxa de Desemprego:
2002 – 12,2%
2013 – 5,4%

14. Valor de Mercado da Petrobras:
2002 – R$ 15,5 bilhões
2014 – R$ 104,9 bilhões

15. Lucro médio da Petrobras:
Governo FHC – R$ 4,2 bilhões/ano
Governos Lula e Dilma – R$ 25,6 bilhões/ano

16. Falências Requeridas em Média/ano:
Governo FHC – 25.587
Governos Lula e Dilma – 5.795

17. Salário Mínimo:
2002 – R$ 200 (1,42 cestas básicas)
2014 – R$ 724 (2,24 cestas básicas)

18. Dívida Externa em Relação às Reservas:
2002 – 557%
2014 – 81%

19. Posição entre as Economias do Mundo:
2002 - 13ª
2014 - 7ª

20. PROUNI – 1,2 milhões de bolsas

21. Salário Mínimo Convertido em Dólares:
2002 – 86,21
2014 – 305,00

22. Passagens Aéreas Vendidas:
2002 – 33 milhões
2013 – 100 milhões

23. Exportações:
2002 – 60,3 bilhões de dólares
2013 – 242 bilhões de dólares

24. Inflação Anual Média:
Governo FHC – 9,1%
Governos Lula e Dilma – 5,8%

25. PRONATEC – 6 Milhões de pessoas

26. Taxa Selic:
2002 – 18,9%
2012 – 8,5%

27. FIES – 1,3 milhões de pessoas com financiamento universitário

28. Minha Casa Minha Vida – 1,5 milhões de famílias beneficiadas

29. Luz Para Todos – 9,5 milhões de pessoas beneficiadas

30. Capacidade Energética:
2001 - 74.800 MW
2013 - 122.900 MW

31. Criação de 6.427 creches

32. Ciência Sem Fronteiras – 100 mil beneficiados

33. Mais Médicos (Aproximadamente 14 mil novos profissionais): 50 milhões de beneficiados

34. Brasil Sem Miséria – Retirou 22 milhões da extrema pobreza

35. Criação de Universidades Federais:
Governos Lula e Dilma - 18
Governo FHC - zero

36. Criação de Escolas Técnicas:
Governos Lula e Dilma - 214
Governo FHC - 11
De 1500 até 1994 - 140

37. Desigualdade Social:
Governo FHC - Queda de 2,2%
Governo PT - Queda de 11,4%

38. Produtividade:
Governo FHC - Aumento de 0,3%
Governos Lula e Dilma - Aumento de 13,2%

39. Taxa de Pobreza:
2002 - 34%
2012 - 15%

40. Taxa de Extrema Pobreza:
2003 - 15%
2012 - 5,2%

41. Índice de Desenvolvimento Humano:
2000 - 0,669
2005 - 0,699
2012 - 0,730

42. Mortalidade Infantil:
2002 - 25,3 em 1000 nascidos vivos
2012 - 12,9 em 1000 nascidos vivos

43. Gastos Públicos em Saúde:
2002 - R$ 28 bilhões
2013 - R$ 106 bilhões

44. Gastos Públicos em Educação:
2002 - R$ 17 bilhões
2013 - R$ 94 bilhões

45. Estudantes no Ensino Superior:
2003 - 583.800
2012 - 1.087.400

46. Risco Brasil (IPEA):
2002 - 1.446
2013 - 224

47. Operações da Polícia Federal:
Governo FHC - 48
Governo PT - 1.273 (15 mil presos)

48. Varas da Justiça Federal:
2003 - 100
2010 - 513

49. 38 milhões de pessoas ascenderam à Nova Classe Média (Classe C)

50. 42 milhões de pessoas saíram da miséria

FONTES:
47/48 - http://www.dpf.gov.br/agencia/estatisticas
39/40 - http://www.washingtonpost.com
42 - OMS, Unicef, Banco Mundial e ONU
37 - índice de GINI: www.ipeadata.gov.br
45 - Ministério da Educação
13 - IBGE
26 - Banco Mundial

Joaquim de Freitas disse...

Anda para aqui um espécimen, anónimo, porque dar o seu nome requer a coragem que lhe falta, que levou para o Brasil alguns rudimentos da língua portuguesa, com os quais procura explicar o que vê à sua volta sem enxergar o mínimo daquilo que realmente se passa. Infelizmente, não é com o que aprendeu no país de origem que pode analisar uma situação que lhe escapa. E não basta clamar alto e forte que é de esquerda e socialista para melhorar a sua compreensão das coisas. Salvo para justificar a sua aversão pelo socialismo, no que está no seu pleno direito, mas quando é para justificar a acção daqueles que em nome da democracia e da anti corrupção defende pior, muito pior que os que lá estão é preciso ser muito cego, ignorante e analfabeto político, dotado de muito má fé.

Porque há uma diferença muito grande entre aqueles que, mesmo cometendo erros, fizeram de bom para dezenas de milhões de brasileiros, e os que se organizaram em bandos de criminosos para simplesmente agarrar o poder por todos os meios, tendo como objectivo de se conceder mais liberdade e mais privilégios que os que já têm.

E que se aglutinam à porta do poder com uma preocupação: serem absolvidos dos crimes que cometeram. Pouco lhes interessa a imagem degradante que projectam no mundo, dum Brasil que tem tanto futuro mas que uma minoria infame quer arrebatar só para si.

Joaquim de Freitas disse...

Cada dia que passa, descobrimos mais analogias entre o que se passa no Brasil e as primaveras árabes . Uma estratégia aplicada no Oriente Médio e agora no Brasil e na América Latina em geral consiste em desestabilizar os governos progressistas e alinhá-los às estratégias globais .

Quem està ao corrente que em Março de 2014 Emy Shayo, analista do JB Morgan, coordenou uma mesa redonda com publicitários brasileiros ligados à macroeconomia neoliberal com o tema: "como desestabilizar o governo Dilma". Armínio Fraga, provável ministro da Fazenda num eventual governo pós-Dilma, participou a esta reuniao.
Arminio Fraga vem do banco J.B.Morgan.


Os EUA não toleram uma potência como o Brasil no Atlântico Sul que tenha um projeto de autonomia, vinculado aos BRICS. Causa grande preocupação à política externa norte-americana a presença crescente da China, seu principal contendor, pelos vários países da América Latina, especialmente no Brasil. Fazer frente a outro anti-poder que significam os BRICS implica atacar e enfraquecer o Brasil, um de seus membros com uma riqueza ecológica sem igual.


Especialmente o pré-sal, a segunda maior jazida de gás e de petróleo do mundo, está na mira dos interesses globais.